Archive for julho, 2016

Imagens Gaúchas na terra da Rainha

Everton Santos fotografou na Tower Bridge, em Londres.

O leitor Everton Santos, fez uma viagem de estudos pela Europa para aperfeiçoar seu inglês, passou por Irlanda, Holanda e Inglaterra. E foi na Terra da Rainha que o gaúcho baixou em seu tablet a edição 19ª revista Imagens Gaúchas. Da Capital Britânica ele enviou uma foto em um dos pontos turísticos mais conhecidos do mundo a Tower Bridge, ponte construída em 1894, sobre o Rio Tâmisa e repleta de história, além de ser cenário de vários filmes. “A cada viagem nós sempre voltamos um pouco diferente, com uma nova visão sobre o mundo, sobre as pessoas e sobre nós mesmos.”, concluiu Everton Santos.

 

 

Faça uma foto

 

Ajude a divulgar a cultura do Rio Grande do Sul pelo mundo, leve uma revista Imagens Gaúchas na sua viagem, fotografe em um local que identifique o país ou região e envie para a revista Imagens Gaúchas. Nós vamos publicar sua foto e história. Entre em contato: marcus.tatsch@hotmail.com

 

Felipe Santos vence o Redomão de 21 dias do Doma de Ouro

Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

Liderando desde a primeira fase, o conjunto formado pelo domador Felipe Santos e a égua Sia Dona de Santa Thereza chegaram ao final do Redomão de 21 dias do Doma de Ouro 2016 na primeira colocação com a nota 73,825 e ficaram com o principal prêmio da disputa. A prova, que contou com a participação de 28 domadores, foi realizada no Parque de Exposições Assis Brasil em Esteio (RS), entre os dias 23 e 24 de julho.
No sábado, dia 23, foram julgadas as etapas de andaduras, mansidão, destreza com o laço, figura e sujeição, que habilitaram os 14 melhores conjuntos a seguir na competição. No domingo, ocorreu a última etapa na qual foram julgadas a escaramuça livre e a etapa de campo. Os jurados da prova são os ginetes atuais vencedores do Freio de Ouro, Raul Lima e Milton Castro. O técnico da ABCCC, Luciano Passos, supervisionou a prova.
Para Felipe Santos, ficar em primeiro lugar foi uma grande surpresa. “Fiquei muito contente pois eu só queria ficar entre os 14, não esperava ganhar”, diz. Sobre a égua, disse que tinha dúvidas quanto ao seu desempenho mas não deixou de acreditar no seu potencial por conhecer a genética do animal. “Sabia que ela tinha um sangue funcional e tivemos a sorte de pegar dois bois bons no final”, comentou o domador, destacando ainda que para a prova de um ano o animal ainda pode evoluir.
Além de Felipe Santos e Sia Dona de Santa Thereza, também se destacaram o segundo colocado Alan Machado Rosa montando Talha de Santa Thereza, o terceiro Ricardo Perez com Rica Flor da Morada Nova, o quarto lugar, Junior Chileno com PO Griteria e o quinto Márcio Costa com Presilha da Reconquista. A disputa também foi elogiada pelos jurados, que sabem da dificuldade do trabalho e da importância de se valorizar o domador. “A égua que ganhou teve explosão e estava na mão do ginete. E isso é importante pois o cavalo tem que estar bem sujeito. Nenhum cavalo chega a um Freio de Ouro, por exemplo, sem uma boa doma”, avaliou Milton Castro.
Para Raul Lima, chamou a atenção o nível da prova, considerando que os animais tem somente 21 dias de trabalho. “A genética do cavalo Crioulo vem evoluindo muito e por isso se consegue esse resultado. Para os treinadores, é muito mais fácil receber um animal bem domado, isso encurta o tempo de trabalho e reduz o gasto do criador. A ABCCC está de parabéns por valorizar o domador”.
Os melhores domadores na etapa de Redomão de 21 dias do Doma de Ouro receberam premiação pela colocação. Os dez primeiros receberam um cheque que dá direito à R$ em compras na Correaria Dima, apoiadora do evento. Já os cinco primeiros colocados receberam também premiações em dinheiro oferecida pela ABCCC, num total de R$ 10 mil. Além disso, o primeiro lugar ainda recebeu um troféu com uma peça em couro confeccionada exclusivamente para o prêmio, pela sogueria El Paysano.
De acordo com o regulamento do Doma de Ouro, todos os participantes dessa etapa de Redomão, independentemente de ter se classificado para a última etapa, estão aptos a se inscreverem para a etapa de um ano. A agenda dessa etapa, com o local, data e programação, será divulgada pela ABCCC, nos meses próximos do fechamento do ciclo.
Texto: Douglas Saraiva/ABCCC

Marcelo Moglia apresenta suas ideias para cachoeirenses

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

O candidato à presidência da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Marcelo Moglia, reuniu-se na noite desta quinta-feira (21) com cerca de 40 crioulista em Cachoeira do Sul/RS para apresentara suas propostas e ideias para assumir o comando da associação. Moglia ressaltou que a ABCCC precisa de mudanças urgentes e que uma delas seria maior participação dos seus associados no futuro da entidade. Criado no lombo do cavalo, e proprietário de uma das cabanhas de maior destaque na raça, a Cala Bassa, Moglia salienta que: “A associação precisa de novas estratégias para direcionar suas ações, buscar novas parcerias, incentivar os jovens, fortificar seus eventos e qualificar a mão de obra que trabalha com o Cavalo Crioulo”. Além disso, ele acredita que a Associação deve focar suas ações nos usuários do Cavalo Crioulo para conseguir maior crescimento da raça. As propostas do candidato ainda contemplam: A criação de um conselho de ética, fortalecimento dos núcleos, valorização do laço, desburocratização da ABCCC e responsabilidade social.

A eleição da ABCCC acontece no dia 31 de agosto, durante a Expointer, em Esteio. Marcelo Moglia é candidato da oposição e enfrenta seu primo, Eduardo Moglia Suñe, candidato da situação. Há 26 anos a ABCCC não tinha duas chapas na disputa do seu comando.

Brasília apresenta os últimos finalistas do Freio de Ouro

Fotos: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

Como já vem se tornando tradicional com o passar dos anos, o ciclo de semifinais ao Freio de Ouro chega ao fim na pista de Brasília (DF), onde a Classificatória Aberta desta vez preencheu mais oito vagas na decisão. No Parque de Exposições Granja do Torto, entre os dias 15 e 17 de julho, liderados pelos vencedores Cacimba do Purunã e Hora Certa Cimarron, um total de 41 animais (16 fêmeas e 25 machos) competiram em busca dos lugares restantes no grupo que vai à Expointer.
Com todos em busca de uma vaga, já era de se esperar uma disputa acirrada do início ao fim. E assim foi. Sem previsibilidade alguma, a égua Cacimba do Purunã foi subindo no ranking parcial à medida que as provas iam sendo cumpridas. A liderança só chegou na última etapa da fase final, fazendo com que a Estância São Rafael, de Balsa Nova/PR, tenha garantido o seu terceiro animal na decisão da temporada 2016.
Na categorias dos machos, a vitória ficou com Hora Certa Cimarron, rosilho mouro da Cabanha Santa Aurora de Uruguaiana (RS). Uma conquista que foi obtida passo a passo. Nas provas da primeira fase da semifinal, o garanhão não chegou a liderar, mas se manteve sempre entre as primeiras três colocações. Foi somente na fase final que o desempenho certeiro garantiu a liderança que permaneceu até a última corrida da prova de Campo. De acordo com o veterinário responsável pelos animais da cabanha, Fabrício Faria Corrêa, a longa viagem até a Capital Federal não era a primeira opção, mas acabou se tornando a escolha certa. “Queríamos competir com ele já em Vacaria, que seria a nossa região, mas uma lesão acabou impossibilitando que fossemos. Então, apesar de distante, viemos aqui e essa vitória é uma grande satisfação. Estar na final do Freio já é algo bom, mas ganhar a Classificatória pesa mais ainda”, diz.
Depois de cinco meses de intensa seleção da raça em um total de dez etapas classificatórias, a última delas não podia ser diferente. “Acho que todos merecem ser parabenizados. Sabemos que muitos destes cavalos que estão aqui vem de um esforço muito grande, por já ter corrido outras provas, mas acredito ser uma grande vitória para a raça. Encerramos um ciclo com chave de ouro”, avalia o jurado Eduardo Neto de Azevedo, responsável pelo levantar de placas ao lado de André Luiz Narciso Rosa e Marco Antônio Stumpf. Também houve espaço para premiar aquele se destacou na condução dos animais em pista. Felipe Mello da Silva foi eleito pelos jurados o Ginete Destaque da semifinal.
Agora a decisão é na Casa do Cavalo Crioulo, entre os dias 25 e 28 de agosto, durante a Expointer no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). O circuito do Freio de Ouro conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Ford e com o apoio da Supra. A organização do evento é da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
Confira o resultado
FÊMEAS
1º lugar
Cacimba do Purunã, criador e expositor Mariano Lemanski, Estância São Rafael, Balsa Nova/PR
Ginete: Daniel Waihrich Marim Teixeira. Nota: 18,658
2º lugar
Unha de Gato do Amanhecer, criador e expositor Fábio Bellotti Moura, Cabanha Nova Querência, Brasília/DF
Ginete: Daniel Waihrich Marim Teixeira. Nota: 18,622
3º lugar
Madona dos Três Pinhais, criador Vilson Aozane Bilibio e expositor Rogério Bronzatto, Cabanha Raio de Bronze, Ijuí/RS
Ginete: Charles Fagundes. Nota: 18,581
4º lugar
Xixa do Amanhecer, criador: e expositor Fábio Bellotti Moura, Cabanha Nova Querência, Brasília/DF
Ginete: Felipe Mello da Silva. Nota: 18,110
MACHOS
1º lugar
Hora Certa Cimarron, criador e expositor Fernando Fabrício De Faria Corrêa e Filhos, Estância Aurora, Uruguaiana/RS
Ginete: Fábio Teixeira da Silveira. Nota: 19,495
2º lugar
Entrevero Della Tersa, criador e expositor Vagner Cortelini Cabanha Della Tersa, Fagundes Varela/RS
Ginete: Cézar Augusto Schell Freire. Nota: 19,152
3º lugar
Algo Tengo do Purunã, criador Mariano Lemanski e expositor Parceria Gutheil Corá/Vasco A. Gama Fº, Cabanha Meia Volta E Bom Fim, Tapes e Guaíba/RS
Ginete: Cézar Augusto Schell Freire. Nota: 18,629
4º lugar
Ituberá Comandante, criador e expositor Andrei Bossi, Cabanha Santo Expedito, Mafra/SC
Ginete: Francisco Kras Alves. Nota: 18,265
Texto: Francine Neuschrank/ABCCC

Classificatória de Itu garante mais oito conjuntos ao Freio de Ouro

Fotos: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

A grande final do final do Freio de Ouro 2016 tem novos candidatos ao prêmio. Oito conjuntos garantiram a vaga na decisão da seletiva na Classificatória realizada em Itu (SP), entre os dias 7 e 10 de julho. A prova realizada na pista da Fazenda Capoava foi a penúltima semifinal da temporada e encerrou habilitando quatro competidores na categoria fêmeas e mais quatro entre os machos.
Na categoria fêmeas, julgada por Felipe Maciel, Luiz Martins Bastos Neto e João Francisco Silveira da Silveira, conquistaram a vaga os conjuntos Jaguel Jornalera montada por Fábio Teixeira da Silveira com a média final de 19,710, Umauá do Infinito montada por Libamar Novello com 18,407, e em seguida BT Vergamota II e Gabriel Marty com 18,378 e Ganadera 1187 Maufer com Daniel Marim Teixeira, que somaram 18,064.
Entre os machos, julgados por Carlos Marques Gonçalves Neto, Carlos Loureiro de Souza e Roither Bez Barzan, o primeiro colocado foi RZ Vergonzoso da Carapuça montado por Lindor Collares Luiz com a média 19,724, seguido por Dom Alberto Lucero com o ginete Adriano Streck que alcançaram 19,102, Juazeiro da Bela Aliança com Daniel Marim Teixeira e a média 19,084 e com a quarta vaga Furiozo de Los Campos montado por Antonieto Rosa com 19,024.
Na avaliação de Barzan, a prova teve um nível muito bom, o que se refletiu nas médias alcançadas. Sobre o primeiro colocado da categoria, comentou que “foi um cavalo que conseguiu se manter equilibrado, tem boa morfologia e que foi muito bem conduzido, por isso alcançou o resultado”.
Com muito equilíbrio desde o início, a prova levou bom público à sede da Fazenda, durante os três dias de provas. Junto à programação da Classificatória, no dia 7, também foi realizada uma Exposição Passaporte, organizada pelo Núcleo Sem Fronteiras de Criadores de Cavalos Crioulos.
A classificatória realizada na cidade do interior paulista começou na quinta-feira, dia 8, quando foram julgadas a etapa morfológica e a primeira funcional, contando com a participação de 55 competidores, 24 na categoria fêmeas e 31 entre os machos. Mesmo com alguns competidores alternando posições entre as etapas funcionais, a sequência da prova mostrou bastante equilíbrio entre os conjuntos, beneficiados pela excelente estrutura da pista e pelo gado ágil.
Na próxima semana, estarão em jogo as últimas vagas na final do Freio de Ouro. A classificatória aberta de Brasília (DF), que acontece entre os dias 14 e 17 de julho no parque da Grande do Torto, será a oportunidade definitiva para quem ainda não garantiu a sua presença na decisão. O circuito do Freio de Ouro conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Ford e com o apoio da Supra. A organização do evento é da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
Confira o resultado
FÊMEAS
1º Lugar
Jaguel Jornalera, criador e expositor Green Belt S. A., Cabanha Septiembre, Maldonado/Uruguai
Ginete: Fabio Teixeira da Silveira
Nota: 19,710
2º Lugar
Umauá do Infinito, criador Roberto Sidney Davis Júnior e expositor Adroaldo Alves de Macedo, Cabanha Rota do Tropeiro, Caxias do Sul/RS
Ginete: Libamar Novello
Nota: 18,407
3º Lugar
BT Vergamota II, criador Flavio Bastos Tellechea e expositor Maria Izabel Franco Tellechea, Cabanha Askatasuna, Uruguaina/RS
Ginete: Gabriel Marty
Nota: 18,378
4º Lugar
Ganadera 1187 Maufer, criador e expositor Maurício e Fernando Lampert Weiand, Cabanha Maufer, Cruzeiro do Sul/RS
Ginete: Daniel Waihrich Marim Teixeira
Nota: 18,064
MACHOS
1º Lugar
RZ Vergonzoso da Carapuça, criador e expositor Rubens Elias Zogbi, Estância da Carapuça, Cristal/RS
Ginete: Lindor Collares Luiz
Nota: 19,724
2º Lugar
Dom Alberto Lucero, criador Fernando Alberto Scholze e expositor Cassiano e Rômulo Bremm /Renato Donadel, Cabanha Dom Bremm e Cabanha Caibaté, Porto Xavier e Guarani das Missões/RS
Ginete: Adriano A. Streck
Nota: 19,102
3º Lugar
Juazeiro da Bela Aliança, criador Francisco Carlos Habowsky e expositor Cabanha Bela Aliança e Estância Reluzente, Cabanha Bela Aliança, São Bento do Sul/RS
Ginete: Daniel Waihrich Marim Teixeira
Nota: 19,084
4º Lugar
Furiozo de Los Campos, criador e expositor Aldo Vendramin, Estância Vendramin, Ponta Grossa/PR
Ginete: Antonieto Rosa
Nota: 19,024
Texto: Douglas Saraiva/ABCCC

Exposição consolida Mato Grosso no circuito de da raça Crioula

Fotos: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

Pelo terceiro ano consecutivo, a cidade de Campo Verde (MT) é um dos polos de seleção morfológica da raça Crioula na área de expansão e se consolida de vez como uma das sedes que distribui vagas para a Morfologia da Expointer. Sob a organização do Núcleo Matogrossense de Criadores de Cavalos Crioulos (NMCCC), a mostra Passaporte do município, realizada nos dias 8 e 9 de julho, garantiu mais oito habilitados, valorizando principalmente a evolução e o potencial local com as vitórias de Uma Bala do Barrozo e LGA Destaque.
O ponto alto da premiação foi o desempenho alcançado pela Estância Lagoa Funda, localizada em Campo Verde. Propriedade de Luiz Fernando Silva Guerreiro, que também é responsável por presidir o Núcleo de Criadores local, o estabelecimento garantiu quatro animais passaporteados para a Expointer, entre eles os dois grandes campeões da mostra. Mais do que puxar a fila dos vencedores, o resultado teve um gosto ainda mais especial para o criador, já que Guerreiro conseguiu colocar dois animais do seu próprio afixo, o LGA, nascidos em sua cabanha, entre os classificados. Uma vitória que vem para recompensar a atuação que, embora recente, tem mostrado uma evolução rápida e certeira. “Estou há seis anos na criação. Esse é o quarto ano em que consigo passaportear meus animais, mas o primeiro que entram cavalos com a minha marca, feitos por mim, o que me deixa com uma enorme satisfação”, conta. Feito inédito e importante não só para o criador, mas para toda uma região que avança em termos de seleção da raça.
Na região, não há mais o que provar. Chegando à terceira edição de sucesso do evento, a regra agora é manter e evoluir. Conquista de um local que, além de lidar com as dificuldades naturais de criação de qualquer animal, ainda enfrenta desafios como a adaptação da raça ao clima regional, a localização geográfica e a carência de mão de obra qualificada. Mesmo diante disso, segue em frente colhendo os frutos de um trabalho feito por um grupo de pessoas que carrega a maior das motivações: a paixão pelo cavalo Crioulo.
Em pista, 42 animais confirmados passaram pelo julgamento da penúltima Passaporte do ciclo – quantidade que, conforme o regulamento, garante a habilitação de oito animais à Expointer.  Do total de participantes, em torno de 78% são de propriedade de expositores do próprio estado, número que mostra a força e o engajamento dos criatórios locais. Além disso, animais provenientes de Santa Catarina, Paraná e São Paulo completaram o grupo que se apresentou no Parque de Exposições Marco Antônio Esteves da Rocha, programação que ocorreu dentro da principal Exposição Agropecuária do município, a Expoverde.
De acordo com Guerreiro, a opção por começar as seletivas a nível nacional no estado com o investimento em uma disputa morfológica foi estratégica para o fomento, gerando resultados palpáveis a curto prazo. “A gente começou com a Passaporte pensando que seria o ideal para agregar os criadores, os animais e também para expor a raça para a região. E ver, a cada ano, que estamos no caminho certo nos deixa bastante satisfeitos”, comenta.
Pra comprovar que a região está mesmo na direção certa, nada melhor do que a visão de alguém que vem de fora e carrega a experiência com a raça na bagagem. Aos olhos do jurado do evento, o criador catarinense André Luiz Narciso Rosa, em sua primeira visita ao Mato Grosso como avaliador, foi uma grata surpresa encontrar a qualidade demostrada dentro da pista e também fora dela. “Assim como em todo lugar, aqui encontramos as fêmeas em um nível acima dos machos.  São éguas que cabem em qualquer manada e representam a raça. Também quatro bons cavalos, cada um com sua particularidade”, comentou o julgador aos presentes. “O Mato Grosso está bem servido, muito bem representado, tanto pelos animais como pelos criadores aqui presentes”, completa, fazendo questão de parabenizar os proprietários locais pelo trabalho que vem sendo desenvolvido.
Não só o que foi apresentado na disputa oficial chamou a atenção. As seis fêmeas que compuseram a categoria Incentivo impressionaram o jurado e o público presente. Tanto por se tratar de um grupo com potencial e qualidade racial evidente, quanto por ser uma fila formada inteiramente por exemplares nascidos no próprio estado do Mato Grosso. Característica essa que faz aumentar ainda mais a certeza de um futuro promissor para a criação regional.
Além da tradicional confraternização e troca de experiências entre os participantes, a mostra reservou um momento para aproximar ainda mais os criadores locais e a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Uma mesa redonda contou com a presença do vice-presidente de Núcleos, Eduardo Suñe, representando a entidade junto do jurado do evento e do técnico Rafael Fagundes Sant’anna. Na ocasião, os integrantes do Núcleo puderam ter uma conversa aberta, expondo as demandas da região, fazendo sugestões e esclarecendo dúvidas.
A mostra em Campo Verde foi a décima-sexta seletiva Passaporte da temporada. A supervisão técnica do evento esteve a cargo de Rafael Sant’anna, profissional credenciado à ABCCC. A partir de agora, a última Exposição Passaporte, em Brasília (DF), e a prévia morfológica em Esteio (RS) são as chances finais de chegar à Morfologia da Expointer. Organizado pela ABCCC, o circuito da Morfologias conta com o patrocínio de Vetnil e o apoio da Supra.
Confira o resultado
FÊMEAS
Melhor Exemplar da Raça e Grande Campeã
Uma Bala do Barrozo, criador Marcos Gomes Antunes e expositor Luiz Fernando Silva Guerreiro, Estância Lagoa Funda, Campo Verde/MT
Reservada Grande Campeã
Butiá WM, criador Sementes e Cabanha Butiá Ltda e expositor Luiz Fernando Silva Guerreiro, Estância Lagoa Funda, Campo Verde/MT
3ª Melhor Fêmea
Ursa da Boa Vista, criador Fazenda Boa Vista e expositor Gladir Tomazelli, Rancho Campeiro, Campo Verde/MT
4ª Melhor Fêmea
LGA Delicada, criador e expositor Luiz Fernando Silva Guerreiro, Estância Lagoa Funda, Campo Verde/MT
MACHOS
Grande Campeão
LGA Destaque, criador e expositor Luiz Fernando Silva Guerreiro, Estância Lagoa Funda, Campo Verde/MT
Reservado Grande Campeão
Embaraço do Purunã, criador Mariano Lemanski e expositor Elinton Silva Ferraz, Cabanha Tabapuã, São José dos Pinhais/PR
3º Melhor Macho
Faceiro da Fazfar, criador e expositor Ricardo Pinto Faria e Outro, Fazenda Faria, Piedade/SP
4º Melhor Macho
Veneno de Santa Angélica, criador Suc. de Paulino e Agenor de Ávila Costa e expositor Valdecio Rezende Fernandes, Rancho Cofre de Ouro, Dom Aquino/MT
Texto: Francine Neuschrank/ABCCC

Conjunto de Pelotas vence a décima-quinta Marcha de Integração

Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

O ponteiro ainda nem havia marcado 7h30min e lá estavam os últimos 20 conjuntos enfileirados na estrada de chão batido em frente ao CTG 93, em Bagé (RS). O esforço dos últimos 15 dias atingiu ao raiar deste sábado, 2 de julho, um significado mais forte, pulsante a cada trote. Finalmente chegou a tão esperada chegada, aquela que consagraria a fêmea Xucra Apagada como o novo ícone da rusticidade Crioula na décima-quinta Marcha de Integração.
A estratégia acertada da Cabanha Xucra, de Pelotas (RS), ao apostar no melhor aproveitamento da fêmea, ainda no penúltimo dia, foi o diferencial que garantiu a vitória. Comandada pelo ginete Eduardo Vidal de Moura, a matriz demonstrou segurança para impor no décimo-quarto dia um ritmo mais forte, o suficiente para voltar com seu cavaleiro à linha de chegada no dia seguinte sob os gritos emocionados de “é campeão”.
Tudo isso se tornou realidade quando Xucra e Moura abriram uma vantagem de 10 minutos e 51 segundos na penúltima etapa livre, marca que mesmo com a pegada firme de Jurubeba do Rincão da Querência – a primeira a completar os 40 quilômetros restantes da fase conclusiva – conseguiu superar. “Fizemos um planejamento e joguei todas as fichas na sexta-feira. Sabíamos que no sábado seria a parte mais difícil e no dia anterior vimos que ela vinha em boas condições. Foi quando resolvemos tirar o nosso diferencial”, conta o expositor de Xucra Apagada, Eduardo Gomes Zambrano.
Entretanto, não foi somente a resistência de Xucra que demonstrou uma grande capacidade de recuperação, mas a de seu cavaleiro também. Próximo ao evento, Moura sofreu um acidente e estava bastante debilitado quando subiu no lombo de sua companheira. Portanto, para ele, a dupla conseguir chegar bem ao final de um desafio dessa magnitude é uma conquista sem precedentes e de um valor inestimável. “Não tem explicação, todos os cavalos estão bem treinados. E eu nunca pensei no prêmio mesmo. A vida do animal vale muito mais. Foi o respeito que tenho por ela e o trabalho de todos que nos ajudou a ganhar. E eu, achei que nem ia estar aqui, mas com o apoio de todos, conseguimos”, fala Moura ao enxugar as lágrimas que insistiam em cair enquanto ele falava da emoção de se recuperar a tempo e da égua chegar saudável ao momento de sua consolidação na temporada.
Na maior parte das etapas, a dupla formada por Índia do Rincão da Querência, sob o comando de Luís Umberto Rodrigues, o Balula, vinha fazendo os melhores tempos. Mas tudo tomou um novo rumo quando Xucra e Moura colocaram a estratégia da Cabanha Xucra em ação. E se na maior parte da prova a campeã das duas marchas de 2014 comandou o certame, na largada derradeira vários conjuntos tiveram o gostinho de puxar a tropa que chegou a ser capitaneada no trajeto, cabeça a cabeça, por vários conjuntos, entre eles, Caprichosa Del Metejon.
Apesar de ser um duro desafio, a Marcha não é uma prova arbitrária. Pelo contrário, a preocupação com o bem-estar animal é a palavra de ordem, por isso cada seletiva conta com uma equipe de veterinários responsáveis pela monitoração das condições dos Crioulos durante cada fase. Em Bagé, Carlos Casas Pereira, Fabiane Alves Michelon, Leandro Cruz Freitas, Natasha Moreira Abascal e Rodrigo Dias Michelon formaram a Subcomissão Veterinária.
Conforme o comissário da prova, Carlos Sá Azambuja Neto, um dos grandes pontos altos foi o alto nível de responsabilidade dos cavaleiros, que souberam respeitar o limite de cada exemplar, sem exigir em nenhum caso além da conta. “Tudo transcorreu da melhor forma possível, a comissão veterinária muito bem preparada e a conscientização dos ginetes foram exemplares. Isso aliado a uma série de fatores e ao preparo dos animais fez com que todos chegassem em boas condições”, afirma.
A seletiva contou ainda com a supervisão técnica de Luiz Francisco Quadros Leite, profissional credenciado à Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
Confira o resultado
1º Lugar
Xucra Apagada
Ginete: Eduardo Vidal de Moura
Tempo: 67h26’40’’
2º Lugar
Caprichosa Del Metejon
Ginete: Ivonir Silveira
Tempo: 67h38’41’’
3º Lugar
Fumarada Del Camino
Ginete: Alberto Patrón Araújo
Tempo: 67h45’09’’
Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação
Texto: Andressa Barbosa/ABCCC

Classificatória ao Freio de Ouro em São Paulo promove integração de regiões

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

O município de Itu, em São Paulo, realiza entre os próximos dias seis e dez de julho duas provas oficiais da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Animais das regiões de Mato Grosso, Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul irão participar da Classificatória ao Freio de Ouro e da Morfologia Passaporte, que será realizada na Fazenda Capoava. Em torno de 50 a 60 conjuntos devem disputar a Classificatória que irá definir até oito finalistas para Esteio, em agosto, e cerca de 57 animais participarão do Passaporte.
Esta é a segunda classificatória de Itu. Segundo o vice-presidente de Comunicação e Marketing da ABCCC, Onécio Prado Junior, a primeira que ocorreu no ano passado foi excelente desde os participantes até o público que se fez presente. Afirma que, para este segundo ano consecutivo de evento, a expectativa é muito boa dentro da política da Associação de levar o cavalo Crioulo para outros centros, incentivando o crescimento da raça nas outras partes do Brasil, como Sudeste, Centro e Centro-Oeste.
O dirigente destaca que a ABCCC aproveitou para realizar junto com a classificatória o Passaporte da Região de São Paulo. “Nós estamos esperando um evento maior ainda do que foi no ano passado, quando tivemos a participação de muitos Estados. Acredito que será um evento excelente e que vai fomentar o desenvolvimento do cavalo Crioulo na região”, salienta.
Os números comprovam a evolução da raça Crioula em São Paulo. Em 2015, o crescimento registrado foi de 8,2%, em relação à 2014, segundo dados da ABCCC. O número de animais passou de 9,42 mil para 10,2 mil exemplares. Fora os Estados da região Sul do Brasil, os paulistas compõem o maior plantel do país. O crescimento registrado ficou acima da média do Brasil, que foi de 6,4% no ano de 2015 e manteve a média da região Sudeste, que também cresceu 8% no ano passado.
Para avaliar os animais em prova e selecionar os melhores na Classificatória, dois trios de jurados farão parte do evento. No julgamento das fêmeas, estarão Luiz Martins Bastos Neto, Felipe Caccia Maciel e João Francisco Silveira da Silveira. Segundo Bastos Neto, que também fará o julgamento no Passaporte, a expectativa para a Classificatória de Itu é muito boa, pelo excelente nível de pista e de gado. “Esperamos que seja um evento que acrescente para a raça Crioula, principalmente com a ideia de expansão para o Norte e Brasil Central, com importantes animais correndo a prova, com um bom nível funcional”, afirma.
Com relação ao Passaporte, Bastos Neto tem a expectativa de que terá um bom nível porque participarão cabanhas importantes que criam Crioulo na região do Paraná e São Paulo. “Acredito que estas cabanhas irão levar animais para tentar o Passaporte para Esteio, para não precisar esperar pela prévia. Por isso, espero que seja um evento qualificado”, salienta.
Já o trio que irá julgar os machos é formado por Carlos Marques Gonçalves Neto, Mário Móglia Suñe e Roither Bez Barzan. Para o jurado Gonçalves Neto, a perspectiva é de um excelente evento, com um grande volume de animais inscritos e um alto nível de provas. “Com a participação de muitos animais credenciados na região de São Paulo, além dos Estados do Sul e de Brasília, a perspectiva é de uma grande Classificatória em lugar bonito de muito desenvolvimento”, garante.
Confira a programação
6 de julho (quarta-feira)
14h – Concentração de Machos
17h – Exame de Admissão – Morfologia Passaporte
7 de julho (quinta-feira)
8h – Início julgamento Morfologia Passaporte
14h – Continuação julgamento Morfologia Passaporte
17h – Início admissão Classificatória
19h – Término admissão Classificatória
8 de julho (sexta-feira)
8h – Julgamento Morfológico – Fêmeas/Machos
11h – Andaduras/Figura/VSP-Esbarradas – Fêmeas/Machos
9 de julho (sábado)
8h – Prova Mangueira – Fêmeas/Machos
14h – Prova de Campo – Fêmeas/Machos
10 de julho (domingo)
9h – Fase Final (Mangueira/Bayard-Sarmento/Prova Campo)
12h – Encerramento e entrega de Prêmios
Texto Rejane Costa/AgroEffective
Mais informações sobre a ABCCC