Archive for fevereiro, 2017

Quarto colocado do Freio de Ouro terá premiação

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A partir deste ano, o quarto colocado do Freio de Ouro também será premiado. A medida já vale a partir do Bocal de Ouro e seguirá em todas as classificatórias e para a grande final. A medida foi aprovada por unanimidade em assembleia realizada pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). A denominação do prêmio será escolhida pelo público em votação no site da entidade, que poderá optar por Freio de Cobre ou Freio de Alpaca
De acordo com o vice-presidente de Eventos da ABCCC, Eduardo Azevedo, o grande foco do prêmio é valorizar a função tanto quanto a morfologia, que já premia quatro exemplares nas exposições. Reforça que este era um pedido antigo dos associados e aficcionados pela raça. “Além de termos uma demanda grande de pessoas que sugeriam a existência desta medida, a ideia é igualar à premiação da morfologia, atingindo mais um Cavalo Crioulo”, destaca.
A medida foi aprovada pelos criadores presentes na Assembleia da ABCCC. Gilberto Freitas, da Cabanha Santa Fé, de Taquara (RS), um dos criadores que votou a favor, reforça também que o prêmio para o quarto colocado do Freio de Ouro é importante por valorizar a funcionalidade da raça Crioula. “Isso demonstra que a função é tão importante quanto à morfologia”, acrescenta o criador.
A votação estará disponível até o dia 15 de março de 2017 no site da ABCCC (www.abccc.com.br)
Texto: Marina Bonati/ABCCC

ABCCC – 85 anos de evolução

* Eduardo Suñe
Já faz muito tempo, desde que o homem do campo entendeu que poderia utilizar o cavalo como ferramenta auxiliar ao seu trabalho, que esse animal se tornou mais do que simples condução. Sobre a sua garupa, fronteiras foram quebradas, territórios desbravados e novas formas de qualificar o serviço rural foram desenvolvidas.
Todas essas conquistas consolidaram o cavalo como extensão indispensável ao braço do campeiro. Mais especificamente, a raça Crioula – caracterizada pela rusticidade, versatilidade funcional e alta capacidade de adaptação – passou a ser reconhecida como a parceira ideal na administração das lidas, além de se destacar também no esporte e no lazer.
Esse reconhecimento, porém, exigiu muita organização, empenho e dedicação. E foram essas características, somadas à afeição e apego do gaúcho ao seu cavalo, que nortearam os visionários que, há 85 anos, idealizaram uma entidade capaz de unir e incentivar os seus associados a trabalhar em favor de uma raça.
Desde 1932, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) atua sob os mesmos preceitos: preservar, melhorar e difundir a raça Crioula no Brasil. E assim vem sendo, através de tantos homens e mulheres que se sucederam nos mais diversos cargos e funções ligadas à entidade e que, de alguma forma, deram a sua contribuição com a evolução dos serviços prestados por ela.
Passadas oito décadas e meia desde sua criação, hoje temos orgulho de fazer parte do quadro de uma instituição reconhecida como uma das maiores associações de raça no país, respeitada pela credibilidade e considerada uma referência em gestão técnica e administrativa. Durante todo esse período, a ABCCC profissionalizou a sua atuação, modernizando os seus métodos sem deixar de valorizar a tradição da sua cultura.
Seu trabalho fez a raça tornar-se conhecida e admirada em todo o país. Mais do que isso, deu luz à multifuncionalidade do Cavalo Crioulo provando que, além de incansável no serviço, ele também poderia ser um excelente atleta nas mais diversas modalidades dos esportes equestres e ainda um belo e dócil companheiro nas cavalgadas e atividades de lazer em família.
Esse amplo leque de opções associadas à raça possibilitou a sua expansão pelo país, e o colocou entre as maiores manadas de equinos do Brasil. O Cavalo Crioulo, reconhecido por lei como o animal símbolo do Rio Grande do Sul, é atualmente o responsável por um complexo econômico que movimenta cerca de R$ 1,28 bilhão e gera mais de 280 mil postos de trabalho por ano no país, segundo levantamento feito pela Esalq/USP.
Toda essa evolução, no entanto, não satisfaz as nossas aspirações. Queremos, e temos a convicção de que é possível, crescer ainda mais. E vamos trabalhar muito por isso. Mantendo os mesmos preceitos que nortearam aqueles que, lá no início, fizeram essa realidade possível: a qualificação criteriosa e fundamentada, mirando o futuro sem abdicar de nossas raízes.
* Presidente da ABCCC

AgroCampo comemora um ano de atividades

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A AgroCampo, de Pantano Grande, comemorou no sábado (11) o seu primeiro ano de atividade com um evento campeiro, no Parque de Eventos Rebenque Velho. A festa reuniu mais de 50 pessoas, que participaram de provas campeiras durante o dia. Crianças e adultos se divertiram nas provas de tambor, baliza, estafeta e tiro de laço em vaca mecânica. Segundo a proprietária da loja, Maiara Bertoldi, o evento foi bem produtivo e todos se divertiam em provas que tinham como objetivo incentivar a interação com cavalos. “Algumas destas provas não são mais realizadas nos rodeios, então esta foi uma oportunidade de resgatá-las e apresentar aos mais novos como uma forma de divertimento diferente”, conclui.

O evento também teve cunho social, pois a inscrição para participar era um quilo de alimento, que será doado para o Asilo Dois Cerros, de Pantano Grande e o orfanato Mari Taranja, de Rio Pardo, ao todo foram mais de 90 quilos arrecadados.

A AgroCampo é especializada em produtos para o campo e está situada ás margens da BR 290, em Pantano Grande, próximo ao Posto Nevoeiro.

Final do Crioulaço vai distribuir mais de R$ 70 mil em prêmios

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

A modalidade que movimenta o maior número de participantes dentro do ciclo da raça Crioula já tem programação definida. O Crioulaço, promovido pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) está de volta ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), de 21 a 23 de abril. Serão distribuídos aos vencedores das 12 categorias mas de R$ 70 mil em prêmios.
Um dos objetivos da ABCCC nesta gestão, juntamente com a Subcomissão do Crioulaço, é valorizar cada vez mais o laçador. Em reuniões realizadas pela equipe de trabalho da modalidade, a ideia é cada vez mais reforçar a proximidade do público com o competidor. A busca pela melhoria no desempenho dos conjuntos e das duplas em pista e da valorização da prova é um dos grandes pontos avaliados até então. Em 2016, as provas de laço realizadas pela ABCCC reuniram 1245 duplas em 150 eventos ocorridos pelo país.
A pista prevista para a competição será a do Freio de Ouro. Caso chova, as provas serão realizadas na pista P1. Conforme o coordenador da Subcomissão do Crioulaço, Fabiano Matter, o retorno da modalidade para o Parque de Exposições Assis Brasil será uma atração para os laçadores. “Hoje quando se fala em cavalo Crioulo a primeira coisa que se lembra é a pista de Esteio. Só neste mérito de trazer para a pista do Freio de Ouro, que é o sonho de todo o competidor correr ali, já vai mobilizar os competidores para chegarem à grande final”, salienta.
O Crioulaço vem mobilizando laçadores de todo o país. Na final do ano passado, por exemplo, os vencedores do circuito paulista de laço já estiveram presentes na competição e a expectativa é que novamente participem em 2017. Nos mais de R$ 70 mil distribuídos nos três dias de prova, serão R$ 25 mil para os vencedores da Força A, R$ 15 mil na força B e R$ 10,5 mil para os vencedores na Força C.
Confira a premiação dos primeiros colocados
Força A 1º lugar – R$ 10 mil
Força B 1º lugar – R$ 4 mil
Força C 1º lugar – R$ 2 mil
Laço Criador 1º lugar – R$ 1 mil e troféu
Laço Guri 1º lugar – R$ 600 e troféu
Laço Piá 1º lugar – R$ 500 e troféu
Laço Pai e Filho 1º lugar – R$ 600 e troféu
Laço Pai e Filha 1º lugar – R$ 600 e troféu
Laço Irmãos 1º lugar – R$ 600 e troféu
Laço Veterano 1º lugar – R$ 500 e troféu
Laço Feminino 1º lugar (até 12 anos) – R$ 500 e troféu
Laço Feminino 1º lugar (acima de 12 anos) – R$ 1,5 mil e troféu
Confira a programação
21 de abril (sexta-feira)
8h – Recepção dos visitantes e convidados
9h – Início das inscrições das modalidades e entrega dos coletes
13h – Laço Veterano, Laço Irmãos e Laço Taça Integração GSW Reboques (1 inscrição por dupla)
Força A: um reboque p/ um cavalo GSW reboques (para em 4 duplas ou menos)
Força B: R$ 2 mil (para dez duplas ou menos)
20h – Tertúlia Livre
22 de abril (sábado)
8h – Laço Criador, Laço Pai e Filho, Laço Pai e Filha, Laço Piá, Laço Guri, Laço Feminino até 12 anos, Laço acima de 12 anos e Laço Dupla Oficial
12h – Almoço (descanso do gado); Laço Dupla Oficial
19h – Abertura Oficial da Final Nacional do Crioulaço; Armada de Abertura (homenageados) e Ginetes do Freio de Ouro; entrega das premiações; show (a definir); raspadinha (se houver tempo)
23 de abril (domingo)
8h – Final Força C, B e A
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Exposições da raça Crioula ocorrem em oito Estados brasileiros

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

As classificatórias para um dos maiores eventos da raça Crioula já têm datas definidas. As exposições morfológicas de passaporte habilitam os animais para a Final Nacional da Morfologia, que ocorrerá durante a Expointer 2017, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). Serão 18 seletivas realizadas do Sul ao Norte do Brasil. Os eventos serão realizados em Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.
Conforme o vice-presidente de Eventos da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, Eduardo Azevedo, a realização de etapas das exposições morfológicas em regiões de fomento, como Sudeste e Centro-Oeste do país, reafirmam o trabalho que vem sendo desenvolvido para difundir a raça Crioula em território nacional. “É muito importante para nós esta presença nestas regiões de fomento para divulgação da raça e abertura de mercados e estas exposições são fundamentais. Nosso plano é levar as exposições em primeiro lugar e depois trabalhar a realização de provas onde possamos mostrar o potencial morfológico e funcional do cavalo Crioulo”.
Os números comprovam esta evolução que vem sendo fomentada por estes eventos. Em 2016, de acordo com levantamento divulgado pela associação, o cavalo Crioulo chegou a um total de manada de 480,65 mil animais no país, alta de 4,35% no número de exemplares registrados. A Região Centro-Oeste, por exemplo, cresceu 7,27%, se consolidando como um dos destaques da expansão. Já o Sudeste fechou com alta de 4,69%.
Todas as mostras são organizadas pelos Núcleos de Criadores de Cavalos Crioulos das respectivas cidades que sediarão cada atividade. Já a Exposição Outonal, realizada em Esteio, é promovida pela ABCCC. A Prévia, última etapa de classificação dos animais para a Final Nacional da Morfologia, irá acontecer entre os dias 21 e 23 de julho, em Esteio (RS).
Confira o calendário
Londrina (PR)
31/3 a 2/4
Campo Grande (MS)
1 a 2/4
Outonal em Esteio (RS)
5/4
Pelotas (RS)
20 a 23/4
Uruguaiana (RS)
28 a 29/4
Bagé (RS)
5 a 6/5
Uberaba (MG)
04 a 6/5
São Lourenço (RS)
13 a 14/5
Araranguá (SC)
26 a 28/5
Caxias do Sul (RS)
26 a 27/5
São Borja (RS)
16 a 18/6
Avaré (SP)
22 a 25/6
Vacaria (RS)
24 e 25/6
Lages (SC)
30/6 a 2/7
Lavras do Sul (RS)
1 a 2/7
Pato Branco (PR)
7 a 9/7
Campo Verde (MT)
7 a 8/7
Brasília (DF)
13 a 15/7
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective