Archive for abril, 2015

Feira de terneiros movimentou R$ 690 mil

A feira de Terneiros de Cachoeira do Sul, que ocorreu na quarta-feira, movimentou R$ 690.160,00 e vendeu todos os 573 animais ofertados. Organizada pelo Sindicato Rural e pela Associação dos Núcleos de Produtores de Terneiros de Corte (ANPTC), a feira surpreendeu pela valorização.  A média do valor por quilo dos machos foi de R$6,32, fêmeas R$5,81, e vaquilhonas R$5,78. A comercialização foi responsabilidade dos escritórios Querência Negócios Rurais e Centauro Remates. Os maiores compradores foram da região Central e Serra. A feira de Cachoeira do Sul tem sido fonte de matéria prima para muitos terminadores, tanto para confinamentos como pastagens intensivas. Segundo Dimas Rocha a boa valorização dos lotes é um indicativo que a atividade pecuária segue bem aquecida.

Para Francisco Bidoni, do Querência Negócios Rurais, a feira ficou além  das expectativas. “Tivemos uma boa valorização dos animais ofertados, em especial a produção de Vinicius Porto e Cacaio Lima. Além do bom resultado em números, a genética de Cachoeira também ganhou, pois vários compradores de outras cidades estiveram presentes na feira, o que valoriza  o trabalho genético feito no município”, destacou Bidoni.

Fabrício Lima, da Centauro Remates comemorou os resultados: “Obtivemos o provável recorde de preço na categoria terneiros da temporada de outono no Estado do Rio Grande do Sul, com o lote da Fazenda Boa Esperança, de propriedade de Edgar Lima.
Terneiros cruza Angus x Limousin  foram vendidos por R$ 2.000,00 cada animal.Também tivemos o lote mais valorizado em quilos, na feira de terneiros de Cachoeira do Sul , um lote de terneiros Braford da Fazenda Irapuá, de Willy Haas, no valor de R$ 7,14 o quilo’, finalizou.

Crioulistas comemoram 90 anos do feito de Gato e Mancha

Os dois cavalos argentinos cruzaram as Américas na década de 1920

Um dos grandes feitos promovidos pelo cavalo Crioulo completa, neste dia 23 de abril, 90 anos. Em 1925, o suíço Aimé Félix Tschiffely iniciou uma peregrinação com dois animais da raça. Os cavalos Gato, com 16 anos, e Mancha, com 15 anos, de propriedade da Estância El Cardal, do criador Emilio Solanet, partiram de Buenos Aires e atravessaram 21,5 mil quilômetros até chegar em Nova Iorque no dia 22 de setembro de 1928, com direito à desfile na famosa Quinta Avenida, que parou para reverenciar o feito.
O objetivo de Tschiffely era realizar a travessia das Três Américas no lombo dos dois animais. Foram 504 etapas com percursos médios de 42,6 quilômetros por dia. No caminho, enfrentaram a altitude de 5,9 mil metros do Passo de El Condor, na Bolívia, depois de ter enfrentado as nevascas da Cordilheira dos Andes. No caminho das 23 nações que atravessaram, alguns obstáculos como o Deserto Mata-Cavalo, no Peru, e selvas da América Central não foram páreos para a resistência dos animais, que cresceram na Patagônia e estavam acostumados às adversidades do clima.
Para o coordenador da Subcomissão de Resistência da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Alexandre Selistre, a jornada foi uma propaganda para o mundo da resistência e rusticidade do cavalo Crioulo. Além disso, o feito do trio serviu de inspiração para a criação das marchas de resistência, que depois foram adaptadas para reproduzir em uma prova o trabalho das tropilhas das estâncias antigas. “Era uma aventura, ele não sabia se estes cavalos iriam voltar desta jornada. Por acreditar nisto é que o Solanet cedeu os animais e a façanha foi realizada e é lembrada por qualquer um que goste de andar à cavalo”, afirma.
A jornada de Gato, Mancha e Tschiffely foi eternizada no Museu Enrique Udaondo na cidade de Luján, província de Buenos Aires. Os dois animais foram embalsamados após suas mortes, nos anos 40, e estão expostos no local. O desbravador suíço, falecido em 1954, teve suas cinzas sepultadas em Ayacucho, onde fica a Estância El Cardal. A Associação de Criadores de Cavalos Crioulos da Argentina está promovendo uma série de eventos para recordar a data com palestras e mostra fotográfica.
Enquanto os argentinos lembram a data com um evento, no Brasil os adeptos das provas de resistência se preparam para a grande final da Marcha de Integração, que será realizada de 16 a 30 de maio no município de Jaguarão (RS), reconhecido por ser um dos polos mais importantes da modalidade. Os 48 animais inscritos já estão concentrados e seus criadores esperam que eles entrem na história do cavalo Crioulo no Brasil. Selistre avalia que boa parte dos competidores estão em condições para chegar ao final e serem campeões. “Dos animais que estão concentrados, 12 animais já ganharam algum prêmio em provas de resistência. São animais que já tem um histórico. E dos inéditos muitos são filhos de animais já premiados na Marcha”, observa.
Durante 15 dias, os animais percorrerão trechos de 50 quilômetros diários, totalizando 750 quilômetros. A prova, criada em 1971 pela ABCCC, junto com o Freio de Ouro e a Morfologia formam o tripé seletivo da Raça Crioula no Brasil.

Foto do Dia

Nossa sessão de fotos hoje foi na Cabanha Bom José, de Cachoeira do Sul. Onde os proprietários Gentil e Leidi Festinalli mostraram sua nova aquisição, um potro oveiro negro. Mais sobre a cabanha na próxima edição da revista Imagens Gaúchas, em maio, nas bancas e no seu tablet.

Bocal de Ouro 2015 já tem campeões

Jotace Utopia (foto) e JA Libertador lideraram toda a etapa funcional da competição

Foram quatro dias de provas para definir os vencedores da décima-sexta edição do Bocal de Ouro e os primeiros conjuntos brasileiros classificados para a grande final do Freio de Ouro, que ocorre no final de agosto durante a Expointer. O público lotou as dependências do cavalo Crioulo no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS) para acompanhar a competição.
A etapa funcional da prova coroou como grandes vencedores entre as fêmeas Jotace Utopia, da Cabanha Jotace, de Uruguaiana (RS), montada por Raul Lima, e JA Libertador nos machos, da Fazenda Santa Edwiges, de São Lourenço do Sul (RS), conduzida por Milton Castro. Desde a última sexta-feira os dois animais assumiram a liderança do Bocal de Ouro e não deixaram mais as primeiras colocações.
Jotace Utopia é irmã da égua Jotace Tranca, vencedora do Freio de Ouro em 2014. Para o proprietário da cabanha, João Cantarelli, a vitória é resultado de um projeto de anos do criatório que começou a dar resultado. Sobre o animal, destacou a capacidade de Utopia nas pistas que, mesmo em sua segunda prova corrida, chegou em primeiro lugar. “O desempenho dela é fora de série. É uma égua que correu a segunda prova, desde o começo vem sendo vitoriosa, cada vez mais aumentando seu desempenho funcional em pista e superando nossas expectativas”, ressalta.
Nos machos, JA Libertador era o animal mais novo entre todos que estavam na competição, tanto fêmeas quanto machos. Com apenas três anos e meio de idade, garantiu a primeira colocação e surpreendeu positivamente o proprietário da Santa Edwiges, José Antônio Anzanello. “A classificatória de inéditos é realmente uma das mais difíceis pelo alto nível. É uma surpresa muito agradável, porque ele tem três anos e meio de idade. Ele conseguir fazer uma apresentação deste nível, com esta idade, é algo que nos enche de orgulho”, salienta.
Para os jurados, o alto nível que se esperava dos competidores foi confirmado. Segundo Eduardo Móglia Suñe, um dos responsáveis pelo julgamento das fêmeas, a competição mostrou mais uma vez a evolução da raça Crioula em pista. “Foi uma prova muito competitiva e de alto nível, com muitos animais em condições de alcançar os primeiros postos, o que não é surpresa já que sabemos que o Bocal de Ouro é sempre muito forte”, observa.
Já Jorge Rosas Demiate Junior, jurado dos machos, lembra também que o gado colocado para as provas de mangueira e campo, além das condições da pista, também contribuíram para que o Bocal de Ouro tivesse um padrão acima da média. “A prova teve um nível extraordinário, entre os primeiros colocados. Destaco o esforço da ABCCC em realizar a prova, nessa pista que é a melhor que temos e com um gado de excelente qualidade”, avalia.
O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Laitano, destaca que mais uma vez o Bocal de Ouro serviu de parâmetro para mostrar a evolução da raça Crioula, além de apontar possivelmente grandes favoritos para a final, que ocorrerá em agosto durante a Expointer. Nos últimos seis anos, dez animais selecionados pela classificatória de inéditos ficaram nas três primeiras colocações do ciclo. “É uma prova de animais jovens que demonstram suas habilidades e suas virtudes e que potencialmente são favoritos na final do Freio de Ouro. Quando os novos têm mais chance, é um sinal de que a raça vem melhorando a cada ano, com todo o profissionalismo dos ginetes e criadores”, afirma.
A próxima etapa das classificatórias ao Freio de Ouro será realizada novamente além das fronteiras do país. É a vez da seletiva do Uruguai, de 1º a 3 de maio de 2015 no Parque de Exposições do Prado, em Montevidéu.
Confira os resultados
Fêmeas
Bocal de Ouro
JOTACE UTOPIA
Criador: JOÃO JURACI CANTARELLI, URUGUAIANA-RS
Expositor: JOÃO JURACI CANTARELLI
Estabelecimento: CABANHA JOTACE, URUGUAIANA-RS
Ginete: RAUL LIMA
Nota: 21,615
Bocal de Prata
ALMA GÊMEA CALA BASSA
Criador: MARCELO REZENDE MÓGLIA, BAGÉ-RS
Expositor: MARCELO REZENDE MÓGLIA
Estabelecimento: CABANHA CALA BASSA, BAGÉ-RS
Ginete: MARCELO REZENDE MÓGLIA
Nota: 21,093
Bocal de Bronze
AS MALKE SAFIRA
Criador: AGRO PECUÁRIA SCHWANCK LTDA., URUGUAIANA-RS
Expositor: JÚLIA E MANUELA ROESSLER DA COSTA
Estabelecimento: CABANHA CAPÃO DA RONDA, CRUZ ALTA-RS
Ginete: GABRIEL MARTY
Nota: 21,013
4º Lugar
QUENTUCHA DO AIPO
Criador: MÁRIO ROBERTO MATTOS SACCO, SÃO SEPÉ-RS
Expositor: REGINALDO OLIVEIRA TAVARES
Estabelecimento: CABANHA DO DIAMANTE, ESTEIO-RS
Ginete: ADRIANO A. STRECK
Nota: 20,920
Machos
Bocal de Ouro
JA LIBERTADOR
Criador: JOSÉ ANTONIO ANZANELLO, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: JOSÉ ANTONIO ANZANELLO
Estabelecimento: FAZENDA SANTA EDWIGES, SÃO LOURENÇO DO SUL-RS
Ginete: MILTON CASTRO
Nota: 21,084
Bocal de Prata
PO BANDIDAZO
Criador: GONÇALO PORTO SILVA, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: GONÇALO PORTO SILVA E PARCERIA GUTHEIL CORÁ
Estabelecimento: CABANHA DON MARCELINO E MEIA VOLTA, PORTO ALEGRE-RS
Ginete: CÉZAR AUGUSTO SCHELL FREIRE
Nota: 20,879
Bocal de Bronze
FACON DO CAPÃO REDONDO
Criador: LUIZ CARLOS E ANTONIO CARLOS A. PY, BARRA DO RIBEIRO-RS
Expositor: FELIPE WEBER E RODRIGO PY
Estabelecimento: CABANHA OURIÇO E CAPÃO REDONDO, CARAZINHO-RS
Ginete: CHARLES FAGUNDES
Nota: 20,785
4º Lugar
LAS CALLANAS MIL RAZONES T.E.
Criador: GONZALO VIAL CONCHA, JAGUARÃO-RS
Expositor: CRIADERO LAS CALLANAS
Estabelecimento: CRIADERO LAS CALLANAS, JAGUARÃO-RS
Ginete: RICARDO GIGENA WREGE
Nota: 20,462

Leilões da Trajano Silva no Bocal ultrapassam R$ 3 milhões

Bom momento do mercado faz com que agricultores retomem os investimentos. Fotos: AgroEffective/Divulgação

Promotora de três dos quatro leilões realizados durante o Bocal de Ouro, a Trajano Silva Remates fechou o evento com resultado positivo. Nos remates realizados pela leiloeira, o faturamento chegou a R$ 3,07 milhões, com média de R$ 29,1 mil por cada lote da raça Crioula vendida. O maior destaque foi o evento da Cabanha Malke, realizado no sábado, fechando em R$ 1,79 milhão. Depois veio o leilão La Castellana e Don Marcelino, com faturamento de R$ 702,5 mil. Já o remate Itaó e Convidados, da última quinta-feira, terminou com um total de R$ 577 mil em vendas.
O leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, afirma que mesmo em um momento de economia retraída, os criadores estão dispostos a investir em qualidade genética  e resultados em pista, especialmete nas provas funcionais. “Quem tem qualidade e performance continua valorizado no mercado. Temos compradores dispostos a continuar investindo”, salienta.
A liquidez que tem marcado o mercado e as vendas para fora da região Sul do Brasil continuam sendo alguns dos principais pontos positivos da temporada. Entretanto, Silva lembra também que o bom momento da agricultura gaúcha, com expectativa de colheita recorde e preços animadores das commodities no mercado, também estão influenciando na aquisição de animais da raça Crioula. “A colheita excepcional de arroz e soja que estamos tendo do Rio Grande do Sul estão ajudando criadores a retomar investimentos”, explica.
O maior destaque foi a venda de um embrião de AS Malke Punhalada, no leilão da Malke, comercializada a R$ 87,5 mil. Inclusive a égua recebeu no leilão uma proposta de compra de quase R$ 2 milhões, mas recusou. AS Malke Punhalada foi a grande campeã das fêmeas na Morfolohia da última edição da FICCC, realizada no final de março na Argentina.

Cristian Rodríguez acompanha provas do Bocal de Ouro

Foto (Rodríguez com o presidente da ABCCC, José Luiz Laitano): Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

Jogador da seleção uruguaia de futebol que disputou a Copa do Mundo de 2014, Cristian Rodríguez esteve com a família no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS) neste sábado, 11 de abril, para acompanhar as provas do Bocal de Ouro, uma das principais competições do cavalo Crioulo e que classifica para a final do Freio de Ouro que ocorre na Expointer. O atleta, que agora defende as cores do Grêmio, é um entusiasta da criação de equinos.
Rodríguez, que se recupera de uma lesão, acompanhou das arquibancadas a prova, que definiu os 24 classificados para a grande final do domingo. Foi convidado a montar um cavalo, mas preferiu não fazer para não atrapalhar sua recuperação. O jogador disse que acompanhava notícias do Freio de Ouro e da participação dos criadores uruguaios na competição pela internet e pela televisão. “Nunca tinha tido a oportunidade de acompanhar a prova ao vivo. Gosto muito do cavalo Crioulo, pois ele tem tudo que um cavalo precisa ter”, salienta.
O atleta, que tem propriedade no Uruguai e possui no plantel cerca de 30 animais da raça Crioula, afirmou que pretende se dedicar à atividade do campo após encerrar a carreira no futebol. E não descarta, inclusive, participar do ciclo do Freio de Ouro. “Sempre que posso ir para minha fazenda estou quase todos os dias montado à cavalo. Quando deixar o futebol penso em me dedicar ao campo para trabalhar com o gado e a agricultura”, ressalta Rodríguez.

Cachoeira terá Angus de Outono

O Núcleo Centro Angus promoverá no dia 23 de maio no Parque do Sindicato Rural de Cachoeira do Sul o evento Angus de Outono, que contará com remate, palestras técnicas e exposição morfológica.  Segundo o presidente do núcleo, Dimas Rocha, o Evento terá seu lançamento oficial no dia 28 de abril, em um jantar com criadores, técnicos e imprensa no restaurante El Fogon.

 

Veja a programação Angus de Outono

9h30min – Recepção e credenciamento

9h50min – Abertura com José Roberto Pires Weber – Presidente da ABA

10h – Palestra – Os potenciais da raça Angus no RS e no Brasil – com Fernando F. Velloso

11h – Palestra – Comercialização de Gado de reposição – Engenheiro Agrônomo Martin da Luz

12h – Palestra dos Frigoríficos e intervalo para o almoço.

14h – Início do julgamento dos lotes

15h30min – Remate

 

As inscrições para as palestras podem ser feitas pelo e-mail nucelocentroangus@gmail.com

 

Inscrições do remate.

As inscrições dos animais para o remate já podem ser feitas nos escritórios rurais:

Centauro – (51) 84516335 ou (51) 99528905.

Querência – (51) 96539855 ou (51) 99536649.