Archive for novembro, 2016

Obra Prima da República Crioula vence em Pantano Gande

A égua Obra Prima da República Crioula, da Cabanha República Crioula, de Tupanciretã (RS), foi a grande estrela da exposição morfológica de Pantano Grande, evento que ocorreu sábado (26). A égua, filha de Desafio de Santa Edwiges e Festança do Tero foi a Grande Campeã das fêmeas e Melhor Exemplar da Raça. A exposição contou com 88 animais. Alexandre Araújo foi o responsável por organizar as filas e determinar os quatro machos e quatro fêmeas que melhor representam um bom exemplar. A supervisão técnica da exposição, que ocorreu no parque de eventos Rebenque Velho, foi do técnico Olmiro Alndrade Filho. Veja os outro vencedores abaixo:

 

Confira do resultado (ainda não homologado pela ABCCC):

 

Fêmeas

Grande Campeã e Melhor Exemplar da Raça

Obra Prima da República Crioula, filha de Desafio de Santa Edwiges e Festança do Tero;  criador e expositor Rodrigo Pacheco Teixeira, Cabanha República Crioula – Tupanciretã/RS

 

Reservada Grande Campeã

Luz Del Fuego 1808 Maufer, filha de AS Malke Sedutor-TE e Tranquila 217 Maufer; criadores e expositores Maurício e Fernando Lampert Weiand, Cabanha Maufer – Cruzeiro do Sul/RS

 

3ª Melhor Fêmea

Xereta da Macena, filha de Equador de Santa Edwiges e Malagueña da Macena; criador José Atílio Muricy e expositor Plasma Pavimentadora e Const. LTDA, Estância da Plasma – Taquara/RS

 

4ª Melhor Fêmea

Tropilha do Purunã, filha de Dom Carrasco do Purunã e Lichiguana do Purunã; criador Mariano Lemanski e expositor Leônidas Burtet, Agropecuária Burtet – Cachoeira do Sul/RS

 

Machos

Grande Campeão

Quebracho II da Ouro Branco, filho de Damasco da Ouro Branco e Estampa II da Ouro Branco; criador e expositor Erni Grieleber, Fazenda Ouro Branco – Camaquã/RS

 

Reservado Grande Campeão

Mapuche Gigolo, filho de Calfião Pandillero e Coscojera Cigarra; criadores e expositores Osvaldo e Renato Vacinaletti, Cabanha Mapuche – Pomerode/SC

 

3º Melhor Macho

Aquiles de Quaraci, filho de AS Malke Sedutor-TE e AS Malke Tequila; criadora e expositora Rosalie Tavares Negrini Jones, Cabanha Quaraci – Santa Cruz do Sul/RS

 

4º Melhor Macho

Campana Bordoneo, filho de Campana Viejo Padre e Campana Urca; criador e expositor Mário Móglia Suñe, Cabanha Campana – Bagé/RS

Seis novas subcomissões compõem a diretoria da ABCCC

Foto: Leandro Vieira/ABCCC/Divulgação

A busca por maior representatividade e aproximação de cada área ligada ao cavalo Crioulo resultou na criação de seis novas subcomissões dentro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Dando voz às categorias como as compostas por Ginetes e Núcleos, além de garantir a formação de grupos com pensamento voltado especificamente às Novas Modalidades, Doma de Ouro, Bem-Estar Animal e Manifestações Culturais, eles também foram articulados para expor à diretoria a necessidade de cada segmento.
A ideia do presidente Eduardo Suñe foi concretizada com base em seus 12 anos de experiência na entidade, cuja atuação permitiu que o olhar direcionado ao universo da raça fosse aguçado sobre as demandas que surgem dentro e fora das pistas crioulistas. Explorando o universo de possibilidades da raça, a subcomissão das Novas Modalidades é considerada uma dos pontos chaves para dar continuidade ao fomento, assim como o incentivo direto à Doma de Ouro, que consolidou um grande espaço nas pistas e no coração dos competidores.
Com o novo momento, Núcleos e Ginetes também ganharam o espaço necessário para a troca de ideias e exposição de suas demandas. Assim como enfatiza Vanderlei Casagrande, coordenador de Núcleos. “É uma oportunidade para unir ainda mais a família do cavalo Crioulo e reduzir alguns problemas que por vezes acontecem”, enfatiza o dirigente.
O mesmo se aplica aos Ginetes, cujo comando foi colocado nas mãos de Guto Freire. No que diz respeito à subcomissão Cultural, o coordenador Rodrigo Bauer menciona que a iniciativa serviu como uma porta aberta para o incentivo – o que consolida ainda mais a presença do cavalo Crioulo como objeto acompanhante de melodias, além de explorá-lo como inspiração para demais manifestações culturais relacionadas.
Em meio a isso, há uma preocupação incessante envolvendo o Bem-Estar dos animais que movimentam a raça e suas devidas competições, cuja atenção existe desde muito antes das questões atuais relacionadas à Vaquejada. Com a formação de um grupo responsável por atuar neste segmento, e com a coordenação de Marcelo Cairoli, o planejamento para o futuro já está acontecendo e garante a continuidade do trabalho de proteção.
Texto: Marina Bonati/ABCCC