Campeões do Bocal de Ouro repetem a dobradinha no Freio de Ouro

Égua Jotace Utopia, da Cabanha Jotace, de Barra do Quaraí (RS), montada pelo ginete Raul Lima. (foto Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas)

Cerca de 20 mil pessoas aproveitaram o tempo bom do domingo para acompanhar a grande final do Freio de Ouro 2015. O público assistiu na pista do cavalo Crioulo, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), a repetição do resultado do Bocal de Ouro, realizado em abril. Foram coroados entre os machos o cavalo JA Libertador, da Fazenda Santa Edwiges, de São Lourenço do Sul (RS), montado pelo ginete Milton Castro, e entre as fêmeas a égua Jotace Utopia, da Cabanha Jotace, de Barra do Quaraí (RS), montada pelo ginete Raul Lima.
De acordo com a proprietária da Jotace, Daniela Cantarelli, o resultado é parte de um trabalho de anos da cabanha, que leva seu segundo título consecutivo no Freio de Ouro. No ano passado a cabanha venceu com a égua Jotace Tranca. Daniela relata, inclusive, que muita gente não acreditou quando decidiram que não iriam defender o título com a égua. “Na verdade a gente apostava na Utopia. Ela deixou de ser a irmã da Tranca para ser a campeã do Freio de Ouro”, afirma.
Já nos machos, o título de JA Libertador também aumentou o recorde do ginete Milton Castro, que agora vence seu oitavo título do Freio de Ouro. Libertador faz parte de um condomínio com 15 proprietários, entre eles o próprio criador José Antônio Anzanello, proprietário da Santa Edwiges. Mesmo acostumados a títulos, a emoção desta conquista foi inigualável. “É como se fosse a primeira vez. Este é um trabalho de anos que a gente vem fazendo com o Milton Castro. É uma grande emoção”, salienta.
Para o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Laitano, mais uma vez se confirmou a máxima de que a cada ciclo que passa, o Freio de Ouro vem evoluindo. “As provas estão cada vez mais profissionais e mais disputadas. Nunca sabemos quem é o ganhador até o ultimo minuto. Isso mostra a evolução funcional da raça e técnica dos criadores”, destaca.
A partir de agora as atenções da raça Crioula na Expointer estão voltadas para os grandes campeonatos da Morfologia que serão decididos nesta segunda-feira, 31 de agosto, e terça-feira, 1º de setembro. O Freio de Ouro conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Vivo e Banrisul, além do apoio da Supra.
Confira os vencedores
Fêmeas
Freio de Ouro
JOTACE UTOPIA
Criador: JOÃO JURACI CANTARELLI, URUGUAIANA-RS
Expositor: JOÃO JURACI CANTARELLI
Estabelecimento: CABANHA JOTACE, BARRA DO QUARAÍ-RS
Ginete: RAUL LIMA
Média: 22,655
Freio de Prata
BT BASTEIRA
Criador: CONDOMÍNIO FLAVIO BASTOS TELLECHEA, URUGUAIANA-RS
Expositor: MARCELO E MARIA DA GLORIA TELLECHEA CAIROLI
Estabelecimento: RECONQUISTA AGROPECUÁRIA LTDA, ALEGRETE-RS
Ginete: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA
Média: 22,113
Freio de Bronze
AS MALKE SAFIRA
Criador: AGRO PECUÁRIA SCHWANCK LTDA., URUGUAIANA-RS
Expositor: JÚLIA E MANUELA DA COSTA
Estabelecimento: CABANHA CAPÃO DA RONDA, CRUZ ALTA-RS
Ginete: GABRIEL MARTY
Média: 21,740
Machos
Freio de Ouro
JA LIBERTADOR
Criador: JOSÉ ANTONIO ANZANELLO, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: JOSÉ ANTONIO ANZANELLO E CONDOMINIO JA LIBERTADOR
Estabelecimento: FAZENDA SANTA EDWIGES, SÃO LOURENÇO DO SUL-RS
Ginete: MILTON CASTRO
Média: 21,530
Freio de Prata
HARMONIA TEMPRANO
Criador: HARMONIA AGRICULTURA E PECUÁRIA LTDA., SANTA VITÓRIA DO PALMAR-RS
Expositor: HARMONIA AGRICULTURA E PECUÁRIA LTDA.
Estabelecimento: CABANHA HARMONIA, SANTA VITÓRIA DO PALMAR-RS
Ginete: JOSÉ FONSECA MACEDO
Média: 20,728
Freio de Bronze
QUINCHERO DE SANTA ANGÉLICA
Criador: PAULINO E AGENOR ÁVILA COSTA, PELOTAS-RS
Expositor: RAMIRO E DÉBORAH MADRUGA COSTA
Estabelecimento: CABANHA ESTRIBILLO, PEDRAS ALTAS-RS
Ginete: CÉZAR AUGUSTO SCHELL FREIRE
Média: 20,694

Cavalgada da Integração percorrerá 252 km

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A Cavalgada da Integração percorrerá neste ano 252 km para trazer a Chama Crioula para Cachoeira do Sul, durante a 52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul. Segundo o presidente da Cavalgada, Jarí Gonsalves, a Chama Crioula será buscada no município de Piratini. “Como não tivemos apoio da Prefeitura para buscar a Chama Crioula no Chuí, onde ele será distribuída para todo o estado, vamos pegar uma centelha vinda de lá em Piratini”, explicou o tradicionalista.

Participarão neste ano entre 25 e 30 integrantes na cavalgada, que percorrerá em média 30 km por dia até Cachoeira do Sul, quando entregará  a centelha no dia 10 de setembro na Praça Honorato. Os integrantes da Cavalgada vão até Piratini de ônibus no dia 1º de setembro e de lá, no dia 2 de setembro, montam nos cavalo para voltar a Cachoeira. Durante o percurso, o grupo terá oito pontos de parada. Nesse ano a Cavalgada da Integração completa 24 anos de atividade.

 

Programação

1º de setembro – Saída de Cachoeira até Piratini.

Dia 2 – Saída de Piratini em direção a Cachoeira. Parada na Serraria Agrofel – 34 km

Dia 3 – Parada no Passo da Olaria – 35 km

Dia 4 – Parada em Santana da Boa Vista – 30 km

Dia 5 – Parada na propriedade de Eli Lacerda da Silva – 37 km

Dia 6 – Parada na propriedade de Sérgio Koos – 18 km

Dia 7 – Parada na Fazenda Raul Kampf – 21 km

Dia 8 – Parada na propriedade de Otaviano Pontes de Oliveira – 32 km

Dia 9 – Parada no Distrito de Ferreira

Dia 10 – Chegada da Chama Crioula na Praça Honorato

Cachoeira do Sul relembra antigas tropeadas

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Cachoeira do Sul vai reviver neste ano uma atividade que era muito comum no Estado até meados do século XX, as tropeadas. A atividade que gaúchos executavam de conduzir a cavalo um rebanho de gado pelos campos e estradas do Estado, perdeu espaço com a chegada dos transportes rodoviários, extinguindo a profissão de tropeiro. A 1ª Tropeada Histórica de Cachoeira do Sul, vai relem-brar esta atividade durantes três dias, 8, 9 e 10 de setembro.
Segundo o presidente da Associação Tradicionalista e Cultural de Cachoeira do Sul, Fábio Garin, a atividade será uma grande oportunidade para mostrar às gerações mais novas como viviam alguns gaúchos de antigamente. A tropeada iniciará em Candelária, na localidade de Bom Retiro, na propriedade de Almir Menezes. A gauchada seguirá com o gado pelas estradas do interior de Candelária e Cachoeira do Sul até o Parque de Eventos Estância de São Pedro, no Capão da Cruz. O percurso terá cerca de 35 quilômetros, com parada para pouso e almoço.
Estão programadas à noite nos pontos de descanso rondas de tropa, onde os participantes irão cumprir horários para cuidar do gado de madrugada. “Nós iremos convidar pessoas que já foram tropeiros, para contar suas histórias durante as paradas para pouso, onde também haverá apresentações artísticas”, adiantou Garin.

ATC promove Rodeio Crioulo

 

52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul terá três dias de festa campeira com direito a muito tiro de laço. Nos dias 11, 12 e 13 de setembro, no parque de Eventos Estância de São Pedro, na localidade de Capão da Cruz. A festa deverá reunir mais de 100 laçadores de Cachoeira do Sul e região que poderão participar de disputas de laço equipe, trio e dupla, além de outras modalidades. Segundo o presidente da Associação Tradicionalista e Cultural de Cachoeira do Sul, Fábio Garin, a parte campeira é importante na semana farroupilha, pois foram as lidas do campo que moldaram a tradição dos gaúchos e que hoje se tornaram esporte familiar e fonte de lazer.
Mas o rodeio crioulo não se resume apenas ao tiro de laço, durante os três dias estão previstas outras atividades pitorescas do homem do campo, como a corrida do couro, onde um gaúcho a cavalo puxa outro que está sentado em um couro de vaca. A prova é vencida pela dupla que fizer o percurso em menor tempo. A prova do pelego também é um dos desafios, nesta prova o gaúcho precisa fazer um percurso e em determinados pontos ir agregando pelegos no lombo do cavalo. Vence quem não cair e fizer o menor tempo.
Outra prova que deve chamar a atenção é o tiro de laço pescoço e guampa, onde as duplas de laçadores precisam laçar na primeira armada o pescoço do boi e o segundo laçador da dupla precisa laçar as guampas do animal. O rodeio ainda terá gineteada em bois.

Programação da 52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul

52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul

8, 9 e 10 de setembro - 1ª Tropeada Histórica de Cachoeira do Sul – Candelária – Cachoeira do Sul

10 de setembro – Abertura oficial da 52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul e Ronda Farroupilha Municipal – 8h30min – Praça Honorato

11, 12 e 13 de setembro - Rodeio Crioulo ATC -

Parque de Eventos Estância de São Pedro

11 de setembro - Ronda do PL Delfino Carvalho – CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango do PL Delfino Carvalho no CTG Tropeiros da Lealdade

12  de setembro – Ronda CTG Lanceiros do Sul – CTG Lanceiros do Sul

23h – Fandango do CTG Lanceiros do Sul no CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango do CTG Estância do Chimarrão no CTG Os Gaudérios

13 de setembro – Ronda do Centro de Tradições da Brigada Militar – Sede do CTBM – Rua Augusto Wilhelm

14 de setembro - Ronda da Celetro

15 de setembro – Ronda da Câmara de Vereadores no CTG Tropeiros da Lealdade

Entrevero da Canção Estudantil – No CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango no CTG Os Gaudérios

16 de setembro – Ronda do CTG José Bonifácio Gomes

20h30min – 1º Desfile Temático de Cachoeira do Sul – Rua Júlio de Castilhos

17 de setembro – Ronda CTG Os Gaudérios

20h – Sessão Solene em Homenagem ao Gaúcho na Câmara de Vereadores

22h30min – Fandango no CTG Tropeiros da Lealdade.

18 de setembro – Ronda do CTG Estância do Chimarrão

23h – Fandango do CTG Lanceiros do Sul no CTG Tropeiros da Lealdade

19 de setembro – Roda do CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango no CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango no CTG Os Gaudérios

Dia 20 de setembro – Desfile do Dia do Gaúcho – 14h30min

 

Crioulistas e tradicionalistas no combate ao Mormo

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Evitar a proliferação da doença do Mormo é a prioridade tanto da Secretaria da Agricultura e Pecuária quanto de entidades ligadas ao setor e que compreendem a necessidade da exigência do exame de livre da doença para participar de eventos com aglomeração de cavalos.

Representantes de entidades como Farsul, MTG, Federação Gaúcha de Laço e Abccc estiveram reunidos  com o secretário da Agricultura e Pecuária Ernani Polo e técnicos da Secretaria para discutir a situação do Rio Grande do Sul. Desde o primeiro caso da doença, registrado em Rolante no mês de junho, em razão de uma normativa do Ministério da Agricultura, para conseguir a emissão da Guia de Transporte Animal – GTA – o produtor deve apresentar o exame de negativo para Mormo.  A novidade causou dúvida em alguns municípios sobre como proceder em eventos onde tradicionalmente há participação massiva de equinos.
“Nós não estamos cancelando nem proibindo eventos como desfile farroupilha, rodeios e cavalgadas. Apenas aplicamos a determinação federal para que a doença não se espalhe, preservando assim tanto a saúde animal quanto pública, já que a doença é transmissível para seres humanos e em 100% dos casos leva a óbito”, explica o secretário Ernani Polo.
Participaram da reunião o presidente da Farsul Carlos Sperotto, o presidente do MTG Manoelito Savaris, o vice-presidente Francisco Fleck, o presidente da Federação Gaúcha de Laço Cleber Vieira, além de representantes do deputado estadual Adolfo Britto.

O mormo
Registrado pela primeira vez no Rio Grande do Sul, o mormo é uma doença infecciosa que ataca equinos. A gravidade da enfermidade se dá por vários motivos. O primeiro é que não há vacina para combate-la. Uma vez diagnosticado o animal como positivo a única saída é seu sacrifício. Mais grave ainda é que ela pode ser transmitida para o ser humano e também não há cura, em 100% dos casos leva a morte. As principais implicações são febre, úlceras na mucosa nasal, descarga nasal purulenta ou sanguinolenta, abscessos nos linfonodos e dispneia.


Situação atual no Estado:
Desde o primeiro caso em Rolante foram realizados cerca de 6 mil exames em todo o Rio Grande do Sul. Desses 17 foram enviados para o laboratório oficial do Ministério da Agricultura em Brasília para a confirmação e, sete voltaram negativos. Com mais um caso recente agora são 11 que ainda precisam ser avaliados. As suspeitas foram registradas em diferentes regiões do estado como Litoral Norte, Fronteira Oeste e no Noroeste.


 O que dizem as entidades:

Farsul:
Esse é um tema que precisamos tratar com visão técnica. As posições colocadas por todos os organismos de defesa nos permitem recomendarmos que os animais não transitem sem a GTA, logo, que tenham o exame de negativo para a doença”.
Carlos Sperotto, presidente.

MTG:
“Nos somos a favor do cumprimento da legislação e sempre a favor da defesa animal, o que nesse momento só é possível com a exigência do exame”.
Manoelito  Savaris, presidente

ABCCC
“Pelo que vimos a Secretaria está com a questão sob controle agindo da melhor forma possível.  Temos que disseminar essas atitudes legítimas e estimular que todos façam o exame para que não haja a disseminação da doença”.
Francisco Fleck, vice presidente

Federação Gaúcha de Laço
“Nós estamos totalmente de acordo com a exigência do exame, e temos passado isso para todos os nossos 19 mil associados em todo o Estado. A situação é séria, todos precisam colaborar”.
Cléber Vieira, presidente

Como fazer o exame?
No site www.agricultura.rs.gov.br, na direita da página onde está escrito Mormo, há uma lista com os laboratórios habilitados para realizar o exame e também uma lista de veterinários credenciados. O produtor pode também procurar um profissional de sua confiança. A coleta é feita na propriedade e encaminhada para um dos 19 laboratórios de todo o Brasil.

Qual valor?
Conforme levantamento realizado essa semanao valor cobrado na maioria dos laboratórios é R$ 45. Em alguns os clientes encontram variação de cinco reais, para mais ou para menos. Apenas em um dos laboratórios o preço era mais salgado: R$ 75 para veterinário e R$ 85 para proprietário.

Exames em lote
O valor total do exame envolve três fatores: preço cobrado pelo laboratório, valor da consulta do veterinário e do sedex para fazer o envio. Quem tiver mais de um animal para participar de atividades, ou então tenho conhecidos que também precisam fazer o exame, pode fazer mais de um por vez.

Onde ficam os laboratórios?
Os mais próximos ficam em São Paulo (e na maioria o valor não passa de R$ 55,00). Há também laboratórios em Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro, Baia, Maranhão, Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Piauí. No Rio Grande do Sul apenas um laboratório está em processo de liberação para que possa realizar o teste.

fonte: Secretaria da Agricultura e Pecuária

Emoção e competitividade vão marcar final do Freio de Ouro

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Depois de cinco meses, 12 classificatórias em três países e cinco estados brasileiros, e mais uma etapa na Argentina por meio da FICCC, foram selecionados os 104 finalistas que irão disputar o título máximo do cavalo Crioulo. A final do Freio de Ouro, que ocorre no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), vai reunir os conjuntos – cavalo e ginete – que buscarão o topo na modalidade considerada uma das principais ferramentas de seleção equestre do país.
Na avaliação da organização, o ciclo mais uma vez demonstrou a evolução do cavalo Crioulo. Na maior parte das seletivas, foi comum ver a alternância de posições entre os candidatos para chegar à grande final. “O Freio de Ouro vem amadurecendo como ponto de seleção da raça pelo profissionalismo de seus ginetes treinadores e da própria associação levando a uma prova de alto grau de dificuldade. Cada vez está mais difícil chegar até a final”, avalia o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Laitano.
Neste ano, Guto Freire foi o ginete que mais classificou animais para a grande final. No total, onze exemplares foram garantidos pelo treinador, além do campeão de 2014, Destaque da Maior, que pode entrar diretamente na final conforme as regras do regulamento. Freire também levará para a pista o campeão de 2012, Balaqueiro do Nonoai, que se classificou pela competição da FICCC em março em Buenos Aires, tendo duas chances de faturar o inédito bicampeonato por um cavalo da raça. “A prova todo ano que passa está cada vez mais difícil. O Freio de Ouro vem evoluindo em termos de competição. Novamente podemos esperar que teremos uma final forte e equilibrada, com vários cavalos com chance de ganhar”, observa.
O proprietário que mais classificou animais para a final neste ano vem do estado de São Paulo. Onécio Prado Junior, da Estância Tamareira, de Santa Rita do Passa quatro, levará quatro exemplares para a decisão. Ainda garantiu um quinto animal quando adquiriu em leilão uma cota do vencedor do Bocal de Ouro, JA Libertador, no qual faz parte do condomínio. Para o expositor, o fato de um paulista ser o que mais vai levar exemplares para o Freio de Ouro mostra o trabalho dos criadores da região e estimula o investimento na raça. “Sentimos que este trabalho que estamos fazendo gera retorno. Isto anima não só a gente, mas outros criadores também estão vendo que é só fazer um trabalho sério que a gente consegue”, salienta.
O julgamento ficará a cargo de de Francisco Martins Bastos Sobrinho, Jorge Rosas Demiate Junior e Lauro Varela Martins nas fêmeas e André Luiz Narciso Rosa, Eduardo Neto de Azevedo e Fábio Muricy Camargo nos machos. Douglas Gonçalves é o reserva da categoria fêmeas e Telmo Ferreira é o dos machos. O Freio de Ouro começará ainda antes da abertura dos portões da Expointer ao público, mais exatamente no dia 26 de agosto. A grande final será realizada no primeiro domingo da feira, dia 30 de agosto. O circuito conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Vivo e Banrisul, além do apoio da Supra.
Confira a programação
26 de agosto (quarta-feira)
12h – Término da entrada dos animais do Freio de Ouro
14h às 19h – Exame de admissão
22h – Término da entrada dos animais da Morfologia
27 de agosto (quinta-feira)
08h30min –  Morfologia do Freio de Ouro (Fêmeas)
13h30min – Morfologia do Freio de Ouro (Machos)
28 de agosto (sexta- feira)
7h – And. / Figura/ VSP/ Esb. (Fêmeas)
12h15min – And. / Figura/ VSP/ Esb. (Machos)
29 de agosto (sábado)
8h –  Prova de Mangueira – Etapa inicial (Fêmeas e Machos)
14h – Prova de Campo – Etapa inicial (Fêmeas e Machos)
30 de agosto (domingo)
12h – Solenidade de abertura do Freio de Ouro
13h – Prova de Mangueira – Etapa final do Freio de Ouro
14h45min – Prova Bayard / Sarmento
15h30min – Prova de Campo – Finalistas
17h – Entrega de prêmios – Freio de Ouro

Venda de animais na Expointer deve se manter igual à 2014

foto:Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Mesmo com a turbulência na economia brasileira em 2015 e a redução no número de exemplares inscritos, a expectativa é que a comercialização de animais durante a 38ª edição da Expointer ao menos iguale os números do ano passado, que foram de R$ 12,42 milhões conforme dados da Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul. A avaliação é do leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva.

Conforme o dirigente da leiloeira, que foi responsável por 47% das vendas de animais na edição de 2014, especialmente os bovinos podem acrescentar uma evolução, principalmente pelos valores do mercado já indicados no outono e que devem ser transferidos para a temporada de primavera, que inicia em setembro. A expectativa é positiva, mas precisamos levar em conta o momento que a economia brasileira vive. Mas estamos otimistas, principalmente nos bovinos, que terão um lugar de muito destaque”, observa.
Na raça Crioula, que se consolida como a principal no faturamento da Expointer, com 80% do valor total na venda de animais nos últimos dois anos, Silva acredita que a qualidade será determinante para o sucesso nas vendas, como vem sendo na temporada, onde a genética qualificada vem tendo compradores, ainda mais do centro do país. “Creio que venderemos todos os animais. A qualidade é muito boa. A ideia é ao menos repetir o faturamento do ano passado”, salienta.
A Trajano Silva vai realizar cinco dos oito leilões de cavalos Crioulos durante a feira, com o remate das Cabanhas Barulho e Gravatá no dia 26 de agosto, da Estância Vendramin dia 27 de agosto, da Cabanha Santa Angélica dia 29 de agosto, das Cabanhas Boa Vista e Maior dia 31 de agosto e da Cabanha Maufer dia 1º de setembro. Além disso, é co-promotora do leilão Quarter Sul, da raça Quarto de Milha, no dia 2 de setembro. Nos bovinos, terá a cargo o leilão Elite HB, da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) na noite do dia 1º de setembro.
Fonte: AgroEffective

Campeão do Freio de Ouro 2014 vai tentar o bicampeonato

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Pela segunda vez, depois das mudanças no regulamento da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, os vencedores da edição anterior terão o direito de defender o título conquistado no ciclo passado. Para este ano, o Freio de Ouro dos machos, Destaque da Maior, da parceria das cabanhas Villa Verde, de Jaraguá do Sul (SC), Colunas da Serra, de Joinvile (SC), SJ, de São Lourenço do Sul (RS) e Herença Infinita, de Joinville (SC), vai voltar para a pista para buscar um novo título.
Conforme Décio Bogo, um dos proprietários de Destaque da Maior, o cavalo já vinha treinando e mantendo a forma mesmo antes da decisão de inscrevê-lo para tentar o bi-campeonato. Durante o ano que passou, realizou 110 coberturas de éguas, todas por meio de inseminação artificial. “O cavalo está muito bem. É um cavalo novo e não sentiu nada. Ainda estamos na empolgação da vitória do ano passado”, declara.
Bogo afirma também que Destaque da Maior se manteve no centro de treinamentos do treinador Guto Freire. Na opinião do criador, o cavalo teve uma evolução na sua performance, o que pode credenciar o conjunto para o inédito bicampeonato na raça Crioula. “Ele está mais bem preparado do que nos outros anos. Virou um cavalo adulto. O Guto tem bastante esperança e acha que até melhorou em alguns movimentos. A nossa intenção é disputar o título”, reforça.
Já a vencedora das Fêmeas, Jotace Tranca, da cabanha Jotace, de Barra do Quaraí (RS) não irá defender o título conquistado no ciclo de 2014. A final do Freio de Ouro ocorre de 26 a 30 de agosto no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), durante a 38ª edição da Expointer.

ABCCC reforça exigências de bem estar animal em regulamentos

Conceito amplamente difundido na atualidade, o bem estar animal deixou de ser apenas uma opção. No que se refere aos cavalos, em qualquer atividade a qual esses animais sejam submetidos, a atenção à sua boa disposição, satisfação, conforto e segurança é indispensável. Nas pistas, a preocupação com as condições dos animais envolvidos motivou uma ação inédita que pode ser o primeiro passo para o estabelecimento de legislação específica para provas equestres.
A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) aprovou em sua reunião anual de avaliação determinações que alteram os regulamentos de suas provas seletivas e desportivas, visando contemplar as práticas de bem-estar animal. Essas decisões vão ao encontro do que já é adotado por outras entidades de raça e associações ligadas ao meio equestre.
Muitas delas já eram previstas nos regulamentos que apontam, entre as suas exigências, a necessidade de exame antidoping nos melhores pontuados em suas principais seletivas. A partir de agora, no entanto, essas determinações ficam ainda mais rígidas. As novas determinações entram em vigor a partir da Expointer e valem para a temporada 2016.
Existe inclusive um esforço conjunto empreendido por essas entidades com a intenção de criar um documento de bem-estar animal em competições, apoiado pelo senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que será transformado em projeto de lei. O objetivo é estabelecer um amparo jurídico para o tema, já que atualmente não existe respaldo legal para essas situações.
Para o superintendente do Registro Genealógico da ABCCC, Rodrigo Teixeira, a associação está evoluindo nesse sentido justamente para proteger a raça e a sua seleção. “Considero que as decisões aprovadas estão entre as mais importantes que já tomamos nas últimas décadas em relação aos regulamentos, visando a longevidade das nossas provas de seleção e esporte”, diz.
Teixeira salienta ainda que a ABCCC participou da criação de um manual de Práticas de Bem-Estar Animal em Competições promovido pela Câmara Setorial de Equideocultura do Ministério da Agricultura e que, além da adequação nos regulamentos, ainda irá promover ações como aplicar placas com dicas de bem-estar nas cocheiras e disponibilizar fiscais em seus eventos.
Novas determinações
- A partir do ciclo 2016, será proibida a continuidade da participação do conjunto caso seja constatado pelos Jurados ou pelo Inspetor Técnico responsável, qualquer tipo de sangramento no cavalo, mesmo o que não seja causado pela ação direta do ginete, implicando em sua desclassificação da prova, em qualquer modalidade;
- Os animais que atestarem positivo no exame antidoping, ficarão impedidos de participar de quaisquer das modalidades desenvolvidas pela ABCCC durante o ciclo em que o fato ocorrer. Para o caso de atestarem positivo durante as provas finais da modalidade, a punição se estenderá até transcorrer a próxima final;
- Animais que forem retirados das provas mediante apresentação de atestado médico veterinário ficam proibidos de participar de qualquer modalidade funcional durante 30 dias, a contar da data do término do evento em questão;
- Todos os participantes da final do Freio de Ouro 2015 e das classificatórias do próximo ciclo da modalidade terão que indicar, no ato de sua inscrição, um responsável pelo animal com o seu respectivo contato;
- A partir do ciclo 2016, os animais premiados nas Exposições Morfológicas Passaporte também serão submetidos a coleta para realização de exame antidoping.

Qualidade da raça Crioula é destaque nas Prévias da Morfologia

A chuva deu uma trégua e a presença do sol colaborou para as Prévias da Morfologia neste sábado, dia 25 de julho, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). A programação iniciou na quinta-feira, dia 23. Foram selecionados 70 animais e 20 ficaram na reserva.

Evento definiu últimas vagas para a exposição que ocorre durante a Expointer 2015 (Foto: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação)

A qualidade dos exemplares chamou a atenção. Segundo o técnico avaliador, Leandro Amaral, a evolução da raça Crioula é muito grande e em todas as categorias são animais excepcionais. “A raça está de parabéns pelo preparo muito bom e profissionalismo dos criadores”, afirma.
Amaral também destaca a novidade em realizar uma prévia conjunta, experiência já ocorrida na FICCC em março deste ano na Argentina. “Fica mais fácil selecionar os animais concentrados em um mesmo local, com a mesma qualidade de pista e clima”, salienta. Também participaram da avaliação Carlos Loureira de Souza, Fabio Muricy Camargo e Jorge Rosas Demiate Junior.
O vice-presidente de Eventos da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Luís Rodolfo Machado, também reforça a qualidade dos animais escolhidos na prévia da Morfologia. “São animais de muita expressão que se juntarão aos já classificados para o Passaporte e os que estavam aprovados para a FICCC”.  A expectativa de Machado é de que a Expointer será de grande nível e qualidade.
A Morfologia da Expointer ocorrerá entre os dias 31 de agosto e primeiro de setembro no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. O julgamento este ano ficará à cargo de Vinícius Guedes Freitas.
fonte ABCCC

Confirmados os trios de jurados da final do Freio de Ouro

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 23 de julho, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) definiu os dois trios de jurados que serão os responsáveis pela avaliação dos conjuntos para a grande final do Freio de Ouro, entre os dias 27 e 30 de agosto, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). O encontro contou com a participação da diretoria executiva e dos membros do Conselho Deliberativo Técnico e da Comissão de Provas Funcionais da entidade.
Nas fêmeas, o julgamento ficará a cargo de Francisco Martins Bastos Sobrinho, Jorge Rosas Demiate Junior e Lauro Varela Martins. Já André Luiz Narciso Rosa, Eduardo Neto de Azevedo e Fábio Muricy Camargo serão os responsáveis pela avaliação dos machos. Douglas Gonçalves é o reserva da categoria fêmeas e Telmo Ferreira fica como o reserva nos machos.
A ABCCC definiu também o ranking de finalistas do Freio de Ouro. A lista apresenta os 104 conjuntos que garantiram vaga na decisão da modalidade. Além das 12 classificatórias do ciclo, também poderão participar da final os quatro primeiros colocados em cada categoria do Freio de Ouro da Exposição da Federação Internacional de Criadores de Cavalos Crioulos (Expo FICCC), realizada em março deste ano na Argentina. A lista pode aumentar caso os campeões de 2014, Destaque da Maior e Jotace Tranca, decidam defender o título.
O Ranking pode ser acessado no site da ABCCC (http://www.cavalocrioulo.org.br/eventos/rankings/).

Encruzilhada do Sul tem morfologia em outubro

O Núcleo Encruzilhadense de Criadores de Cavalos Crioulos promove entre os dias 16 e 18 de outubro sua 3ª Exposição Morfológica. O evento inicia na sexta-feira, dia 16, como concentração de machos, o sábado, dia 17 é a vez da prova morfológica e no domingo (18) haverá campereada e comercialização de cavalos crioulos.

Programação
16/10 – Sexta-feira 09:00 Revisão Coletiva
14:00 Concentração de Machos

17/10 – Sábado 8:00 Admissão Animais
9:30 Inicio 3ª Exposição Morfológica
12:00 Almoço
13:30 Continuação Exposição Morfológica
17:00 Escolha Dos Grandes Campeões
18:00 Coquetel e Entrega de Prêmios

18/10 – Domingo 9:00 Comercialização Cavalos Crioulos – Realização NECCC
14:00 Campereada

Técnico Responsável: Carlos Marques Gonçalves Neto
Jurado Morfologia: Felipe Maciel
Informações e Inscrições: Marcio Cassini(51)95041647 – marciocassini82@hotmail.com ;
Tiago Riegel (51)99533067 – tiagoriegel@hotmail.com
Robert Ribeiro (51)99951757 – robert.crioulo@hotmail.com

Imagens Gaúchas em Bora Bora

Os cachoeirense Rosane e Sérgio Bartmann, mandaram uma foto com a revista Imagens Gaúchas na ilha de Bora Bora, na Polinésia Francesa. A viagem do casal é comemorativa aos 30 anos de casados. A revista foi  na viagem para leitura e também para divulgar as tradições do Rio Grande do Sul e o Cavalo Crioulo, pois eles deixarão por lá o exemplar da revista.

Saiba Mais

Bora Bora é uma ilha do grupo das Ilhas de Sotavento do arquipélago de Sociedade na Polinésia Francesa, um território ultramarino francês localizado no Oceano Pacífico. A ilha, de origem vulcânica fica entre Austrália e América.

 

Profissionalização no campo requer gestão qualificada de cabanhas

No meio dos equinos, com valorizações constantes nos preços de animais e crescimento de negócios, é importante os criadores terem noção de que realizar a administração de uma cabanha precisa ser muito próxima ao que é uma empresa. Por isso o Centro Gaúcho de Formação em Equinocultura (Cegafe) promove entre os dias 23 e 26 de julho a segunda edição do ano do curso de Administração de Cabanhas. Durante os quatro dias, os participantes estarão com
 especialistas de diversas áreas abordando temas que podem auxiliar no desenvolvimento do trabalho na propriedade. O curso será realizado na Cabanha Sabiendas, em Viamão (RS).
Conforme o diretor do Cegafe, Daniel Schneider, o curso serve como uma espécie de preparação para novos administradores e reciclagem para os mais experientes. “O objetivo do curso é preparar, capacitar e reciclar, novos criadores e criadores já com experiência para as mudanças do agronegócio equestre. Novas tecnologias de criação e manejo estão surgindo e o público precisa se atualizar”, salienta.
Schneider lembra que o curso tem espaços dedicados desde a área técnica e de manejo até a parte de gestão e marketing. “A ideia é entender e conhecer as formas de manejo de saúde e bem-estar animal, além de saber organizar a gestão administrativa. E o principal é saber adequar tudo isso às relações de trabalho e interpessoal entre os colaboradores”, observa.
Segundo o diretor do Cegafe, para o administrador ter uma boa gestão da sua cabanha é importante que o criador tenha noção de três pilares básicos: saúde animal, planejamento estratégico e gestão financeira. “Na minha opinião é o que vai sustentar todo o trabalho a ser desenvolvido. Tendo o domínio destes fatores ele poderá comandar o negócio, mas nunca esquecendo as características de um líder”, salienta.
No quesito saúde animal, Schneider observa que o administrador precisa estar atento com itens como nutrição, pastagens, manejo reprodutivo e cuidados com manadas à campo e cavalos à galpão, pois será quem vai tomar as principais decisões e fazer os investimentos em insumos, além de decidir a equipe de trabalho. Já em relação ao planejamento estratégico, o diretor do Cegafe avalia como um dos principais ítens para o equilíbrio da cabanha. “A partir daí se decide a genética que será seguida, é necessário conhecer as famílias dos animais que serão trabalhados, qual modali
dade será o foco, número de éguas no plantel e garanhões que serão utilizados, entre outros fatores”, ressalta.
Schneider destaca também que na gestão financeira o administra
dor precisa ficar de olho e se familiarizar com termos como custo fixo, custo variável e preço. “Nesta hora que o proprietário saberá o quanto gasta e aliado ao planejamento estratégico o criador poderá saber quais serão os ganhos com os seus produtos. Ele saberá o quanto investe em um potro, o quanto é importante em termos genéticos e a que preço ele pode chegar”, explica.
Mais informações e inscrições podem ser obtidas através do link www.cegafe.com.br.
Ministrantes do curso
Manejo Nutricional – Ricardo Larrosa (diretor comercial da SUPRA, médico veterinário e doutor em Nutrição de Equinos)
Manejo Reprodutivo e Sanitário – Eduardo Malchitsky (doutor em Reprodução pela UFRGS e professor da Ulbra)
Manejo de Pastagens – Caroline Feijó (engenheira agrônoma)
Manejo de Manadas e Galpão e Análise Morfológica Para Compra dos Animais – Marcelo Montano Coelho (médico veterinário e técnico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos)
Gestão de Equipes de Trabalho – Daniel Schneider (psicólogo e pós-Graduado em Psicologia Organizacional)
Gestão Financeira – Márcio Gonçalves (administrador de empresas)
Gestão de Marketing – Thales Silveira (gerente de Marketing da Trajano Silva Remates)
Relação com a Mídia – Nestor Tipa Júnior (jornalista, diretor de planejamento da AgroEffective)
 

Exposição de Brasília entrega os últimos passaportes do ciclo

Baioneta da Rossato, filha de Herói do Recanto Crioulo e Ok Revolta; criador e expositor Fabrício de Assis Rossato, cabanha do Rossato, Curitiba/PR (Foto: Fagner Almeida)

O julgamento da Exposição Morfológica Passaporte de Brasília (DF) garantiu a ocupação de mais quatro vagas na Expointer 2015. A partir de agora, com o circuito de Exposições Passaporte encerrado, a única chance de conseguir a habilitação será na prévia de Esteio (RS). As últimas vagas via passaporte foram preenchidas na mostra realizada na quinta-feira, dia 16 de julho, em evento realizado pelo Núcleo de Criadores do Distrito Federal no Parque da Granja do Torto.
A Exposição teve o julgamento de Carlos Loureiro de Souza que, entre os 47 animais participantes, indicou os quatro ocupantes das vagas. As escarapelas que premiaram os melhores animais deram o passaporte à Grande Campeã e Melhor Exemplar da Raça, Baioneta da Rossato, à Reservada Grande Campeã Yasmin do Amanhecer e ao Grande Campeão e o Reservado, respectivamente, Inquisitor 1490 Maufer e Leão Rei da Bela Aliança.
Na avaliação do jurado, o nível dos candidatos foi elevado o que valorizou ainda mais a conquista dos vencedores, principalmente na categoria machos. “Me surpreendeu o nível dos machos, pela quantidade de animais de muito boa qualidade. Todas as categorias tiveram animais competitivos, inclusive ficando de fora alguns exemplares em condições de estar na Expointer”, diz.
Souza ainda comentou a respeito dos Grandes Campeões, aos quais caracterizou como animais de ótimas virtudes. “A égua se destacou desde a primeira entrada em pista, é um animal moderno, retangular, com linha superior bastante correta, bons aprumos e que por todas essas qualidades foi escolhido o Melhor Exemplar da Raça. O potranco, assim como a égua, é um animal muito correto, bastante equilibrado para a sua idade, retangular, com uma frente bonita e boa garupa”.
A Exposição, supervisionada pelo técnico da ABCCC Luciano Passos, integrou a programação da classificatória de Brasília ao Freio de Ouro que começa na sexta-feira dia 17 e vai até o domingo 19. O circuito de Morfologias Passaporte tem o patrocínio de Vetnil e Supra.
Confira o resultado
Fêmeas
Melhor Exemplar da Raça, Grande Campeã e Campeã Égua Menor
Baioneta da Rossato, filha de Herói do Recanto Crioulo e Ok Revolta; criador e expositor Fabrício de Assis Rossato, cabanha do Rossato, Curitiba/PR
Reservada Grande Campeã e Reservada Campeã Égua Menor
Yasmin do Amanhecer, filha de BT Lamborguine e Cullaima Aleta; criador e expositor Fábio Bellotti Moura, cabanha Nova Querência, Brasília/DF
3ª Melhor Fêmea e Campeã Potranca Menor
Maragata da Bela Aliança, filha de Hijo Bueno da Reconquista e Capanegra La Boehme; criador e expositor Francisco Carlos Habowsky, cabanha Bela Aliança, São Bento do Sul/SC
4ª Melhor Fêmea e Reservada Campeã Potranca Menor
DKP Honraria, filha de DKP Embaixador e Ibérica da Escondida; criador e expositor Délcio Rodrigues Pereira, Haras Anchieta, Gama/DF
Machos
Grande Campeão e Campeão Potranco Menor
Inquisitor 1490 Maufer, filho de Piraí 1569 do Brazão e OBS Bailanta; criador Maurício e Fernando Lampert Weiand e expositor Luiz Carlos Maeda, cabanha Santa Larissa, Itaporanga/SP
Reservado Grande Campeão e Campeão Cavalo Menor
Leão Rei da Bela Aliança, filho de Viragro Rio Tinto e Temperada do Pinhal; criador e expositor Francisco Carlos Habowsky, cabanha Bela Aliança, São Bento do Sul/SC
3º Melhor Macho e Campeão Cavalo Adulto
CLJ Dunga, filho de Las Callanas Deudor e JA Opera; criador Gustavo Lessa Jung e expositor Felipe Takis da Costa, cabanha FTakis, Montes Claros de Goiás/GO
4º Melhor Macho e Reservado Campeão Cavalo Menor
Imbatível da Cabanha Santa Fé, filho de Índio do Boeiro e Abençoada de Santa Edwiges; criador e expositor Gilberto Rodrigues de Freitas, cabanha Santa Fé, Taquara/RS
Fotos: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação
Texto: Douglas Saraiva/ABCCC

ABCCC ajuda na divulgação da Imagens Gaúchas

 

Além de ser uma fonte imprescindível para a realização de reportagens e coberturas fotográficas a Associação de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) também ajuda a divulgar das ações da revista. Hoje o site da ABCCC trás uma matéria sobre a produção da edição de setembro da revista e seu alcance na versão digital, para tablets e smartphones. Agradecemos o apoio da associação.

1º Angus de Outono mostra força da raça

No último sábado (23) foi realizado o 1º Angus de Outono promovido pelo Núcleo Centro Angus, no Parque do Sindicato Rural de Cachoeira do Sul. Evento este marcado pela complementariedade, ou seja, iniciou pela manha com conteúdo técnico, seguido de intervalo ao meio dia para integração e, à tarde, a classificação dos lotes e remate.

As palestras foram realizadas no Auditório da Fenarroz e contaram com a presença de 170 participantes, entre eles criadores, estudantes e técnicos do setor. A presença no evento é oriunda de 17 municípios e 03 estados da federação.  O presidente da Associação Brasileira de Angus, Dr. José Roberto Pires Weber, realizou a abertura expondo o bom momento que vive a Raça Angus no cenário nacional. Na sequência, oMed.Vet Fernando Velloso demostrou que o melhoramento genético está em constante evolução e que, atualmente, os produtores devem estar atentos para usufruirdos benefícios prestados por esta tecnologia. No encerramento, oEng. Agr. Martim da Luz falou sobre a pecuária de precisão que,quando bem conduzida, é competitiva até mesmo com a agricultura.

Os estudantes da Escola Técnica presentes no evento haviam participado de uma “Gincana Angus” (prova contendo 30 questões sobre as características da raça), aplicada pela ProfªZootec Carina Zanon, na semana anterior. Os vencedores foram: Eduarda da Silva Pogorzelski (1ª), Lidiane Menezes Stahl (2ª), Bruno Bittencourt (3º) e Eliane Domingues (3º).

Na primeira hora da tarde foi realizado o julgamento de classificação dos 53 lotes participantes. Os jurados da mostra foram os Drs. Fernando Velloso e Luiz Walter Leal Ribeiro, cujos resultados foram:

  • Melhor Lote de Machos Angus: Lote 01, terneiros com 254kg, Agropecuária JH, de Juliana Hoerbe.
  • Res. Melhor Lote de Machos Angus: Lote 18, novilhos com 333kg, Chácara da Fonte, de Paulo Almeida.
  • Melhor Lote de Fêmeas Angus: Lote 34, novilhas com 251kg, Cabanha Casco Negro, de Volnei Nemitz.
  • Res. Melhor Lote de Fêmeas Angus: Lote 36, novilhas com 335kg, Cabanha Casco Negro, de Volnei Nemitz.
  • Melhor Lote de Fêmeas Angus Registradas: Lote 40, 38 vacas  prenhes, Cabanha Passo Largo, de Norberto Feldmann.
  • Res. Melhor Lote de Fêmeas Angus Registradas: Lote 53,  terneiras PO, da Fazenda São João, de João Marcos Felix Rocha e flia.

O Remate foi conduzido pelo experiente Leiloeiro Ênio Dias dos Santos e os escritórios responsáveis pela venda foram Centauro Remates e Querência Negócios Rurais. O total da oferta foi de 437 cabeças das quais foram comercializadas 352 (80,5%) pelo valor médio de R$1.649,00 por cabeça. O faturamento do remate foi de R$580.680,00 superando as expectativas de meio milhão de reais. Entre os lotes vendidos com boa cotação estão os Terneiros Angus, com média geral de R$ 6,32, e os Novilhos Angus, por R$ 5,37.

O Diretor de Marketing e Eventos do Núcleo, Eng. Luis Henrique Sesti comentou: “Sucesso de público e vendas, está de parabéns o Angus de Outono, consolidando mais um grande evento do Núcleo Centro Angus”!

O Med. Vet. Fabrício Lima do Escritório Rural Centauro sintetizou o evento Angus de Outono:“um evento que revolucionou a região central, trazendo novas informações e motivando produtores em busca de melhores resultados na pecuária. Em pista a raça angus mostrou em valores e liquidez o motivo por qual é líder de mercado”.

O Escritório Querência Negócios Rurais, através do Sócio Proprietário Luís Geraldo relatou: “Ficamos satisfeitos com a parceria de trabalho com o Núcleo Centro Angus neste evento de sucesso, que atraiu clientes de todas as regiões do estado, graças à excelente qualidade dos animais apresentados no leilão. Uma parceria que pretendemos manter ao logo dos próximos anos em grandes eventos de sucesso”.

Como perspectivas, o Presidente do Núcleo Dr. Dimas Rochatambém deixou a sua palavra: “Acredito que a comunidade respondeu ao chamado e assim aumentou a nossa responsabilidade em dar continuidade à difusão de conhecimento, aumento de produtividade e evolução da pecuária regional”.

Fonte: Assessoria Agropecuária FFVelloso& Dimas Rocha

Cachoeira quer ser capital do Hampshire Down

Cachoeirenses na Fenovinos dominaram na raça Hampshire Down

A Associação de Criadores de Hampshire Down de Cachoeira do Sul encaminhou à Câmara de Vereadores da cidade um pedido para que o município seja reconhecido como a Capital Nacional do Hampshire Down. Segundo Alexandre Cassol, presidente da associação, Cachoeira do Sul tem o maior número de cabanhas selecionadores da raça, que são 13, tem o maior rebanho de animais registrados do Brasil, com cerca de 2 mil exemplares e o maior rebanho geral, com mais 16 mil animais.

Além disso, a genética do município é a mais premiada nas feiras pelo estado, e esta genética é referência no Brasil, tendo em vista que compradores de todo o pais adquirem reprodutores e matrizes das cabanhas cachoeirenses. Nos últimos cinco anos o desenvolvimento da raça em Cachoeira do Sul cresceu muito, um reflexo disso é que a raça já é pelo segundo ano consecutivo a mais numerosa da Feira Agropecuária de Cachoeira do Sul (Feapec), superando a raça texel, que teve anos de hegemonia.

Conforme Cassol, este desenvolvimento se deve às características da raça. “São animais de fácil manejo, que de adaptam bem, são versáteis, as fêmeas são ótimas mães e o custo para iniciar uma criação fica bem abaixo de outras raças, proporcionado que o criador inicie com animais de alta qualidade”, explicou.

Outro grande diferencial da raça é o sabor de sua carne. “O Hanpshire é insuperável quando falamos em sabor e peso de carcaça. É a única carne ovina que possui marmoreio, assim como o Angus bovino. Na frança, foi considerada a melhor carne ovina do mundo”, destacou.

A criação de Hampshire em Cachoeira do Sul iniciou nos anos 90, como Nelson e Daniel Benemann, Victor Braatz e Raul Kampf.

 

Cabanhas Cachoirenses

Cabanha Acácia Imperial

Fazenda Lermen

Cabanha Tchebunga

Fazenda Daise

Cabanha Sanga Funda

Cabanha Horizonte

Cabanha Alirio Bonfante

Cabanha índio Veio

Cabanha São João

Cabanha Lomba Grande

Cabanha Geribá

Cabanha Rio Branco

Agropecuária Dois Irmãos

 

 

 

 

Saiba mais

 

A raça Hampshire Down teve como berço os condados de Wilts, Hants e Dorset, no sul da Inglaterra, região bastante fértil e levemente ondulada, conhecida popularmente como West Downs. Os seus ancestrais eram ovinos primitivos que pertenciam a duas raças: Wiltshire e Berkshire Knots. Os Wiltshire eram grandes, com cara e patas sem lã e com chifres recurvados para trás, os Berkshire Knots possuiam a cara e as patas negras. Ambas apresentavam animais de corpo estreito, com pernas longas, prolíferos, rústicos mas com pouca cobertura muscular. Procurando melhorar a aptidão carniceira destes ovinos, os criadores aperfeiçoaram o sistema de alimentação e iniciaram os cruzamentos com a raça Southdown, que foi introduzida nos rebanhos Wiltshire e Berkshire no início do século XIX. A partir de 1845 o conceito de precocidade, qualidade e engorde modificou o sistema de criação, iniciando

o aperfeiçoamento desta raça, cujo principal cultor na época foi Mr. Wm. Humphries, que conseguiu fixar um tipo bastante uniforme mediante o emprego de consanguinidade. Em 1889 foi criada na Inglaterra a “HAMPSHIRE DOWN SHEEP BREDERS ASSOCIATION”, com sede em Salisbury, e em 1890 editou-se o primeiro Flock Book do Hampshire Down.

Cabanhas de Cachoeira na Fenovinos

Oito cabanhas de Cachoeira do Sul vão em busca de títulos na 27ª Fenovinos, que acontece a partir desta quarta-feira em Caçapava do Sul. O evento é considerado pelos ovinocultores uma prévia da Expointer. Estão confirmados na feira 333 animais, de 85 expositores do Estado. As cabanhas cachoeirenses levarão 43 animais de quadro raças, Corriedale, Romney Marsh, Hampshire Down e Texel. Da cidade, participarão: Cabanhas dos Pinheiros, de Paulo Schwab, Cabanha Horizonte, de Frederico Pedroso, Cabanha Alto da Boa Vista, de Edson Luis da Rosa Silva, Cabanha São João, de João Augusto da Costa e Silva júnior, Cabanha Dois Irmãos, de Rafael Lisboa, Cabanha Dona Rosa, de Iraja Pedroso Figueiredo, Cabanha Pitt Bul, de Pio Valdir Roos da Silva e Fazenda Lermen, de Renato Lermen.

A raça texel será a mais numerosa entre os cachoeirenses, com 26 animais, os ovinos da raça Hampshire Down contarão com 12 animais de Cachoeira.

.

Saiba Mais

A 27ª Fenovinos tem início no dia 20 deste mês, e acontece na sede do Sindicato Rural de Caçapava do Sul, promotor do evento, e que conta com o apoio da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos – ARCO. Os que forem acompanhar os julgamentos de classificação, que ocore na sexta-feira, vão poder conferir, em pista, as raças Merino Australiano, Ideal, Corriedale, Romney Marsh, Hampshire Down, Texel, Ile de France, Suffolk, Poll Dorset, Dorper, White Dorper, Texel Naturalmente Colorido e Ile de France Naturalmente Colorido

 

Cachoeira na Fenovinos

CORRIEDALE

Cabanha dos Pinheiros – 2 de galpão

ROMNEY MARSH

Cabanha Horizonte – 2 de galpão

Cabanha Alto da Boa Vista – 1 de galpão

HAMPSHIRE DOWN

Cabanha São João – 5 de galpão

Cabanha Dois Irmãos – 4 de galpão

Fazenda Lermen – 3 de galpão

TEXEL

Cabanha Dona Rosa    – 9 de galpão e 2 trios rústicos

Cabanha Dos Pinheiros – 7 de galpão

Cabanha Pitbull – 2 de galpão

TEXEL COLORIDO

Cabanha Pitbull – 1 de galpão

Cabanha Dona Rosa – 1 de galpão