Cavalo Crioulo registra crescimento de 8,97% no Tocantins

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A raça Crioula vem registrando ao longo dos últimos anos uma grande expansão em todo o território brasileiro. Dados da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) apontam que o número de animais da raça, em 2016, cresceu 4,35% no país, com 480,65 animais registrados segundo a entidade. No Tocantins, a evolução no ano passado foi de 8,97% com 413 animais registrados.
No sentido de ampliar esta participação, os criadores e interessados no Cavalo Crioulo realizam o primeiro encontro Cavalo Crioulo do Tocantins, que acontece no próximo sábado, dia 29 de abril. Com o apoio da ABCCC, o evento contará com palestras sobre morfologia e mercado. A realização é da Fazenda Tertúlia localizada em Lagoa da Confusão (TO), onde ocorrerá o evento a partir das 9h.
O analista de expansão da ABCCC, Gérson de Medeiros,  que será um dos palestrantes do evento afirma que esse encontro, além de ser uma demanda de alguns criadores e usuários de cavalos no Estado, também será o momento da formalização do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do Tocantins. O grupo já existe há algum tempo mas não de forma oficial. “Havia muita demanda da presença da ABCCC em alguns eventos estaduais. O principal intuito da ida a Tocantins é reunir esses criadores, ver as suas principais necessidades e formalizar os documentos do Núcleo junto à ABCCC”, explica.
Segundo Medeiros, o outro palestrante, o inspetor técnico da Associação, Thiago Persici, vai trabalhar com a questão de preparo morfológico, o que está se exigindo hoje da raça e o que os jurados pedem. “Inicialmente vou fazer a parte teórica do encontro, falando sobre a ABCCC, as novas modalidades, números e o momento atual da entidade. E Persici vai trabalhar a parte prática e teórica da morfologia, sanando dúvidas dos participantes”, destaca.
O vice-presidente de Núcleos da ABCCC, Fabrício Rossato, também estará presente no evento. Medeiros salienta que o encontro servirá ainda para discutir projetos a longo prazo com o objetivo de estimular e organizar eventos oficiais da raça no Tocantins. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (63) 99984-1439 ou pelo e-mail procampo.to@gmail.com.
Texto: Rejane Costa e Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Ciclo de Exposições Passaporte chega à Uruguaiana

Foto: Everton Souza Marita/ABCCC/Divulgação

Seguindo o roteiro de Exposições Passaportes que classificam animais para a Morfologia na Expointer, o município de Uruguaiana (RS) recebe o evento que será realizado nos dias 28 e 29 de abril no Parque de Exposições Agrícola e Pastoril. A promoção é do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Flávio Bastos Tellechea com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
De acordo com o presidente do Núcleo, Manoel Francisco Zirbes Rodrigues, a expectativa é de reunir mais de 60 exemplares em pista para disputar oito vagas – quatro machos e quatro fêmeas – para a Exposição no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). Também é esperada uma disputa de alto nível nos dois dias de evento. “Esperamos uma qualidade ótima de animais em pista. Como Uruguaiana é um dos polos da raça Crioula, acreditamos que será uma exposição muito importante”, analisa.
Rodrigues reforça que, sendo Uruguaiana um dos municípios do Rio Grande do Sul com reconhecidos criatórios do Cavalo Crioulo, há também espaços para o crescimento de usuários de animais da raça em eventos promovidos pela ABCCC. O dirigente explica que este aumento de participantes já é visto nas provas realizadas pelo núcleo. “Fizemos uma prova de Paleteada estes dias onde tivemos o maior número de inscrições de uma credenciadora”, ressalta.
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Maior Crioulaço de todos os tempos é decidido na madrugada

Fotos: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

Durante três dias, a pista do Cavalo Crioulo no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), foi ocupada por 1.183 conjuntos que buscaram o título em 12 categorias na final nacional do Crioulaço, modalidade promovida pela Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), que teve seu encerramento neste domingo, dia 23 de abril. Foram mais de 16 horas ininterruptas no último dia que definiu os campeões do ciclo e distribuiu mais de R$ 70 mil em prêmios. Competidores de todo o país disputaram armada a armada o lugar mais alto do pódio na competição que reúne o maior número de adeptos da raça Crioula.
Só a Força A, que reuniu os principais laçadores do país, a prova durou cerca de cinco horas e invadiu a madrugada de segunda-feira, dia 24 de abril. Três duplas disputaram volta a volta, em um total de 42 armadas, o topo do pódio. No final decidiram interromper a competição e dividir a premiação em dinheiro. Pelos critérios decididos pelos próprios laçadores em conjunto com a organização, a dupla Luan da Silva e Aquiles Pereira ficou em primeiro lugar, enquanto Anderson Silva e Marcos Leandro dos Santos ficaram na segunda colocação e Alan Soares e Taian de Ávila na terceira posição.
Luan da Silva, que veio de Caxias do Sul (RS), que competiu com Aquiles Pereira, do Estado de Santa Catarina, afirmou que a competição foi acirrada e que o título representa um feito para a carreira. “Para nós é uma grande honra estar participando do Crioulaço e se consagrar campeão. O nível foi alto e o gado de qualidade proporcionou grande dificuldade”, explica.
Novidades para o ano, os primeiros lugares nas categorias femininas elegeram a rainha e a princesa do laço no Cavalo Crioulo. A princesa foi Daniele da Costa, de 10 anos, de Sapucaia do Sul (RS). A menina, que laça desde os 4 anos de idade, se disse feliz pelo título e agradeceu o incentivo da família para participar das provas da categoria. “Meus pais e eu ficamos muito felizes”, resumiu.
Já a rainha do laço foi definida em uma disputa acirrada entre as laçadoras. No fim o título ficou com Maria Eduarda Krewer, de 16 anos, que veio de Triunfo para a competição. “É um grande sonho, pela primeira vez que venho no Crioulaço mas sempre acompanhava. Agora saio com o sonho realizado”, afirma, acrescentando que, incentivada pelo pai, monta à cavalo desde os 2 anos de idade e laça desde os 4 anos.
O presidente da ABCCC, Eduardo Suñe, enfatiza que as provas de laço tem sido importantes para alavancar o Cavalo Crioulo em todas as regiões do país, especialmente com o crescimento de usuários, nos quais os exemplares da raça vem obtendo resultados importantes nas pistas também do Centro e Norte brasileiro. “O laço é um dos esportes que mais cresce no Brasil e tem auxiliado muito a difusão da raça Crioula do Paraná para cima onde viemos mostrando o nosso cavalo e por isso estamos fomentando cada vez mais o Crioulaço. Estamos extremamente satisfeitos com o resultado deste final de semana”, analisa.
Confira os vencedores
FORÇA A
Luan da Silva montando Fiesta em Domingo do Pinhal e Aquiles Pereira montando MH Andino
FORÇA B
Bruna Teixeira montando Emblema da Cabanha Santa Fé e Leandro Reis montando Santa Adriana Osasco
FORÇA C
Dennis Lopes montando Fuzileiro do Sapato e Mauricio Maciel montando Galo de Briga do Sapato
LAÇO VETERANO
Sérgio Araújo montando Capoeira Cipreste
LAÇO IRMÃOS
Edilson Ferraz montando Santa Laura Gata Moura e Eduardo Ferraz montando Alaska da Lage da Pedra
LAÇO CRIADOR
Antonio Augusto Vieira montando Faca Afiada da Estância do Cavera
LAÇO PAI E FILHO
Beto Soares montando Democrata Do Diamante e Alan Soares montando Dom Castro Minha Flor
LAÇO PAI E FILHA
Beto Soares montando Democrata Do Diamante e Ariane Soares montando Gaita Da Boa Esperança
LAÇO PIÁ
Guilherme Vargas montando Candiero Da Dom Pedro II
LAÇO GURI
Mauricio Ribeiro montando Maria Bonita da Republica Crioula
LAÇO PRENDA – PRINCESA DO LAÇO (menos de 12 anos)
Daniele da Costa montando Serenata das Três Cambonas
LAÇO PRENDA – RAINHA DO LAÇO (mais de 12 anos)
Maria Eduarda Krewer montando Baita Mancha 624 Maufer
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Feriado movimenta mais de 1,5 mil inscritos em competições da raça Crioula

Foto: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

Durante o feriado de Tiradentes, diversos eventos movimentaram a raça Crioula pelo país. Entre a final do Crioulaço, exposições Morfológicas, Paleteada e credenciadoras ao Freio de Ouro, foram 1.585 inscritos que estiveram em pista conforme levantamento da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Segundo a entidade, provas como a final nacional do Crioulaço e a semifinal da Paleteada tiveram recordes de participantes.
Só no Crioulaço, ocorrido no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), foram 1.183 inscritos na final do ciclo. “Esse movimento da raça tem nos surpreendido. Desde o Bocal de Ouro vemos um crescimento de participantes e estamos muito contentes com os objetivos atingidos. Foi um final de semana fora de série para a raça Crioula e temos muito a agradecer aos criadores e usuários que vem participando dos nossos eventos”, enfatiza o presidente da ABCCC, Eduardo Suñe.
O dirigente lembra também do crescimento do número de usuários do Cavalo Crioulo, que são aqueles que adquirem animais para uso no lazer e em provas equestres. Suñe reforça a participação de famílias dentro das competições. “No Crioulaço, por exemplo, vimos o grande envolvimento das famílias que montaram acampamentos e que passaram um final de semana muito agradável, alegre e se divertindo. E o nosso objetivo é este, de trazer mais gente para dentro da raça Crioula, sendo cada vez mais democrático e menos burocrático”, reforça.
Além do Crioulaço, foi disputada também a semifinal do ciclo da Paleteada, em Rio Grande (RS) com 260 animais. Em Pelotas (RS), na Exposição Passaporte, foram 72 exemplares que disputaram as vagas para a Morfologia na Expointer. Também ocorreram credenciadoras ao Freio de Ouro em Vacaria (RS) e Campo Alegre (SC), onde participaram 40 e 30 conjuntos respectivamente.
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Ex-jogador da dupla Gre-Nal investe no Cavalo Crioulo

Fotos: AgroEffective/Divulgação

Ex-jogador da dupla Gre-Nal e de times do futebol mundial como Barcelona, da Espanha, e Sporting, de Portugal, Fábio Rochemback aos poucos vai trocando a vibração dos gramados pelo movimento das pistas do Cavalo Crioulo. No último final de semana o ex-volante, com passagem também pela Seleção Brasileira, esteve acompanhando de perto a final Nacional do Crioulaço, prova que reúne laçadores e que foi promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
Rochemback explica que depois de se aposentar dos campos decidiu olhar mais de perto as competições e investir em cavalos da raça Crioula. “Depois que parei de jogar futebol, comecei conhecendo pessoas que me influenciaram a investir na raça e estou gostando. Já tinha alguns animais e criava cavalos. Quando aparece algum animal bom estamos investindo, e todo o investimento é positivo. Espero seguir neste meio por muito tempo”, ressalta.
O ex-meio campista, que foi recebido pelo presidente da ABCCC, Eduardo Suñe, não descarta no futuro participar como criador de competições do Cavalo Crioulo. O Crioulaço, promovido pela associação, é a modalidade que mais reúne adeptos do Cavalo Crioulo. Na edição de 2017, finalizada no último domingo, dia 23 de abril, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), foram 1.183 inscritos nas nove modalidades do esporte equestre.
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Vistaço Tupambaé leva Redomão Cerro Frio

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

O tobiano Vistaço Tupambaé, montado pelo ginete Gustavo Ruas, foi o vencedor do 6º Redomão da Cabanha Cerro Frio, que aconteceu neste final de semana na sede da Cabanha em Pantano Grande/RS. O conjunto vencedor levou para casa um prêmio de R$ 25 mil. Na segunda colocação da prova vem a égua Cor do Pecado da Corunilha, com o ginete Luiz Gustavo Ruas. A terceira colocação ficou com a égua Simpatia de Santa Margarida, com o ginete Felipe Santos.

A prova de Doma da Cabanha Cerro Frio reuniu 41 conjuntos em dois dias de atividades onde foram premiados os 10 melhores. O julgamento das provas ficou a cargo de uma dupla de ouro, os ginetes Zeca Macedo e Raul Lima, ginetes de elite do Freio de Ouro. Juntos eles detém seis freios de ouro, quatro de Zeca Macedo e dois de Raul Lima. “Foi uma prova de alto nível técnico, com excelentes cavalos e ginetes, disse Lima. Para Macedo, o diferencial da prova, além da organização foi a grande quantidade de ginetes e cavalos de ótima qualidade”, explicou.

 

 

 

Colocação – Cavalos – Ginete -Proprietário

1º – Vistaço Tupambaé – Gustavo Ruas – Oswaldo Pons

2º – Cor do Pecado da Corunilha – Luiz Gustavo Ruas – Paulo A. Osório

3º – Simpatia de Santa Margarida – Felipe Santos – Marcos Chaves

4º – Parceria II chimarrão – João José Silveira – Gilberto Loureiro de Souza

5º – Grandeza de Los Brites – Marcos Vinicios da Silveira – Paulo Ricardo Brittes

6º – Joia Rara Da Reservada – Adriano Comunelo – João Carlos Medeiros

7º – Serrilhada Ostentação – Gustavo Ruas – Edson Paiva Junior

8º – Fofoqueira do Mako – Charles Lopes – Andreia Saraiva

9º – Camila de Santa Angélica – Alexandre Borges – Ramiro Costa

10º – Capanegra Uno Mas – Cristiano Soares Duarte – Fernando Pons

Raça Crioula vai definir campeões na prova de laço

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A modalidade que movimenta o maior número de participantes dentro do ciclo da raça Crioula definirá seus campeões no próximo final de semana. O Crioulaço, promovido pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) está de volta ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), de 21 a 23 de abril. Serão distribuídos aos vencedores das 12 categorias mais de R$ 70 mil em prêmios, a maior em todas as edições da competição.
A pista prevista para a competição será a do Freio de Ouro. Caso chova, as provas serão realizadas na pista P1. Conforme o coordenador da Subcomissão do Crioulaço, Fabiano Matter, o retorno da modalidade para o Parque de Exposições Assis Brasil será uma atração para os laçadores. “Hoje quando se fala em Cavalo Crioulo a primeira coisa que se lembra é a pista de Esteio. Só neste mérito de trazer para a pista do Freio de Ouro, que é o sonho de todo o competidor correr ali, já vai mobilizar os competidores para chegarem à grande final”, salienta.
Neste ano, a presença feminina deve crescer em relação a 2016, quando contou com a participação de seis laçadoras. A expectativa da organização é de que este número aumente para em torno de 20 a 30 mulheres. Matter, destaca que o Laço Feminino está muito movimentado na Grande Porto Alegre e no Litoral, e a partir disto surgiu a ideia de conceder uma boa premiação e aumentar a presença de mulheres no evento. O prêmio para esta modalidade no Crioulaço, com meninas acima de 12 anos, será de R$ 3.250 mil. “Com elas vem a família, filhos, pais, namorados, todos dando apoio. E o prêmio é um atrativo a mais”, salienta Matter.
As outras novidades este ano são a abertura de novas modalidades e divisão de outras. Foram criados os Laços Irmãos, Pai e Filho, Pai e Filha. As modalidades Laço Guri e Laço Feminino foram divididas conforme a idade dos participantes. Agora também tem o Laço Piá, com meninos até 12 anos, e o Laço Feminino que manteve o mesmo nome, mas terá dois grupos, um com meninas de até 12 anos e outro com as de idade acima desta faixa etária. Permanecem os Laços Criador e Veterano, assim como as Forças A e B. No entanto, Matter informa que outra novidade é a introdução da Força C. “A Força C é para o pessoal que laça menos. Para ir à final, basta concorrer apenas em um Crioulaço, não precisa ser classificado. Já para se classificar na B tem que laçar mais e na A mais ainda”, explica.
Um dos objetivos da ABCCC nesta gestão, juntamente com a Subcomissão do Crioulaço, é valorizar cada vez mais o laçador. Em reuniões realizadas pela equipe de trabalho da modalidade, a ideia é reforçar ainda mais a proximidade do público com o competidor. A busca pela melhoria no desempenho dos conjuntos e das duplas em pista e da valorização da prova é um dos grandes pontos avaliados até então. Em 2016, as provas de laço realizadas pela ABCCC reuniram 1245 duplas em 150 eventos ocorridos pelo país.
O Crioulaço vem mobilizando laçadores de todo o país. Na final do ano passado, por exemplo, os vencedores do circuito paulista de laço já estiveram presentes na competição e a expectativa é que novamente participem em 2017. Nos mais de R$ 70 mil distribuídos nos três dias de prova, serão R$ 25 mil para os vencedores da Força A, R$ 15 mil na força B e R$ 10,5 mil para os vencedores na Força C. As inscrições antecipadas com valores mais baixos estão abertas até esta segunda-feira, dia 17 de abril. As inscrições também podem ser feitas no dia e no local do evento. Informações no site www.abccc.com.br.
Confira a programação
21 de abril (sexta-feira)
8h – Recepção dos visitantes e convidados
9h – Início das inscrições das modalidades e entrega dos coletes
13h – Laço Veterano, Laço Irmãos e Laço Taça Integração GSW Reboques, Força A e Força B
20h – Tertúlia Livre
22 de abril (sábado)
8h – Laço Criador, Laço Pai e Filho, Laço Pai e Filha, Laço Piá, Laço Guri, Laço Feminino até 12 anos, Laço Feminino acima de 12 anos e Laço Dupla Oficial
12h – Almoço, Laço Dupla Oficial
19h – Abertura Oficial da Final Nacional do Crioulaço; Armada de Abertura (homenageados) e Ginetes do Freio de Ouro, Show
23 de abril (domingo)
8h – Finais das Modalidades
9h – Final Força C, B e A
Texto: Nestor Tipa Júnior e Rejane Costa/AgroEffective

Pelotas recebe Exposição Passaporte para a Expointer

Foto: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

De 20 a 22 de abril, o município de Pelotas (RS) recebe mais uma etapa Passaporte para a Final Nacional da Morfologia, que ocorre durante a Expointer, em Esteio (RS). O evento, organizado pelo Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos, será realizado na sede da Associação Rural de Pelotas e deve classificar mais oito exemplares – quatro machos e quatro fêmeas – para a decisão no Parque de Exposições Assis Brasil.
De acordo com o presidente do núcleo, Roberto Martins, a expectativa é de uma exposição de grande qualidade. Informa que esta é a quadragésima-quarta exposição de Outono realizada no município, que neste ano homenageia a ex-presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Elisabeth Amaral Lemos, com o nome do evento. “É uma grande criadora, que ocupou diversos cargos na ABCCC, uma grande pecuarista e uma liderança do setor que merece nossa homenagem”, salienta.
Região de tradicionais criatórios, Martins salienta que antigos criadores dividem espaço com os novos nomes na raça Crioula promovendo genética de qualidade. O dirigente ressalta também o grande número de usuários do cavalo na região que utilizam os animais para lazer e em outras modalidades equestres. “A raça não fica restrita às propriedades rurais. Qualquer bairro de Pelotas e das cidades que abrangem o núcleo, tem Cavalo Crioulo presente”, observa.
O julgamento ficará a cargo de Mauro Raimundi Ferreira. Organizado pela ABCCC, o circuito da Morfologia 2017 conta com os patrocínios de Supra e Vetnil e também com o apoio da Laurentia. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo e-mail nucleosudesteccc@gmail.com ou pelos telefones (53) 3273.3414 e (53) 99999.2522.
Confira a programação
20 de abril de 2017 (quinta-feira)
15h – Concentração de Machos
19h – Remate Cabanha Mapuche
21 de abril de 2017 (sexta-feira)
7h – Admissão Técnica
10h – Julgamento da Categoria Incentivo
12h – Almoço no Núcleo
14h – Julgamento Morfológico (machos e fêmeas)
17h – Admissão de Animais a Campo
19h – Confraternização no Núcleo
22 de abril de 2017 (sábado)
9h – Continuação Julgamento Morfológico (animais a campo e castrados)
11h – Inauguração da Série “Monumentos ao Freio de Ouro”, de Fábio Cazaubon Soares
14h – Julgamento de Campeonatos e Grande Campeonato
19h – Confraternização e Entrega de Prêmios
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Bocal de Ouro premia trabalho de novos criadores da raça Crioula

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Um grande público compareceu ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), neste domingo, dia 9 de abril, para prestigiar a final do Bocal de Ouro, prova que classificou 16 cavalos Crioulos inéditos, que não correram o ciclo em outros anos, para a final do Freio de Ouro na Expointer, em agosto. A qualidade dos animais chamou a atenção, superando as expectativas. Entre os 96 participantes que iniciaram a disputa na última quinta-feira, dia 6, foram classificados oito machos e oito fêmeas.
Os grandes vencedores deste ano foram a égua AM Gaita, da Cabanha Sol Brilhante, de Frederico Westphalen (RS), montada pelo ginete Cláudio dos Santos Fagundes, entre as fêmeas. Já nos machos, o Bocal de Ouro ficou com o cavalo Harmonia Ultimato, da Fazenda Vitória, de Joinville (SC), conduzida pelo ginete Zeca Macedo.
Segundo o expositor da AM Gaita, Sérgio Augusto Amaral, para uma cabanha nova como a Sol Brilhante, é um momento muito especial receber a premiação máxima entre as fêmeas no Bocal de Ouro. Com apenas sete anos de existência, é a primeira vez que a cabanha participa do ciclo e com um animal de sua própria marca. “Nós elaboramos esse projeto com vários profissionais que nos deram assessoria. E em particular ressalto o apoio da família e das pessoas que convivem no dia-a-dia conosco”, salienta.
Para o expositor do Harmonia Ultimato, Anastácio Vitória, a emoção tomou conta com a conquista do Bocal de Ouro entre os machos. “Nós apostamos na genética, o cavalo é irmão inteiro do Harmonia Temprano, Bocal de Ouro 2014 e Freio de Ouro 2016, que correu com o mesmo ginete, fazendo um trabalho competente, ressalta.
O vice-presidente de Eventos da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Eduardo Azevedo, garante que a diretoria da entidade sai do Bocal de Ouro 2017 com o sentimento de dever cumprido. “ Foi uma prova muito importante que apresentou um alto nível como já era esperado, mas acabou superando as expectativas. Com certeza estão saindo animais para brigar no Freio de Ouro,” afirma.
A próxima classificatória ao Freio de Ouro será realizada em Montevidéu, no Uruguai, entre os dias 11 e 14 de maio. O circuito do Freio de Ouro 2017, organizado pela ABCCC, conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson e Ford. O apoio é da Supra.
Confira os classificados
FÊMEAS
Bocal de Ouro
AM GAITA
Criador: ANA MARIA BASTOS GIUDICE, QUARAÍ-RS
Expositor: SERGIO AUGUSTO AMARAL
Estabelecimento: CABANHA SOL BRILHANTE, FREDERICO WESTPHALEN-RS
Ginete: CLAUDIO DOS SANTOS FAGUNDES
Média: 21.208
Bocal de Prata
JEITOSA DO MANO A MANO
Criador: PAULO RONEI REALI E THIAGO MERCK REALI, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: PAULO RONEI REALI E THIAGO MERCK REALI
Estabelecimento: CABANHA CARPE DIEM, FAZENDA VILANOVA-RS
Ginete: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA
Média: 20.406
Bocal de Bronze
HERMOSURA DO CAPÃO RENDONDO
Criador: LUIZ CARLOS E ANTONIO CARLOS A. PY, BARRA DO RIBEIRO-RS
Expositor: ANTONIO CARLOS ALBUQUERQUE PY
Estabelecimento: CABANHA CAPÃO REDONDO, BARRA DO RIBEIRO-RS
Ginete: FÁBIO TEIXEIRA DA SILVEIRA
Média: 20.117
Bocal de Alpaca
JOTACE TENTEADORA
Criador: JOÃO JURACI CANTARELLI, URUGUAIANA-RS
Expositor: SAMANTHA STOLTE
Estabelecimento: AGROPECUÁRIA ALPHA, PORTO ALEGRE-RS
Ginete: VOLMIR SANTOS DE GUIMARÃES
Média: 19.899
5º Lugar
DENGOSA 45 NOMBRADO
Criador: GABRIELA ZANCANARO, PANAMBI-RS
Expositor: REGINALDO OLIVEIRA TAVARES
Estabelecimento: CABANHA DO DIAMANTE, CAPELA DE SANTANA-RS
Ginete: ADRIANO A. STRECK
Média: 19.889
6º Lugar
DOLORES DO PURUNÃ
Criador: MARIANO LEMANSKI, CURITIBA-PR
Expositor: MARIANO LEMANSKI
Estabelecimento: CABANHA SÃO RAFAEL, BALSA NOVA-PR
Ginete: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA
Média: 19.865
7º Lugar
AMBICIOSA DOS CASTANHEIROS
Criador: MIGUEL E RODRIGO SCARPELLINI CAMPOS, CRUZ ALTA-RS
Expositor: MIGUEL E RODRIGO SCARPELLINI CAMPOS
Estabelecimento: CABANHA DOS CASTANHEIROS, PEJUÇARA-RS
Ginete: CHARLES FAGUNDES
Média: 19.720
8º Lugar
RZ DAMA DE ORO II DA CARAPUÇA
Criador: RUBENS ELIAS ZOGBI, SÃO PAULO-SP
Expositor: RUBENS ELIAS ZOGBI
Estabelecimento: ESTÂNCIA DA CARAPUÇA, CRISTAL-RS
Ginete: LINDOR COLLARES LUIZ
Média: 19.641
MACHOS
Bocal de Ouro
HARMONIA ULTIMATO
Criador: HARMONIA AGRICULTURA E PECUÁRIA LTDA., SANTA VITÓRIA DO PALMAR-RS
Expositor: ANASTÁCIO VITÓRIA
Estabelecimento: FAZENDA VITÓRIA, JOINVILLE-SC
Ginete: JOSÉ FONSECA MACEDO
Média: 21.109
Bocal de Prata
FEITIÇO CAVALERA
Criador: RAFAEL GRIMM VAZ E ELIANA SUSSENBACH VAZ, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: EVERSON LUCIANO DA ROSA E NELSON LUCIANO DA ROSA
Estabelecimento: CABANHA ESTRIBEIRA, NOVO HAMBURGO-RS
Ginete: VOLMIR SANTOS DE GUIMARÃES
Média: 20.827
Bocal de Bronze
INFINITO DA CAMILA
Criador: MANOEL FRANCISCO ZIRBES RODRIGUES, URUGUAIANA-RS
Expositor: MANOEL ZIRBES RODRIGUES
Estabelecimento: CABANHA SANTA CAMILA, ALEGRETE-RS
Ginete: FÁBIO TEIXEIRA DA SILVEIRA
Média: 20.322
Bocal de Alpaca
PEÑAROL DA BOA VISTA
Criador: FAZENDA BOA VISTA, VACARIA-RS
Expositor: FAZENDA BOA VISTA
Estabelecimento: CABANHA BOA VISTA, VACARIA-RS
Ginete: FÁBIO TEIXEIRA DA SILVEIRA
Média: 20.273
5º Lugar
MADRUGADOR 532 DA RECONQUISTA
Criador: MARCELO TELLECHEA CAIROLI, URUGUAIANA-RS
Expositor: MARIA DA GLÓRIA E MARCELO TELLECHEA CAIROLI
Estabelecimento: RECONQUISTA AGROPECUÁRIA LTDA., ALEGRETE-RS
Ginete: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA
Média: 19.672
6º Lugar
INDIVIDUO DA CABANHA SANTA FÉ
Criador: GILBERTO RODRIGUES DE FREITAS, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: VICTOR BARBOSA PENNER
Estabelecimento: CABANHA GAMELEIRA, GOIÂNIA-GO
Ginete: EDUARDO WEBER DE QUADROS
Média: 19.657
7º Lugar
CAMPANA ZANGANO
Criador: MÁRIO MOGLIA SUÑE, BAGÉ-RS
Expositor: JOSÉ VALMIR SILVEIRA D AVILA
Estabelecimento: CABANHA JLV, SÃO GABRIEL-RS
Ginete: RAUL LIMA
Média: 19.606
8º Lugar
NIAZZI IMPROVISO
Criador: TIAGO ANTONIAZZI, SANTA MARIA-RS
Expositor: TIAGO ANTONIAZZI
Estabelecimento: CABANHA NIAZZI, SANTA MARIA-RS
Ginete: CÉZAR AUGUSTO SCHELL FREIRE
Média: 19.544
Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação
Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Cavalo Crioulo tem crescimento de 4,5% em Mato Grosso do Sul

Foto: Fagner Almeida/Divulgação

Mais uma vez o cavalo Crioulo apresentou crescimento em Mato Grosso do Sul. O Estado, que vem ganhando espaço no cenário da criação da raça, teve uma elevação de 4,52% na manada, com 2,62 mil exemplares, configurando-se no maior rebanho no Centro-Oeste, região brasileira que teve alta 7,27% em 2016 conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
De acordo com o presidente do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos em Mato Grosso do Sul, Eduardo Coelho, um dos principais motivos para este crescimento vem sendo a busca de animais por usuários dos cavalos para a disputa de provas equestres, especialmente para a modalidade do laço, que vem sendo um dos destaques na região. “Há um grande interesse do usuário do cavalo comprar o animal para estas provas, temos sentido um aumento de demanda nesta parte”, destaca.
Além disto, Coelho ressalta também o investimento dos criadores em genética de qualidade dos animais que hoje participam de mostras e exposições da raça Crioula, e isto tem também ampliado a imagem do cavalo Crioulo em Mato Grosso do Sul, que também vem sendo usado na pecuária extensiva pela sua habilidade e rusticidade no trabalho a campo. “Os níveis dos animais dos criadores do Estado vem crescendo ano a ano e esperamos uma projeção muito forte dos animais que são nascidos aqui”, ressalta.
Todo o trabalho desenvolvido pelos criadores poderá ser visto nos dias 1º e 2 de abril na Exposição Morfológica Passaporte de Campo Grande que ocorre no Parque Laucídio Coelho, sede da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), durante a edição da Expogrande. Os campeões garantem vaga no julgamento da Exposição Morfológica da Expointer, em Esteio (RS). O julgamento ficará a cargo de Luis Rodolfo Machado. Também será promovido no sábado, dia 1º de abril, o leilão Genética Aditiva.

Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Bocal de Ouro inaugura novo sistema de admissão dos animais

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Novidades vão marcar o Bocal de Ouro 2017, que ocorre entre os dias 6 e 9 de abril, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). O título será disputado entre 96, inéditos, cavalos Crioulos, sendo 48 machos e 48 fêmeas. Desses, 16 conjuntos podem garantir a classificação para a Final do Freio de Ouro durante a Expointer, em agosto.

 

O novo sistema de admissão dos animais está entre as novidades do evento deste ano. O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Eduardo Suñe, afirma que com foco no bem-estar animal, todos os exemplares da raça passarão por uma equipe de veterinários credenciada pela Federação Equestre Internacional (FEI). “Será realizado um exame mais detalhado dos animais para que tudo esteja de acordo com as normas de bem-estar animal”, explica.

 

Durante o evento também serão inauguradas melhorias na área de convivência da ABCCC dentro do Parque de Esteio para associados, criadores e usuários da raça. Segundo Suñe, atendendo a uma demanda dos associados, foram construídos novos banheiros, uma chapelaria e a cozinha foi reformada.

 

Entre as novidades, ainda tem o acréscimo de uma nova nomenclatura para o 4º lugar da prova, denominada Bocal de Alpaca. O mesmo valerá para o Freio de Ouro, ao lado dos três primeiros lugares, Bocal de Ouro, Bocal de Prata e Bocal de Bronze.

 

Suñe acredita em um Bocal de Ouro de sucesso, com animais muito competitivos e ressalta também como positivo o trabalho realizado pelo Conselho Deliberativo Técnico e diretoria da ABCCC na escolha dos trios de jurados. “Foram muito felizes ao mesclar jurados experientes com jurados novos que vêm atuando muito, a pedido dos Núcleos. Isso nos dá a certeza de um julgamento muito equilibrado e de um Bocal que novamente ficará na história da raça”, garante.

 

Os jurados das fêmeas serão João Luís Arísio, Vinícius Guedes Freitas e Guilherme Kempa Abascal. Segundo Arísio, a maioria dos animais que se destacam nesta prova chegam forte à Final do Freio de Ouro. O jurado diz que todos os anos a expectativa é sempre muito grande em cima desses animais e agora não será diferente. “A pontuação das fêmeas credenciadas para o Bocal é sempre elevada, com boas médias”, afirma.

 

Arísio também destaca o critério utilizado na escolha dos jurados, todos com bastante afinidade e o mesmo objetivo para o julgamento. “Isso faz com que se transforme numa expectativa de julgamento mais parelho, com boas notas e objetividade no que se espera de resultado nas pistas”, acrescenta.

 

Na categoria machos, serão jurados Luiz Alberto Martins Bastos, André Luiz Narciso Rosa e João Francisco Silveira. Para Bastos, a expectativa é sempre de que um Bocal de Ouro supere o outro. “A cada ano os animais devem estar melhores. A qualidade deles e do treinamento se refletem durante a apresentação nas provas”, salienta.

 

A programação do Bocal de Ouro 2017 inicia na terça-feira, dia 4, às 16h, com o Exame de Admissão dos animais, e a partir da quinta-feira, dia 6, começam os julgamentos. A entrada no Parque de Esteio para o evento até o domingo, dia 9, quando ocorre a fase final da prova e entrega de prêmios, é gratuita.

 

 

Confira a programação

 

4/4/2016 (terça-feira)

 

16h – Início do Exame de Admissão Expo Outonal e Bocal de Ouro

 

5/4/2016 (quarta-feira)

18h – Encerramento da entrada dos animais do Bocal de Ouro

20h – Encerramento do Exame de Admissão Bocal de Ouro

21h – Remate Carpe Diem e Mapocho

 

6/4/2016 (quinta-feira)

9h – Julgamento Morfológico do Bocal de Ouro (Fêmeas)

14h – Julgamento Morfológico do Bocal de Ouro (Machos)

21h – Remate Macanudo e Liberdade

 

7/4/2016 (sexta-feira)

8h – Andaduras/Figura/VSP/Esbarradas (Fêmeas)

13h – Andaduras/Figura/VSP/Esbarradas (Machos)

21h – Remate Don Marcelino e La Castellana

 

8/4/2016 (sábado)

8h – Julgamento Prova de Mangueira I (Fêmeas e Machos)

14h – Julgamento Prova de Campo I (Fêmeas e Machos)

21h – Remate Cabanha Malke

 

9/4/2016 (domingo)

9h – Fase Final Bocal de Ouro (Mangueira II/Bayard-Sarmento/Campo II)

12h – Encerramento e entrega de prêmios do Bocal de Ouro

21h – Remate Las Missiones

 

 

 

Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Arriba Gaúchos

Foto: arquivo pessoal

O leitor Tiago da Rosa Cabrioli nos enviou uma foto da cidade de Tepic, no México, com o aplicativo da revista Imagens Gaúchas e moradores locais. Cabrioli, que está na cidade a passeio, usou o aplicativo da revista Imagens Gaúchas, que pode ser baixado no mundo todo, para interagir com moradores locais. Na imagem, ele posou com  uma indígena da tribo Corá. “Mostrei a eles como é a cultura do Rio Grande do Sul, como uma forma de interagir e destacando a beleza e autenticidade do Rio Grande do Sul. Eu estava explicando um pouco da nossa cultura de ser gaúchos, de amar aos cavalos, o que fazemos e como é nossa comida típica”, explicou.

Segundo Cabrioli a revista chamou a atenção pelas imagens. “Eles gostaram porque é bem diferente das coisas que eles fazem com cavalos aqui. Geralmente os eventos e competições aqui no México com cavalos envolvem manobras e até danças”, explicou.

Tepic, é capital do estado de Nayarit e foi fundada em 1542. Fica próxima de um vulcão extinto, o Sanganguey, é a maior cidade de uma região que se caracteriza pela agricultura. Cabrioli lembra que viveu na cidade por um ano, entre 2012 e 2013, durante intercâmbio.

Quando a tecnologia chega nos rodeios

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Em uma época que a tecnologia passou a fazer parte da vida das pessoas, o gaúcho que cultua as tradições nas provas campeiras não poderia ficar de fora. O Sistema Serto de Rodeios (SSR) surgiu da necessidade de informatizar e organizar as provas, facilitando o controle de equipes e mantendo um registro de cada prova.

“No passado, os rodeios eram considerados apenas uma maneira de diversão e entretenimento, porém, com a profissionalização de laçadores e ginetes, as provas foram se tornando uma espécie de comércio, exigindo organização e um controle preciso e efetivo”, afirma o técnico Bruno Eilers, responsável pelo desenvolvimento do sistema.

Eilers explica que fazem oito anos que o Sistema Serto de Rodeios (SSR) foi consolidado, garantindo qualidade e agilidade, seguindo as normas do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), com conferência de CPF e carteira do MTG. “É um procedimento bem dinâmico, praticamente online, a equipe está fazendo a inscrição e ao mesmo tempo a prova está acontecendo, os dados chegam ao narrador com precisão e clareza”, destaca.

Eficiente e flexível, o sistema engloba a inscrição da equipe, conforme a modalidade, tanto para as provas principais como para as menores, dando um suporte em toda a realização do rodeio. Além disso também foi desenvolvido um sistema com ênfase ao Crioulaço da  ABCCC, com registros dos cavalos, cumprindo as normas da entidade.

“Neste trabalho, nos preocupamos com o controle de armadas por provas para entregar no final do evento a contagem do gado. Quem lida com isso na região, já conhece e confia justamente por entregarmos as planilhas completas e separadas por provas”.

Os CTGs ou piquetes precisam apenas fornecer a estrutura necessária para a equipe da Serto Serviços, de Caçapava do Sul, faça com que o evento acorra de maneira ágil e precisa.

Maiores informações sobre o serviço você encontra na página do Facebook www.facebook.com/sistemarodeios ou pelos telefones (55)3281-1839 ou 99622-1839.

4º Colocado do Freio receberá troféu de alpaca

Depois de 869 interações e 21 dias de votação aberta ao público, chegamos ao final da votação que decide qual o nome leva o troféu do 4º colocado no Freio de Ouro 2017. Com 55,4% dos votos a Alpaca foi a escolhida e apenas 1,7% do público votou para que outro material, além dos dois dispostos, fosse escolhido. O prêmio escolhido já estreia no próximo Bocal de Ouro, onde teremos o Bocal de Alpaca para o 4º lugar. Para o Freio de Ouro, vamos aguardar para saber quem será o primeiro Freio de Alpaca.

Raça Crioula estará presente na nova novela das seis

O casting das novelas brasileiras conta novamente com um cavalo Crioulo atuando junto ao protagonista de uma trama. Depois de atuar na primeira fase de “Além do Tempo”, Cinchador Sombrero estará na nova novela das seis da Rede Globo, “Novo Mundo”, com estreia prevista para o dia 22 de março. Desta vez, o companheiro de cena será o ator Caio Castro.
Há três anos nos campos da Cabanha Don Diló, em Cachoeiras de Macacu (RJ), o exemplar do criador André Luís Vaz Machado irá integrar um cenário que remete ao século XIX, entre os anos de 1817 e 1822. Na novela passada, Cinchador Sombrero atuou ao lado de Rafael Cardoso, que vivia o personagem Conde Felipe, em “Além do Tempo”, trama que foi dividida em duas partes, passado e presente.
A oportunidade surgiu quando a produção pediu por um cavalo manso que se adaptasse ao dia a dia das gravações, cujas luzes e barulhos são fatores recorrentes. Além disso, a direção procurava por um animal com trote e encontrou em Cinchador Sombrero a oportunidade de obter esses pré-requisitos, visto que o animal já era conhecido por participar da novela anterior.
Assim, começou a jornada de treinamento. De acordo com seu proprietário, André, o ator Caio Castro teve uma semana de aula para criar sintonia com o animal e, enfim, entrar em cena. “O cavalo tem que ser dócil, se adaptar ao cenário e ser submisso. É essa diversidade da raça Crioula que encanta”, descreveu Machado ao salientar que, dentre todos os pontos fortes dos Crioulos, a morfologia é o que mais chama a atenção de quem os vê de fora. Além disso, o tratamento direcionado ao animal também gera apreço.
Além do desempenho nas telas, o cavalo da raça Crioula apresenta resultados nas pistas. Machado adquiriu Cinchador Sombrero para competir. No entanto, o cavalo mostrou que, além de atleta, é também multipotencial. Ao longo de três anos, ele soma mais de dez primeiros lugares no Team Penning, modalidade equestre que demonstra aptidão com o gado, conquistou o pódio no Ranch Sorting, prova recém chegada ao Brasil, e foi coringa duas vezes na credenciadora ao Freio de Ouro do Rio de Janeiro, principal competição do cavalo Crioulo.
Foto: Arquivo Pessoal
Texto: Redação ABCCC

Morre La Frontera Tormento, único cavalo chileno a vencer o Freio de Ouro

Morreu nesta quarta-feira, dia 15 de março, um dos mais importantes cavalos da raça Crioula. Importado do Chile, La Frontera Tormento foi o único exemplar daquele país a conquistar o Freio de Ouro – em 1993, montado pelo ginete Vilson Souza.
De propriedade das cabanhas Maufer e Monte Bello, Tormento viveu até os 34 anos. Como reprodutor, tornou-se um dos expoentes da raça, sendo um dos primeiros a integrar a seleta lista do Registro de Mérito da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Atualmente, tinha 100 filhos e 252 netos pontuados.
Na Cabanha Maufer, situada no município de Cruzeiro do Sul (RS), La Frontera Tormento deixa diversas filhas, que prometem dar continuidade a esse legado genético. Entre os filhos de destaque do garanhão está Salário 163 Maufer, que sagrou-se Bocal de Bronze em 2007.
TEXTO: Estela Facchin
FOTO: JG Martini

Leilão da São Rafael ultrapassa os R$ 3 milhões em vendas

Celebrando os 30 anos de trabalho voltado para o cavalo Crioulo, a Cabanha São Rafael comemora o bom resultado nas vendas de seu vigésimo-segundo leilão, realizado na noite deste sábado, 11 de março, na sede em Balsa Nova (PR). Com o recinto lotado, o leilão alcançou um faturamento de R$ 3,2 milhões na comercialização de 63 animais e alcançando uma média geral de R$ 50,76 mil por lote. De acordo com o leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, que foi o responsável pelas vendas na noite, uma das surpresas foi o grande número de novos compradores no leilão, mostrando que há espaço no mercado. Como o leilão é um balizador do ano de vendas da raça Crioula, projeta também um cenário positivo para quem tiver genética reconhecida. “Quando tivermos qualidade de oferta em pista como a que tínhamos neste remate da São Rafael, acreditamos que teremos resultados positivos como o deste final de semana”, observa. O destaque da noite nas vendas foi a égua Naia do Purunã, grande campeã da Expointer em 2004, comercializada ao valor de R$ 340 mil. Parte da renda do leilão será revertida para a criação do Instituto Purunã, entidade idealizada para desenvolver o fomento, no âmbito turístico, de novos empreendedores e capacitar pessoas através da educação com vocação plena à sustentabilidade e ao ecoturismo, onde todo o trabalho será ligado pela preservação do meio ambiente e da cultura dos tropeiros, em atividades relacionadas ao cavalo.

Foto: José Guilherme Martini/Divulgação Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Redomão Cerro Frio com R$ 30 mil em prêmios

A Cabanha Cerro Frio, de Pantano Grande, vai distribuir R$ 30 mil em prêmios na prova Redomão Cerro Frio, que acontecerá nos dias 22 e 23 de abril na sede da Cabanha. A tradicional prova já está com inscrições abertas e além da ótima premiação habilita os vencedores ao Doma de Ouro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Além do Redomão, a Cerro Frio também fará seu primeiro Remate, no dia 22, após a prova, nele estarão a venda em torno de 25 lotes, com animais da Cerro Frio e de cabanhas convidadas. Os animais comercializados no remate estarão habilitados para o Prova Don Arturo, que premiará os melhores com dois carros zero.

A expectativa dos organizadores é que a prova Redomão Cerro Frio reuna cerca de 80 conjuntos.

As inscrições podem ser feitas através dos telefones : (51) 998696976 – Geneci Soares – (51) 995129192 – Preto Irigoyen – (53) 9 99742891 – Rogério Rosa

 

Programação

19 a 23 de março – Revisão dos Potros

21 de abril – Admissão do redomão

8 h – Início

19h – encerramento da admissão

22 de abril

8h as 9h – Encerramento Admissão

9h – Inicio da prova Redomão Cerro Frio

12h – Almoço

14h – Reinicio da prova

18h – Encerramento parcial da prova

20h – Leilão Redomão Cerro Frio e Convidados

 

23 de abril

9h – Final do Redomão Cerro Frio

12h – Entrega de Prêmios

Quarto colocado do Freio de Ouro terá premiação

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A partir deste ano, o quarto colocado do Freio de Ouro também será premiado. A medida já vale a partir do Bocal de Ouro e seguirá em todas as classificatórias e para a grande final. A medida foi aprovada por unanimidade em assembleia realizada pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). A denominação do prêmio será escolhida pelo público em votação no site da entidade, que poderá optar por Freio de Cobre ou Freio de Alpaca
De acordo com o vice-presidente de Eventos da ABCCC, Eduardo Azevedo, o grande foco do prêmio é valorizar a função tanto quanto a morfologia, que já premia quatro exemplares nas exposições. Reforça que este era um pedido antigo dos associados e aficcionados pela raça. “Além de termos uma demanda grande de pessoas que sugeriam a existência desta medida, a ideia é igualar à premiação da morfologia, atingindo mais um Cavalo Crioulo”, destaca.
A medida foi aprovada pelos criadores presentes na Assembleia da ABCCC. Gilberto Freitas, da Cabanha Santa Fé, de Taquara (RS), um dos criadores que votou a favor, reforça também que o prêmio para o quarto colocado do Freio de Ouro é importante por valorizar a funcionalidade da raça Crioula. “Isso demonstra que a função é tão importante quanto à morfologia”, acrescenta o criador.
A votação estará disponível até o dia 15 de março de 2017 no site da ABCCC (www.abccc.com.br)
Texto: Marina Bonati/ABCCC

ABCCC – 85 anos de evolução

* Eduardo Suñe
Já faz muito tempo, desde que o homem do campo entendeu que poderia utilizar o cavalo como ferramenta auxiliar ao seu trabalho, que esse animal se tornou mais do que simples condução. Sobre a sua garupa, fronteiras foram quebradas, territórios desbravados e novas formas de qualificar o serviço rural foram desenvolvidas.
Todas essas conquistas consolidaram o cavalo como extensão indispensável ao braço do campeiro. Mais especificamente, a raça Crioula – caracterizada pela rusticidade, versatilidade funcional e alta capacidade de adaptação – passou a ser reconhecida como a parceira ideal na administração das lidas, além de se destacar também no esporte e no lazer.
Esse reconhecimento, porém, exigiu muita organização, empenho e dedicação. E foram essas características, somadas à afeição e apego do gaúcho ao seu cavalo, que nortearam os visionários que, há 85 anos, idealizaram uma entidade capaz de unir e incentivar os seus associados a trabalhar em favor de uma raça.
Desde 1932, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) atua sob os mesmos preceitos: preservar, melhorar e difundir a raça Crioula no Brasil. E assim vem sendo, através de tantos homens e mulheres que se sucederam nos mais diversos cargos e funções ligadas à entidade e que, de alguma forma, deram a sua contribuição com a evolução dos serviços prestados por ela.
Passadas oito décadas e meia desde sua criação, hoje temos orgulho de fazer parte do quadro de uma instituição reconhecida como uma das maiores associações de raça no país, respeitada pela credibilidade e considerada uma referência em gestão técnica e administrativa. Durante todo esse período, a ABCCC profissionalizou a sua atuação, modernizando os seus métodos sem deixar de valorizar a tradição da sua cultura.
Seu trabalho fez a raça tornar-se conhecida e admirada em todo o país. Mais do que isso, deu luz à multifuncionalidade do Cavalo Crioulo provando que, além de incansável no serviço, ele também poderia ser um excelente atleta nas mais diversas modalidades dos esportes equestres e ainda um belo e dócil companheiro nas cavalgadas e atividades de lazer em família.
Esse amplo leque de opções associadas à raça possibilitou a sua expansão pelo país, e o colocou entre as maiores manadas de equinos do Brasil. O Cavalo Crioulo, reconhecido por lei como o animal símbolo do Rio Grande do Sul, é atualmente o responsável por um complexo econômico que movimenta cerca de R$ 1,28 bilhão e gera mais de 280 mil postos de trabalho por ano no país, segundo levantamento feito pela Esalq/USP.
Toda essa evolução, no entanto, não satisfaz as nossas aspirações. Queremos, e temos a convicção de que é possível, crescer ainda mais. E vamos trabalhar muito por isso. Mantendo os mesmos preceitos que nortearam aqueles que, lá no início, fizeram essa realidade possível: a qualificação criteriosa e fundamentada, mirando o futuro sem abdicar de nossas raízes.
* Presidente da ABCCC