Archive for janeiro, 2016

Cavalos de pelagem manchada crescem no cenário de exposições

foto:Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A quinta Exposição Nacional de Tobianos, Oveiros e Bragados que ocorrerá durante o Mancha Crioula, em fevereiro próximo, deve se confirmar como a maior edição da história do evento. O crescimento vem sendo identificado ano a ano e a expectativa da Trajano Silva Remates, organizadora do evento, é positiva principalmente em relação à mudança para o parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), uma região Central, de fácil acesso a todos, e grande palco da raça Crioula. As novas instalações construídas no local pela Associação Brasileira de Cavalos Crioulos (ABCCC), também geram otimismo para os resultados de toda a programação do Mancha Crioula.

O diretor da Trajano Silva Remates, Gonçalo Silva, afirma que o mercado está aquecido e isso é demonstrado pelo crescimento na manada da raça Crioula de 6,4% em 2015. Ressalta que o cavalo manchado tem uma aceitação muito boa também porque realmente é difícil ter uma grande concentração de animais com essa pelagem. “Eles atraem muita gente, não apenas criadores de cavalo Crioulo, por serem muito bonitos. Então criadores de diversas raças vêm olhar. Acho que esse ano teremos um belo acréscimo relacionado às vendas,” acredita o dirigente.

O julgamento da Exposição Morfológica estará à cargo de Carlos Loureiro de Souza. Segundo o jurado para este ano a expectativa é de crescimento do evento com a inclusão da prova funcional. Explica que a exposição é um marco para a adesão dos pêlos bonitos no cenário atual da raça, assim como para a inclusão de novos criadores. “Isto se deve ao evento ser tão chamativo para os leigos”, explica.

Quanto ao espaço no mercado, Souza entende que os manchados estão correndo em igualdade com os demais. Afirma que eles vêm tendo destaque na maior diversidade de provas em função da beleza da pelagem que chama muito a atenção. “Um exemplo disso, foi o credenciamento ao Freio de Ouro 2016, ocorrido em Lavras do Sul, no último final de semana, de um oveiro rosado, o Faceiro da Mangueira Velha, montado por Fagner Espindola”, destaca Souza.

A Exposição Morfológica acontece no dia 19 de fevereiro e as inscrições estão abertas até o próximo dia 5 de fevereiro. Mais informações sobre a programação do Mancha Crioula podem ser conferidas no site da Trajano Silva Remateswww.trajanosilva.com.br.

Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Tricampeão do Freio de Ouro ministra aulas no CT Johnni Peixoto

Estão abertas as inscrições para o primeiro curso de iniciação e treinamento para o Freio de Ouro, organizado pelo Centro de Treinamento Johnni Peixoto, em Gaspar, Santa Catarina. As aulas são oferecidas pelo tricampeão Guto Freire, que durante sua carreira já credenciou mais de 170 animais para a prova. O curso acontece entre os dias 12,13 e 14 de fevereiro. Ao longo da sua carreira, Guto soma mais de 280 participações em provas oficiais do Freio de Ouro. Entre suas conquistas mais recentes estão o Freio de Prata FICCC 2015, em Buenos Aires, e o Freio de Bronze 2015, em Esteio, em uma sequência de cinco anos ininterruptos de presença nos pódios mais importantes da Raça Crioula. Dentre os temas abordados nas aulas estão embocaduras, trabalho de base, manobras do Freio de Ouro e trabalho com o gado. O evento é promovido em uma parceria com Fafa Saúde Equina e as inscrições podem ser feitas por telefone (47) 9950-8114, ou no e-mail: contato@fafasaudeequina.com.br. Os valores do curso variam entre R$350,00 para ouvintes e R$650,00 para montados.

Servicon Negócios Rurais inicia atividades

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A Servicon Negócios Rurais é a novo escritório rural de Cachoeira do Sul. Lançado ontem, o empreendimento é uma parceria da contabilista rural Iara Farias e do zootecnista Francisco Linhares Bidone. A empresa atuará no mesmo ramo do escritório rural Querência, ao qual Bidoni fazia parte e encerrou suas atividades. Será focado em remates de gado geral e ovinos, exposições, feiras e compra e venda de gado.

A primeira atividade da empresa acontece no dia 24 de fevereiro, às 19h, quando ocorrerá o primeiro remate. O evento acontecerá na pista de remates do Sindicato Rural e estarão em oferta animais das raças Angus e Braford. As inscrições e os cadastros estarão abertos a partir da próxima segunda-feira no Servicon.

 

Contatos – 3722 1744, 9996 5909 (Iara), 9953 6649 (Bidone) e 9701 4427 (Carol ou Roberta).

Rusticidade e Estilo

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A Santa Fé Acessórios alia rusticidade e estilo em acessórios para mulheres de bom gosto. Com peças produzidas artesanalmente a marca consegue aliar a rusticidade do couro, com a modernidade do metal em peças bonitas, delicadas e modernas. Segundo Daniele Martins, as peças produzidas pela Santa Fé Acessórios possuem personalidade  e são excelentes para compor um visual moderno e bonito.

A Santa Fé possui diversas peças entre colares, pulseiras, chaveiros, anéis e acessórios para botas. “Realizamos atendimento personalizado e também montamos e criamos peças sob medida, disse Daniele.

Contato – (51) 98232723

Doma de cavalos gera oportunidades no mercado de trabalho

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A expansão do mercado da equinocultura no Brasil traz possibilidades para os domadores de cavalos. Atividade das mais valorizadas dentro de um haras, este profissional é o responsável por amansar e dar andamento à criação dos potros de uma propriedade, auxiliando diretamente na seleção genética de matrizes e garanhões que culminem com os objetivos de um criatório.
De acordo com o diretor do Centro Gaúcho de Formação em Equinocultura (Cegafe), Daniel Schneider, a cada dia que as provas equestres evoluem, especialmente no quesito do bem estar animal, mais se busca entendimentos em relação à doma. “Esta sendo bem feita e bem planejada, é extremamente importante e influencia no resultado final do trabalho de criação. É a doma que vai ditar ou encaminhar o futuro daquele potro nas provas de alta performance”, explica.
O crescimento da importância destes profissionais também é reconhecida pelas entidades equestres. A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) recentemente referendou a prova “Doma de Ouro” como modalidade oficial da raça. “Todo seu trabalho será agregado nos valores de vendas dos animais do criatório, portanto deve-se uma valorização, já que será ele o balizador da qualidade funcional dos equinos e que poderá opinar se esse ou aquele exemplar tem condições de permanecer na produção do haras”, salienta Schneider.
O diretor do Cegafe lembra também que a doma gera muitos empregos na equinocultura. O profissional pode ser tanto um domador contratado exclusivamente por uma propriedade, na qual pode formar uma equipe de ajudantes, como abrir um próprio centro, onde também gerará novos empregos. “Um centro pode disponibilizar vagas para cabanheiros, auxiliares de serviços gerais, veterinários, auxiliares para doma, ferradores, representantes de rações, entre outros tantos profissionais”, ressalta.
Para isso, o Cegafe vai realizar um curso especial para domadores, focados nas competições equestres como o Freio de Ouro. A atividade, coordenada pelo experiente domador Junior Chileno, ocorrerá de 4 a 7 de fevereiro de 2016 no Centro de Treinamentos da cabanha Don Arturo, em Porto Alegre (RS). O objetivo é mostrar uma visão diferenciada da doma tradicional, já difundida no Rio Grande do Sul, que se não utiliza de formas rígidas. Mais informações e inscrições podem ser obtidas pelo site www.cegafe.com.br.
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

A tradição da Doma é tema da Imagens Gaúchas

 

Doma é tradição, este é o tema principal da 18ª edição da revista fotográfica Imagens Gaúchas. A reportagem especial sobre doma aborda a oficialização da prova de 21 dias pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), e faz um apanhado geral sobre a doma no estado com opinião de domadores e especialistas na área. Outra reportagem especial da publicação é sobre a Esgrima Criolla, arte gaúcha de duelar com facas, que se popularizou entre os gaúchos e que no século XX quase desapareceu.  Sobre este assunto a revista entrevistou o mestre argentino Jorge Emilio Prina, que falou sobre a história e as técnicas da arte marcial. A Imagens Gaúchas traz ainda reportagem sobre a Cabanha Ronda Maleva, especializada na produção de tobianos e sobre a viagem do crioulista Rodrigo Py, à capital dos cavalos Quarto de Milha, nos Estados Unidos.

A Imagens Gaúchas também traz várias reportagens fotográficas, com destaque para um ensaio onde pequenos gauchinhos assumem como personagens marcantes da cultura gaúcha, como o laçador, ginete e domador. O leitor poderá ver ainda outros ensaios fotográficos, com fotos em preto e branco, laçadores e um close na paleteada. A revista Imagens Gaúchas tem o custo de R$ 10,00 e em Cachoeira do Sul pode ser adquirida na Revistaria Nascente, Botas Balardin, Lancheria Caracol e Loja Fuxique.

Tablet e Smartphone

Usuários de tablets e smartphones podem baixar o aplicativo da revista Imagens Gaúchas gratuitamente em seus aparelhos e ter acesso a conteúdo extra, como galeria de fotos e links. Para baixar a revista basta entra no GooglePlay, APP Store ou Amazon Store, e pesquisar Imagens Gaúchas. O leitor também pode acessar o site www.imagensgauchas.com.br e clicar nos ícones dos sistemas operacionais para fazer o download da revista Imagens Gaúchas.

Tele-entrega – A revista Imagens Gaúchas também tem tele-entrega para Cachoeira do Sul, basta ligar para 3724-2158 ou 97265429 para receber a revista em casa.

Raça Crioula avança em todas as regiões brasileiras

Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

O crescimento da manada da raça Crioula no Brasil em 2015 atingiu 6,4% e registrou exemplares em todos os Estados brasileiros. O cavalo Crioulo avançou em todas as regiões do país e fechou 2015 com 402.341 animais ante os 377.882 registrados em 2014. O Centro-Oeste saiu na frente com 13,5% de crescimento, seguido pelo Norte com 11%, Nordeste com 10,1% e Sudeste com 8,1%. Na Região Sul o aumento chegou a 6,2%.
O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Luiz Laitano, afirma que este crescimento se deve a um planejamento de longo prazo realizado pela entidade, que garantiu o avanço da raça. “O trabalho colocado em prática conseguiu aumentar o número de criadores e mostrar as vantagens do uso do cavalo Crioulo,” garante.
Segundo o dirigente, houve um aumento no número de eventos envolvendo a raça, com a participação de usuários de cavalos Crioulos demonstrando as virtudes dos animais. Além da habilidade em modalidades esportivas, a resistência no trabalho, apreciada na pecuária de corte no centro do país, ajudou no crescimento. “Essas ações possibilitaram que o mercado realmente conhecesse as potencialidades da raça Crioula, como rusticidade, adaptabilidade ao meio e um cavalo de sela que serve para todo o Brasil”, enfatiza.
Para este ano, a ABCCC projeta dar continuidade às ações que resultaram na expansão da raça no país. “A ideia é avançarmos com critérios, com eventos, por exemplo, em Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, ou seja, vários eventos pelo Brasil mostrando que estamos trabalhando para divulgar o cavalo Crioulo para o país e o Mundo”, explica Laitano.
Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação
Texto: Rejane Costa/AgroEffective