Archive for fevereiro, 2015

Números de 2014 consolidam crescimento da raça Crioula

Mais uma vez os números do cavalo Crioulo comprovam que a raça consolida um crescimento em todo o país. Em 2014 a manada de animais cresceu 7,3% em relação ao ano de 2013, chegando a um plantel de 377.983 equinos em todo o território brasileiro.

Mesmo com a predominância no número de animais no Sul do Brasil, percentualmente todas as regiões do país tiveram crescimento, algumas acima da média nacional, como o Centro Oeste, com 12,3%. O Nordeste teve uma alta de 8,1% enquanto o Sul teve os mesmos 7,3% da média do Brasil e o Sudeste fechou em 6,8%. A região Norte teve aumento de 3,9% na manada de cavalos Crioulos.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Lima Laitano, este crescimento se deve ao aumento da exposição da raça em eventos nas regiões de fomento, trabalho iniciado ainda na gestão anterior da entidade. “Nós começamos a realizar mais eventos, como os passaportes da Morfologia, além da criação de novos núcleos de criadores. Isto vai mostrando o cavalo nestas regiões e atraindo novos interessados”, avalia.

Este resultado também pode ser mensurado no incremento de 8,1% no faturamento no ano de 2014. Dados divulgados pela ABCCC mostram que as vendas no ano passado chegaram a R$ 198 milhões ante os 183,1 milhões de 2013, e atingiram novo recorde na raça Crioula. Deste total foram R$ 105,66 milhões em leilões e R$ 92,34 estimados em vendas particulares. “Foi um número excepcional. Ninguém no mercado conseguiu crescer 8% no ano passado. O mais importante foi a liquidez no ano, com o aumento no volume de vendas. Temos novos criadores e usuários acreditando na raça”, salienta Laitano.

No ciclo de 2014, mais de 20,6 mil animais participaram de 624 eventos promovidos e incentivados pela ABCCC. O objetivo para 2015, conforme o presidente da entidade, é manter este crescimento apostando na realização de eventos maiores. Algumas das principais provas da raça serão realizadas no estado de São Paulo como uma das classificatórias abertas ao Freio de Ouro e a final do Rédeas de Ouro. Também será foco a introdução de novas modalidades nos circuitos da raça, como o Ranch Sorting.

Na parte administrativa, os principais planos são a abertura do escritório da ABCCC no Parque da Água Branca, na capital Paulista, com o objetivo de facilitar o atendimento aos criadores do centro do país, além da remodelagem do espaço do cavalo Crioulo no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS).


Argentina conclui a primeira semifinal do Freio de Ouro em 2015

Nas fêmeas, Golilla Sucarita, com o ginete Marcelo Pauwels. ficou na primeira posição. (foto:Fagner Almeida)

Um julgamento binacional e 28 conjuntos abriram o circuito de classificatórias do Freio de Ouro neste ano. E depois de três dias, Jesus Maria, na província de Córdoba, mostrou que a Argentina está no caminho certo para evoluir dentro do Freio de Ouro. E no espetáculo no qual a seleção dos melhores cavalos é a protagonista, a raça mostra que é capaz de fortalecer ainda mais os laços entre brasileiros e argentinos que deixam claro que nas arenas Crioulas, não há espaço para rivalidade.
Nas fêmeas, Golilla Sucarita, com o ginete Marcelo Pauwels. ficou na primeira posição. Já nos machos, Lonqueo Coli Leuvu, montado pelo ginete Artur Silveira. Os conjuntos levaram o campeonato do “Freno de Oro” argentino do ano. Na semifinal que começou no dia 4 e foi finalizada no dia 6 de fevereiro, inicialmente 16 fêmeas e 12 machos entraram em pista determinados a mostrar o seu melhor aos olhos do trio de jurados formado pelos brasileiros Rodrigo Py e Jorge Rosas Demiate Júnior e o argentino Carlos Cattani. Já a supervisão técnica ficou sob a responsabilidade de Frederico Araújo.
Na competição organizada pela Associação de Criadores de Cavalos Crioulos da Argentina (ACCC), com o apoio da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) a classificação para a final em Esteio/RS durante a Expointer não veio, mas serviu, sobretudo, para apontar a tendência crescente no país sob as cores azul e branco: a profissionalização de seus ginetes e do interesse no investimento em treinamento dos animais.
Como já é de costume, a alternância de posições marcou presença do início ao fim da competição. No conjunto de participantes figuraram ainda duas classificadas em 2014 que voltaram ao ciclo novamente: Golilla Sucarita e Tranqueadora Hasta Luego que em 2015 levaram o primeiro e o segundo lugares respectivamente. Na dianteira das fêmeas, a arrancada na avaliação morfológica saiu com a égua Tirador Catarata. Já nas andaduras Tranqueadora Hasta Luego encerrou o primeiro dia na frente. Porém, no teste com gado foi Golilla Sucarita quem se saiu melhor e finalizou no segundo dia na frente.
Entre os garanhões, Malarriado Velero puxou a fila na morfologia, mas nas andaduras, Capanegra Martin Fierro foi quem fez mais bonito. Porém, na quinta-feira Lonqueo Coli Leuvu conseguiu as melhores placas no aparte e na pechada assumindo a liderança, que chegou a voltar para Martin Fierro, mas que não conseguiu mantê-la. Na sexta-feira mais trocas de posições agitaram as expectativas na arquibancada.
De acordo com o jurado Jorge Rosas Demiate Júnior os conjuntos conseguiram se sair bem apesar das condições difíceis da arena, ainda bastante pesada para as corridas. “Fêmeas de muito boa morfologia e muita qualidade de aprumos, com destaque para as duas primeiras colocadas”, pontua. Questionado sobre o desempenho dos garanhões o avaliador ressaltou principalmente as características do primeiro lugar: “Um cavalo muito bem conduzido e com muita aptidão vaqueira”, completa.
Para o presidente da ACCC, Enrique Tronconi, o que foi visto em Jesus Maria foi o excelente resultado de todo o empenho em transportar a seletiva que era originariamente realizada em Palermo e que em virtude dos preparativos para a ExpoFICCC precisou ser realizada em novo endereço, mas que ainda assim superou as expectativas. “Foi uma prova muito boa, tivemos contratempos, no caso o clima e a mudança para o interior do país.  Mas isso mostra que ela pode ser realizada em todos os lugares”, declara.
Sem rivalidade, no Freio todos se unem para crescer
Criador de cavalos Crioulos há cerca de sete anos, Gustavo Rolon, da Cabanha Quilla Hue, conta o seu fascínio pela modalidade que o fez ingressar na área da seleção da raça multifuncional. Porém, para ele não basta apenas ter um criatório, Rolon quer ver seus animais fazendo bonito na pista do Parque Assis Brasil. Para isso, ele vem investindo fortemente na qualificação de sua mão de obra que utiliza o conhecimento dos brasileiros para mostrar à equipe de seu Centro de Treinamento o caminho até decisão em solo verde e amarelo.
Além de estar sempre em contato com outros crioulistas e visitar os eventos do Brasil, até agora já foram colocados na bagagem diversos cursos de doma, manejo e treinamentos para o Freio. Tudo para que seus próprios ginetes levem seus animais rumo à busca pelo título. Entre os intercâmbios de conhecimentos, as colaborações já obtidas incluem auxílio de nomes como Cláudio Ruas e Pedro Moglia, por exemplo.
Neste ano, a consultoria especializada no Freio de Ouro está a cargo de Cláudio Fagundes. “Estamos bem, já temos noção pelos bons frutos”, diz Rolon ao comentar estar muito satisfeito com a parceria internacional e por todo o apoio recebido pelos brasileiros, tanto que completa: “Hoje em dia minha cabana está voltada 100% para o Freio e os resultados estão aí à vista”, enfatiza.
Do lado brasileiro, o criador Pedro Moglia fala que quando o assunto é Freio de Ouro não há concorrências internacionais. Pelo contrário, a cada dia a seletiva cresce junto aos hermanos que buscam com mais frequência a profissionalização de seus ginetes e a preparação de seus animais com a ajuda das mãos que criaram o Freio de Ouro.
Com experiência no assunto, Moglia – que atualmente assessora uma cabana e um centro de treinamento na Argentina – reforça o quanto é gratificante poder passar os seus conhecimentos adiante para fortalecer os argentinos para auxiliá-los a conseguir chegar lado a lado na final da raça. “No Freio de Ouro não há rivalidade. Os ginetes no Brasil se ajudam e tu sair do teu país para colaborar com o outro na prova é muito gratificante”, frisa.
Confira o resultado
Fêmeas
1º Lugar
Golilla Sucarita; criador e expositor Juan Victor Tronconi Ballester; Cabanha Las Mulitas,  Buenos Aires/Argentina
Ginete: Marcelo Pauwels
Nota: 17,991
2º Lugar
Tranqueadora Hasta Luego, criador e expositor Daniel Casin Florencio; Cabanha Don Florencio Buenos Aires/Argentina
Ginete: Horacio Casin
Nota: 17,823
3º Lugar
Guarani Favorita, criador e expositor Ricardo Matho Meabe; Cabanha Yajha Catu, Corrientes/Argentina
Ginete: Ruben Veron
Nota: 17,138
4º Lugar
Tres AR Boleada, criador e expositor Marcelo Argueles; Cabanha Don Antonio, Buenos Aires/Argentina
Ginete: Nicolas Merigo
Nota: 16,951
Machos
1º Lugar
Lonqueo Coli Leuvu, criador Daniel Valentin Cimolai,  expositor Cimolai Leal; Las Leales/ Lonqueo; Neuquen/Argentina
Ginete: Artur Silveira
Nota: 17,351
2º Lugar
Capanegra Martin Fierro, criador Fernando Dornelles Pons, expositor Argentina Wagyu Beef S.A., Cabanha La Consentida, Buenos Aires/Argentina
Ginete: Marcelo Segura
Nota: 16,965
3º Lugar
Tranqueador Mariscal, criador Daniel Casin Florencio, expositor Juan Jose Barreneche; Cabanha Los Vascos, Córdoba/Argentina
Ginete: Horacio Casin
Nota: 16,608
4º Lugar
Labra Trovador, criador e expositor S.A. Bartolome Ginocchio e Hijos e Cia Ltda; Cabanha La Brava, Buenos Aires/Argentina
Ginete: Juan Segovia
Nota: 16,374

2º Redomão Dom Arturo é em Abril

A Cabanha Don Arturo, de Porto Alegre, promoverá nos dias 18 e 19 de abril o 2º Redomão Dom Arturo. Uma prova de doma que dará dois carros zero quilômetro de premiação, além de prêmios até o 10º colocado. A primeira edição do evento aconteceu em 2014 em Guaíba e foi vencida por  Aloísio Perez, montando Sol e Sombra Chimarrão. Ao todo participaram do evento mais de 60 conjuntos. Segundo Júnior Chileno, organizador da prova, as inscrições já estão abertas e a revisão dos animais deve iniciar no começo de março.

A prova acontece na sede da cabanha, no Bairro Lami, em Porto Alegre. As inscrições podem ser feitas pelo telefone 98437667.