Archive for agosto, 2015

Campeões do Bocal de Ouro repetem a dobradinha no Freio de Ouro

Égua Jotace Utopia, da Cabanha Jotace, de Barra do Quaraí (RS), montada pelo ginete Raul Lima. (foto Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas)

Cerca de 20 mil pessoas aproveitaram o tempo bom do domingo para acompanhar a grande final do Freio de Ouro 2015. O público assistiu na pista do cavalo Crioulo, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), a repetição do resultado do Bocal de Ouro, realizado em abril. Foram coroados entre os machos o cavalo JA Libertador, da Fazenda Santa Edwiges, de São Lourenço do Sul (RS), montado pelo ginete Milton Castro, e entre as fêmeas a égua Jotace Utopia, da Cabanha Jotace, de Barra do Quaraí (RS), montada pelo ginete Raul Lima.
De acordo com a proprietária da Jotace, Daniela Cantarelli, o resultado é parte de um trabalho de anos da cabanha, que leva seu segundo título consecutivo no Freio de Ouro. No ano passado a cabanha venceu com a égua Jotace Tranca. Daniela relata, inclusive, que muita gente não acreditou quando decidiram que não iriam defender o título com a égua. “Na verdade a gente apostava na Utopia. Ela deixou de ser a irmã da Tranca para ser a campeã do Freio de Ouro”, afirma.
Já nos machos, o título de JA Libertador também aumentou o recorde do ginete Milton Castro, que agora vence seu oitavo título do Freio de Ouro. Libertador faz parte de um condomínio com 15 proprietários, entre eles o próprio criador José Antônio Anzanello, proprietário da Santa Edwiges. Mesmo acostumados a títulos, a emoção desta conquista foi inigualável. “É como se fosse a primeira vez. Este é um trabalho de anos que a gente vem fazendo com o Milton Castro. É uma grande emoção”, salienta.
Para o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Laitano, mais uma vez se confirmou a máxima de que a cada ciclo que passa, o Freio de Ouro vem evoluindo. “As provas estão cada vez mais profissionais e mais disputadas. Nunca sabemos quem é o ganhador até o ultimo minuto. Isso mostra a evolução funcional da raça e técnica dos criadores”, destaca.
A partir de agora as atenções da raça Crioula na Expointer estão voltadas para os grandes campeonatos da Morfologia que serão decididos nesta segunda-feira, 31 de agosto, e terça-feira, 1º de setembro. O Freio de Ouro conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Vivo e Banrisul, além do apoio da Supra.
Confira os vencedores
Fêmeas
Freio de Ouro
JOTACE UTOPIA
Criador: JOÃO JURACI CANTARELLI, URUGUAIANA-RS
Expositor: JOÃO JURACI CANTARELLI
Estabelecimento: CABANHA JOTACE, BARRA DO QUARAÍ-RS
Ginete: RAUL LIMA
Média: 22,655
Freio de Prata
BT BASTEIRA
Criador: CONDOMÍNIO FLAVIO BASTOS TELLECHEA, URUGUAIANA-RS
Expositor: MARCELO E MARIA DA GLORIA TELLECHEA CAIROLI
Estabelecimento: RECONQUISTA AGROPECUÁRIA LTDA, ALEGRETE-RS
Ginete: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA
Média: 22,113
Freio de Bronze
AS MALKE SAFIRA
Criador: AGRO PECUÁRIA SCHWANCK LTDA., URUGUAIANA-RS
Expositor: JÚLIA E MANUELA DA COSTA
Estabelecimento: CABANHA CAPÃO DA RONDA, CRUZ ALTA-RS
Ginete: GABRIEL MARTY
Média: 21,740
Machos
Freio de Ouro
JA LIBERTADOR
Criador: JOSÉ ANTONIO ANZANELLO, PORTO ALEGRE-RS
Expositor: JOSÉ ANTONIO ANZANELLO E CONDOMINIO JA LIBERTADOR
Estabelecimento: FAZENDA SANTA EDWIGES, SÃO LOURENÇO DO SUL-RS
Ginete: MILTON CASTRO
Média: 21,530
Freio de Prata
HARMONIA TEMPRANO
Criador: HARMONIA AGRICULTURA E PECUÁRIA LTDA., SANTA VITÓRIA DO PALMAR-RS
Expositor: HARMONIA AGRICULTURA E PECUÁRIA LTDA.
Estabelecimento: CABANHA HARMONIA, SANTA VITÓRIA DO PALMAR-RS
Ginete: JOSÉ FONSECA MACEDO
Média: 20,728
Freio de Bronze
QUINCHERO DE SANTA ANGÉLICA
Criador: PAULINO E AGENOR ÁVILA COSTA, PELOTAS-RS
Expositor: RAMIRO E DÉBORAH MADRUGA COSTA
Estabelecimento: CABANHA ESTRIBILLO, PEDRAS ALTAS-RS
Ginete: CÉZAR AUGUSTO SCHELL FREIRE
Média: 20,694

Cavalgada da Integração percorrerá 252 km

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A Cavalgada da Integração percorrerá neste ano 252 km para trazer a Chama Crioula para Cachoeira do Sul, durante a 52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul. Segundo o presidente da Cavalgada, Jarí Gonsalves, a Chama Crioula será buscada no município de Piratini. “Como não tivemos apoio da Prefeitura para buscar a Chama Crioula no Chuí, onde ele será distribuída para todo o estado, vamos pegar uma centelha vinda de lá em Piratini”, explicou o tradicionalista.

Participarão neste ano entre 25 e 30 integrantes na cavalgada, que percorrerá em média 30 km por dia até Cachoeira do Sul, quando entregará  a centelha no dia 10 de setembro na Praça Honorato. Os integrantes da Cavalgada vão até Piratini de ônibus no dia 1º de setembro e de lá, no dia 2 de setembro, montam nos cavalo para voltar a Cachoeira. Durante o percurso, o grupo terá oito pontos de parada. Nesse ano a Cavalgada da Integração completa 24 anos de atividade.

 

Programação

1º de setembro – Saída de Cachoeira até Piratini.

Dia 2 – Saída de Piratini em direção a Cachoeira. Parada na Serraria Agrofel – 34 km

Dia 3 – Parada no Passo da Olaria – 35 km

Dia 4 – Parada em Santana da Boa Vista – 30 km

Dia 5 – Parada na propriedade de Eli Lacerda da Silva – 37 km

Dia 6 – Parada na propriedade de Sérgio Koos – 18 km

Dia 7 – Parada na Fazenda Raul Kampf – 21 km

Dia 8 – Parada na propriedade de Otaviano Pontes de Oliveira – 32 km

Dia 9 – Parada no Distrito de Ferreira

Dia 10 – Chegada da Chama Crioula na Praça Honorato

Cachoeira do Sul relembra antigas tropeadas

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Cachoeira do Sul vai reviver neste ano uma atividade que era muito comum no Estado até meados do século XX, as tropeadas. A atividade que gaúchos executavam de conduzir a cavalo um rebanho de gado pelos campos e estradas do Estado, perdeu espaço com a chegada dos transportes rodoviários, extinguindo a profissão de tropeiro. A 1ª Tropeada Histórica de Cachoeira do Sul, vai relem-brar esta atividade durantes três dias, 8, 9 e 10 de setembro.
Segundo o presidente da Associação Tradicionalista e Cultural de Cachoeira do Sul, Fábio Garin, a atividade será uma grande oportunidade para mostrar às gerações mais novas como viviam alguns gaúchos de antigamente. A tropeada iniciará em Candelária, na localidade de Bom Retiro, na propriedade de Almir Menezes. A gauchada seguirá com o gado pelas estradas do interior de Candelária e Cachoeira do Sul até o Parque de Eventos Estância de São Pedro, no Capão da Cruz. O percurso terá cerca de 35 quilômetros, com parada para pouso e almoço.
Estão programadas à noite nos pontos de descanso rondas de tropa, onde os participantes irão cumprir horários para cuidar do gado de madrugada. “Nós iremos convidar pessoas que já foram tropeiros, para contar suas histórias durante as paradas para pouso, onde também haverá apresentações artísticas”, adiantou Garin.

ATC promove Rodeio Crioulo

 

52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul terá três dias de festa campeira com direito a muito tiro de laço. Nos dias 11, 12 e 13 de setembro, no parque de Eventos Estância de São Pedro, na localidade de Capão da Cruz. A festa deverá reunir mais de 100 laçadores de Cachoeira do Sul e região que poderão participar de disputas de laço equipe, trio e dupla, além de outras modalidades. Segundo o presidente da Associação Tradicionalista e Cultural de Cachoeira do Sul, Fábio Garin, a parte campeira é importante na semana farroupilha, pois foram as lidas do campo que moldaram a tradição dos gaúchos e que hoje se tornaram esporte familiar e fonte de lazer.
Mas o rodeio crioulo não se resume apenas ao tiro de laço, durante os três dias estão previstas outras atividades pitorescas do homem do campo, como a corrida do couro, onde um gaúcho a cavalo puxa outro que está sentado em um couro de vaca. A prova é vencida pela dupla que fizer o percurso em menor tempo. A prova do pelego também é um dos desafios, nesta prova o gaúcho precisa fazer um percurso e em determinados pontos ir agregando pelegos no lombo do cavalo. Vence quem não cair e fizer o menor tempo.
Outra prova que deve chamar a atenção é o tiro de laço pescoço e guampa, onde as duplas de laçadores precisam laçar na primeira armada o pescoço do boi e o segundo laçador da dupla precisa laçar as guampas do animal. O rodeio ainda terá gineteada em bois.

Programação da 52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul

52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul

8, 9 e 10 de setembro - 1ª Tropeada Histórica de Cachoeira do Sul – Candelária – Cachoeira do Sul

10 de setembro – Abertura oficial da 52ª Semana Farroupilha de Cachoeira do Sul e Ronda Farroupilha Municipal – 8h30min – Praça Honorato

11, 12 e 13 de setembro - Rodeio Crioulo ATC -

Parque de Eventos Estância de São Pedro

11 de setembro - Ronda do PL Delfino Carvalho – CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango do PL Delfino Carvalho no CTG Tropeiros da Lealdade

12  de setembro – Ronda CTG Lanceiros do Sul – CTG Lanceiros do Sul

23h – Fandango do CTG Lanceiros do Sul no CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango do CTG Estância do Chimarrão no CTG Os Gaudérios

13 de setembro – Ronda do Centro de Tradições da Brigada Militar – Sede do CTBM – Rua Augusto Wilhelm

14 de setembro - Ronda da Celetro

15 de setembro – Ronda da Câmara de Vereadores no CTG Tropeiros da Lealdade

Entrevero da Canção Estudantil – No CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango no CTG Os Gaudérios

16 de setembro – Ronda do CTG José Bonifácio Gomes

20h30min – 1º Desfile Temático de Cachoeira do Sul – Rua Júlio de Castilhos

17 de setembro – Ronda CTG Os Gaudérios

20h – Sessão Solene em Homenagem ao Gaúcho na Câmara de Vereadores

22h30min – Fandango no CTG Tropeiros da Lealdade.

18 de setembro – Ronda do CTG Estância do Chimarrão

23h – Fandango do CTG Lanceiros do Sul no CTG Tropeiros da Lealdade

19 de setembro – Roda do CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango no CTG Tropeiros da Lealdade

23h – Fandango no CTG Os Gaudérios

Dia 20 de setembro – Desfile do Dia do Gaúcho – 14h30min

 

Crioulistas e tradicionalistas no combate ao Mormo

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Evitar a proliferação da doença do Mormo é a prioridade tanto da Secretaria da Agricultura e Pecuária quanto de entidades ligadas ao setor e que compreendem a necessidade da exigência do exame de livre da doença para participar de eventos com aglomeração de cavalos.

Representantes de entidades como Farsul, MTG, Federação Gaúcha de Laço e Abccc estiveram reunidos  com o secretário da Agricultura e Pecuária Ernani Polo e técnicos da Secretaria para discutir a situação do Rio Grande do Sul. Desde o primeiro caso da doença, registrado em Rolante no mês de junho, em razão de uma normativa do Ministério da Agricultura, para conseguir a emissão da Guia de Transporte Animal – GTA – o produtor deve apresentar o exame de negativo para Mormo.  A novidade causou dúvida em alguns municípios sobre como proceder em eventos onde tradicionalmente há participação massiva de equinos.
“Nós não estamos cancelando nem proibindo eventos como desfile farroupilha, rodeios e cavalgadas. Apenas aplicamos a determinação federal para que a doença não se espalhe, preservando assim tanto a saúde animal quanto pública, já que a doença é transmissível para seres humanos e em 100% dos casos leva a óbito”, explica o secretário Ernani Polo.
Participaram da reunião o presidente da Farsul Carlos Sperotto, o presidente do MTG Manoelito Savaris, o vice-presidente Francisco Fleck, o presidente da Federação Gaúcha de Laço Cleber Vieira, além de representantes do deputado estadual Adolfo Britto.

O mormo
Registrado pela primeira vez no Rio Grande do Sul, o mormo é uma doença infecciosa que ataca equinos. A gravidade da enfermidade se dá por vários motivos. O primeiro é que não há vacina para combate-la. Uma vez diagnosticado o animal como positivo a única saída é seu sacrifício. Mais grave ainda é que ela pode ser transmitida para o ser humano e também não há cura, em 100% dos casos leva a morte. As principais implicações são febre, úlceras na mucosa nasal, descarga nasal purulenta ou sanguinolenta, abscessos nos linfonodos e dispneia.


Situação atual no Estado:
Desde o primeiro caso em Rolante foram realizados cerca de 6 mil exames em todo o Rio Grande do Sul. Desses 17 foram enviados para o laboratório oficial do Ministério da Agricultura em Brasília para a confirmação e, sete voltaram negativos. Com mais um caso recente agora são 11 que ainda precisam ser avaliados. As suspeitas foram registradas em diferentes regiões do estado como Litoral Norte, Fronteira Oeste e no Noroeste.


 O que dizem as entidades:

Farsul:
Esse é um tema que precisamos tratar com visão técnica. As posições colocadas por todos os organismos de defesa nos permitem recomendarmos que os animais não transitem sem a GTA, logo, que tenham o exame de negativo para a doença”.
Carlos Sperotto, presidente.

MTG:
“Nos somos a favor do cumprimento da legislação e sempre a favor da defesa animal, o que nesse momento só é possível com a exigência do exame”.
Manoelito  Savaris, presidente

ABCCC
“Pelo que vimos a Secretaria está com a questão sob controle agindo da melhor forma possível.  Temos que disseminar essas atitudes legítimas e estimular que todos façam o exame para que não haja a disseminação da doença”.
Francisco Fleck, vice presidente

Federação Gaúcha de Laço
“Nós estamos totalmente de acordo com a exigência do exame, e temos passado isso para todos os nossos 19 mil associados em todo o Estado. A situação é séria, todos precisam colaborar”.
Cléber Vieira, presidente

Como fazer o exame?
No site www.agricultura.rs.gov.br, na direita da página onde está escrito Mormo, há uma lista com os laboratórios habilitados para realizar o exame e também uma lista de veterinários credenciados. O produtor pode também procurar um profissional de sua confiança. A coleta é feita na propriedade e encaminhada para um dos 19 laboratórios de todo o Brasil.

Qual valor?
Conforme levantamento realizado essa semanao valor cobrado na maioria dos laboratórios é R$ 45. Em alguns os clientes encontram variação de cinco reais, para mais ou para menos. Apenas em um dos laboratórios o preço era mais salgado: R$ 75 para veterinário e R$ 85 para proprietário.

Exames em lote
O valor total do exame envolve três fatores: preço cobrado pelo laboratório, valor da consulta do veterinário e do sedex para fazer o envio. Quem tiver mais de um animal para participar de atividades, ou então tenho conhecidos que também precisam fazer o exame, pode fazer mais de um por vez.

Onde ficam os laboratórios?
Os mais próximos ficam em São Paulo (e na maioria o valor não passa de R$ 55,00). Há também laboratórios em Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro, Baia, Maranhão, Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Piauí. No Rio Grande do Sul apenas um laboratório está em processo de liberação para que possa realizar o teste.

fonte: Secretaria da Agricultura e Pecuária

Emoção e competitividade vão marcar final do Freio de Ouro

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Depois de cinco meses, 12 classificatórias em três países e cinco estados brasileiros, e mais uma etapa na Argentina por meio da FICCC, foram selecionados os 104 finalistas que irão disputar o título máximo do cavalo Crioulo. A final do Freio de Ouro, que ocorre no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), vai reunir os conjuntos – cavalo e ginete – que buscarão o topo na modalidade considerada uma das principais ferramentas de seleção equestre do país.
Na avaliação da organização, o ciclo mais uma vez demonstrou a evolução do cavalo Crioulo. Na maior parte das seletivas, foi comum ver a alternância de posições entre os candidatos para chegar à grande final. “O Freio de Ouro vem amadurecendo como ponto de seleção da raça pelo profissionalismo de seus ginetes treinadores e da própria associação levando a uma prova de alto grau de dificuldade. Cada vez está mais difícil chegar até a final”, avalia o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Laitano.
Neste ano, Guto Freire foi o ginete que mais classificou animais para a grande final. No total, onze exemplares foram garantidos pelo treinador, além do campeão de 2014, Destaque da Maior, que pode entrar diretamente na final conforme as regras do regulamento. Freire também levará para a pista o campeão de 2012, Balaqueiro do Nonoai, que se classificou pela competição da FICCC em março em Buenos Aires, tendo duas chances de faturar o inédito bicampeonato por um cavalo da raça. “A prova todo ano que passa está cada vez mais difícil. O Freio de Ouro vem evoluindo em termos de competição. Novamente podemos esperar que teremos uma final forte e equilibrada, com vários cavalos com chance de ganhar”, observa.
O proprietário que mais classificou animais para a final neste ano vem do estado de São Paulo. Onécio Prado Junior, da Estância Tamareira, de Santa Rita do Passa quatro, levará quatro exemplares para a decisão. Ainda garantiu um quinto animal quando adquiriu em leilão uma cota do vencedor do Bocal de Ouro, JA Libertador, no qual faz parte do condomínio. Para o expositor, o fato de um paulista ser o que mais vai levar exemplares para o Freio de Ouro mostra o trabalho dos criadores da região e estimula o investimento na raça. “Sentimos que este trabalho que estamos fazendo gera retorno. Isto anima não só a gente, mas outros criadores também estão vendo que é só fazer um trabalho sério que a gente consegue”, salienta.
O julgamento ficará a cargo de de Francisco Martins Bastos Sobrinho, Jorge Rosas Demiate Junior e Lauro Varela Martins nas fêmeas e André Luiz Narciso Rosa, Eduardo Neto de Azevedo e Fábio Muricy Camargo nos machos. Douglas Gonçalves é o reserva da categoria fêmeas e Telmo Ferreira é o dos machos. O Freio de Ouro começará ainda antes da abertura dos portões da Expointer ao público, mais exatamente no dia 26 de agosto. A grande final será realizada no primeiro domingo da feira, dia 30 de agosto. O circuito conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Vivo e Banrisul, além do apoio da Supra.
Confira a programação
26 de agosto (quarta-feira)
12h – Término da entrada dos animais do Freio de Ouro
14h às 19h – Exame de admissão
22h – Término da entrada dos animais da Morfologia
27 de agosto (quinta-feira)
08h30min –  Morfologia do Freio de Ouro (Fêmeas)
13h30min – Morfologia do Freio de Ouro (Machos)
28 de agosto (sexta- feira)
7h – And. / Figura/ VSP/ Esb. (Fêmeas)
12h15min – And. / Figura/ VSP/ Esb. (Machos)
29 de agosto (sábado)
8h –  Prova de Mangueira – Etapa inicial (Fêmeas e Machos)
14h – Prova de Campo – Etapa inicial (Fêmeas e Machos)
30 de agosto (domingo)
12h – Solenidade de abertura do Freio de Ouro
13h – Prova de Mangueira – Etapa final do Freio de Ouro
14h45min – Prova Bayard / Sarmento
15h30min – Prova de Campo – Finalistas
17h – Entrega de prêmios – Freio de Ouro

Venda de animais na Expointer deve se manter igual à 2014

foto:Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Mesmo com a turbulência na economia brasileira em 2015 e a redução no número de exemplares inscritos, a expectativa é que a comercialização de animais durante a 38ª edição da Expointer ao menos iguale os números do ano passado, que foram de R$ 12,42 milhões conforme dados da Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul. A avaliação é do leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva.

Conforme o dirigente da leiloeira, que foi responsável por 47% das vendas de animais na edição de 2014, especialmente os bovinos podem acrescentar uma evolução, principalmente pelos valores do mercado já indicados no outono e que devem ser transferidos para a temporada de primavera, que inicia em setembro. A expectativa é positiva, mas precisamos levar em conta o momento que a economia brasileira vive. Mas estamos otimistas, principalmente nos bovinos, que terão um lugar de muito destaque”, observa.
Na raça Crioula, que se consolida como a principal no faturamento da Expointer, com 80% do valor total na venda de animais nos últimos dois anos, Silva acredita que a qualidade será determinante para o sucesso nas vendas, como vem sendo na temporada, onde a genética qualificada vem tendo compradores, ainda mais do centro do país. “Creio que venderemos todos os animais. A qualidade é muito boa. A ideia é ao menos repetir o faturamento do ano passado”, salienta.
A Trajano Silva vai realizar cinco dos oito leilões de cavalos Crioulos durante a feira, com o remate das Cabanhas Barulho e Gravatá no dia 26 de agosto, da Estância Vendramin dia 27 de agosto, da Cabanha Santa Angélica dia 29 de agosto, das Cabanhas Boa Vista e Maior dia 31 de agosto e da Cabanha Maufer dia 1º de setembro. Além disso, é co-promotora do leilão Quarter Sul, da raça Quarto de Milha, no dia 2 de setembro. Nos bovinos, terá a cargo o leilão Elite HB, da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) na noite do dia 1º de setembro.
Fonte: AgroEffective

Campeão do Freio de Ouro 2014 vai tentar o bicampeonato

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Pela segunda vez, depois das mudanças no regulamento da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, os vencedores da edição anterior terão o direito de defender o título conquistado no ciclo passado. Para este ano, o Freio de Ouro dos machos, Destaque da Maior, da parceria das cabanhas Villa Verde, de Jaraguá do Sul (SC), Colunas da Serra, de Joinvile (SC), SJ, de São Lourenço do Sul (RS) e Herença Infinita, de Joinville (SC), vai voltar para a pista para buscar um novo título.
Conforme Décio Bogo, um dos proprietários de Destaque da Maior, o cavalo já vinha treinando e mantendo a forma mesmo antes da decisão de inscrevê-lo para tentar o bi-campeonato. Durante o ano que passou, realizou 110 coberturas de éguas, todas por meio de inseminação artificial. “O cavalo está muito bem. É um cavalo novo e não sentiu nada. Ainda estamos na empolgação da vitória do ano passado”, declara.
Bogo afirma também que Destaque da Maior se manteve no centro de treinamentos do treinador Guto Freire. Na opinião do criador, o cavalo teve uma evolução na sua performance, o que pode credenciar o conjunto para o inédito bicampeonato na raça Crioula. “Ele está mais bem preparado do que nos outros anos. Virou um cavalo adulto. O Guto tem bastante esperança e acha que até melhorou em alguns movimentos. A nossa intenção é disputar o título”, reforça.
Já a vencedora das Fêmeas, Jotace Tranca, da cabanha Jotace, de Barra do Quaraí (RS) não irá defender o título conquistado no ciclo de 2014. A final do Freio de Ouro ocorre de 26 a 30 de agosto no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), durante a 38ª edição da Expointer.