Archive for março, 2017

Cavalo Crioulo tem crescimento de 4,5% em Mato Grosso do Sul

Foto: Fagner Almeida/Divulgação

Mais uma vez o cavalo Crioulo apresentou crescimento em Mato Grosso do Sul. O Estado, que vem ganhando espaço no cenário da criação da raça, teve uma elevação de 4,52% na manada, com 2,62 mil exemplares, configurando-se no maior rebanho no Centro-Oeste, região brasileira que teve alta 7,27% em 2016 conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
De acordo com o presidente do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos em Mato Grosso do Sul, Eduardo Coelho, um dos principais motivos para este crescimento vem sendo a busca de animais por usuários dos cavalos para a disputa de provas equestres, especialmente para a modalidade do laço, que vem sendo um dos destaques na região. “Há um grande interesse do usuário do cavalo comprar o animal para estas provas, temos sentido um aumento de demanda nesta parte”, destaca.
Além disto, Coelho ressalta também o investimento dos criadores em genética de qualidade dos animais que hoje participam de mostras e exposições da raça Crioula, e isto tem também ampliado a imagem do cavalo Crioulo em Mato Grosso do Sul, que também vem sendo usado na pecuária extensiva pela sua habilidade e rusticidade no trabalho a campo. “Os níveis dos animais dos criadores do Estado vem crescendo ano a ano e esperamos uma projeção muito forte dos animais que são nascidos aqui”, ressalta.
Todo o trabalho desenvolvido pelos criadores poderá ser visto nos dias 1º e 2 de abril na Exposição Morfológica Passaporte de Campo Grande que ocorre no Parque Laucídio Coelho, sede da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), durante a edição da Expogrande. Os campeões garantem vaga no julgamento da Exposição Morfológica da Expointer, em Esteio (RS). O julgamento ficará a cargo de Luis Rodolfo Machado. Também será promovido no sábado, dia 1º de abril, o leilão Genética Aditiva.

Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Bocal de Ouro inaugura novo sistema de admissão dos animais

Foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Novidades vão marcar o Bocal de Ouro 2017, que ocorre entre os dias 6 e 9 de abril, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). O título será disputado entre 96, inéditos, cavalos Crioulos, sendo 48 machos e 48 fêmeas. Desses, 16 conjuntos podem garantir a classificação para a Final do Freio de Ouro durante a Expointer, em agosto.

 

O novo sistema de admissão dos animais está entre as novidades do evento deste ano. O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Eduardo Suñe, afirma que com foco no bem-estar animal, todos os exemplares da raça passarão por uma equipe de veterinários credenciada pela Federação Equestre Internacional (FEI). “Será realizado um exame mais detalhado dos animais para que tudo esteja de acordo com as normas de bem-estar animal”, explica.

 

Durante o evento também serão inauguradas melhorias na área de convivência da ABCCC dentro do Parque de Esteio para associados, criadores e usuários da raça. Segundo Suñe, atendendo a uma demanda dos associados, foram construídos novos banheiros, uma chapelaria e a cozinha foi reformada.

 

Entre as novidades, ainda tem o acréscimo de uma nova nomenclatura para o 4º lugar da prova, denominada Bocal de Alpaca. O mesmo valerá para o Freio de Ouro, ao lado dos três primeiros lugares, Bocal de Ouro, Bocal de Prata e Bocal de Bronze.

 

Suñe acredita em um Bocal de Ouro de sucesso, com animais muito competitivos e ressalta também como positivo o trabalho realizado pelo Conselho Deliberativo Técnico e diretoria da ABCCC na escolha dos trios de jurados. “Foram muito felizes ao mesclar jurados experientes com jurados novos que vêm atuando muito, a pedido dos Núcleos. Isso nos dá a certeza de um julgamento muito equilibrado e de um Bocal que novamente ficará na história da raça”, garante.

 

Os jurados das fêmeas serão João Luís Arísio, Vinícius Guedes Freitas e Guilherme Kempa Abascal. Segundo Arísio, a maioria dos animais que se destacam nesta prova chegam forte à Final do Freio de Ouro. O jurado diz que todos os anos a expectativa é sempre muito grande em cima desses animais e agora não será diferente. “A pontuação das fêmeas credenciadas para o Bocal é sempre elevada, com boas médias”, afirma.

 

Arísio também destaca o critério utilizado na escolha dos jurados, todos com bastante afinidade e o mesmo objetivo para o julgamento. “Isso faz com que se transforme numa expectativa de julgamento mais parelho, com boas notas e objetividade no que se espera de resultado nas pistas”, acrescenta.

 

Na categoria machos, serão jurados Luiz Alberto Martins Bastos, André Luiz Narciso Rosa e João Francisco Silveira. Para Bastos, a expectativa é sempre de que um Bocal de Ouro supere o outro. “A cada ano os animais devem estar melhores. A qualidade deles e do treinamento se refletem durante a apresentação nas provas”, salienta.

 

A programação do Bocal de Ouro 2017 inicia na terça-feira, dia 4, às 16h, com o Exame de Admissão dos animais, e a partir da quinta-feira, dia 6, começam os julgamentos. A entrada no Parque de Esteio para o evento até o domingo, dia 9, quando ocorre a fase final da prova e entrega de prêmios, é gratuita.

 

 

Confira a programação

 

4/4/2016 (terça-feira)

 

16h – Início do Exame de Admissão Expo Outonal e Bocal de Ouro

 

5/4/2016 (quarta-feira)

18h – Encerramento da entrada dos animais do Bocal de Ouro

20h – Encerramento do Exame de Admissão Bocal de Ouro

21h – Remate Carpe Diem e Mapocho

 

6/4/2016 (quinta-feira)

9h – Julgamento Morfológico do Bocal de Ouro (Fêmeas)

14h – Julgamento Morfológico do Bocal de Ouro (Machos)

21h – Remate Macanudo e Liberdade

 

7/4/2016 (sexta-feira)

8h – Andaduras/Figura/VSP/Esbarradas (Fêmeas)

13h – Andaduras/Figura/VSP/Esbarradas (Machos)

21h – Remate Don Marcelino e La Castellana

 

8/4/2016 (sábado)

8h – Julgamento Prova de Mangueira I (Fêmeas e Machos)

14h – Julgamento Prova de Campo I (Fêmeas e Machos)

21h – Remate Cabanha Malke

 

9/4/2016 (domingo)

9h – Fase Final Bocal de Ouro (Mangueira II/Bayard-Sarmento/Campo II)

12h – Encerramento e entrega de prêmios do Bocal de Ouro

21h – Remate Las Missiones

 

 

 

Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Arriba Gaúchos

Foto: arquivo pessoal

O leitor Tiago da Rosa Cabrioli nos enviou uma foto da cidade de Tepic, no México, com o aplicativo da revista Imagens Gaúchas e moradores locais. Cabrioli, que está na cidade a passeio, usou o aplicativo da revista Imagens Gaúchas, que pode ser baixado no mundo todo, para interagir com moradores locais. Na imagem, ele posou com  uma indígena da tribo Corá. “Mostrei a eles como é a cultura do Rio Grande do Sul, como uma forma de interagir e destacando a beleza e autenticidade do Rio Grande do Sul. Eu estava explicando um pouco da nossa cultura de ser gaúchos, de amar aos cavalos, o que fazemos e como é nossa comida típica”, explicou.

Segundo Cabrioli a revista chamou a atenção pelas imagens. “Eles gostaram porque é bem diferente das coisas que eles fazem com cavalos aqui. Geralmente os eventos e competições aqui no México com cavalos envolvem manobras e até danças”, explicou.

Tepic, é capital do estado de Nayarit e foi fundada em 1542. Fica próxima de um vulcão extinto, o Sanganguey, é a maior cidade de uma região que se caracteriza pela agricultura. Cabrioli lembra que viveu na cidade por um ano, entre 2012 e 2013, durante intercâmbio.

Quando a tecnologia chega nos rodeios

foto: Marcus Tatsch/Imagens Gaúchas

Em uma época que a tecnologia passou a fazer parte da vida das pessoas, o gaúcho que cultua as tradições nas provas campeiras não poderia ficar de fora. O Sistema Serto de Rodeios (SSR) surgiu da necessidade de informatizar e organizar as provas, facilitando o controle de equipes e mantendo um registro de cada prova.

“No passado, os rodeios eram considerados apenas uma maneira de diversão e entretenimento, porém, com a profissionalização de laçadores e ginetes, as provas foram se tornando uma espécie de comércio, exigindo organização e um controle preciso e efetivo”, afirma o técnico Bruno Eilers, responsável pelo desenvolvimento do sistema.

Eilers explica que fazem oito anos que o Sistema Serto de Rodeios (SSR) foi consolidado, garantindo qualidade e agilidade, seguindo as normas do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), com conferência de CPF e carteira do MTG. “É um procedimento bem dinâmico, praticamente online, a equipe está fazendo a inscrição e ao mesmo tempo a prova está acontecendo, os dados chegam ao narrador com precisão e clareza”, destaca.

Eficiente e flexível, o sistema engloba a inscrição da equipe, conforme a modalidade, tanto para as provas principais como para as menores, dando um suporte em toda a realização do rodeio. Além disso também foi desenvolvido um sistema com ênfase ao Crioulaço da  ABCCC, com registros dos cavalos, cumprindo as normas da entidade.

“Neste trabalho, nos preocupamos com o controle de armadas por provas para entregar no final do evento a contagem do gado. Quem lida com isso na região, já conhece e confia justamente por entregarmos as planilhas completas e separadas por provas”.

Os CTGs ou piquetes precisam apenas fornecer a estrutura necessária para a equipe da Serto Serviços, de Caçapava do Sul, faça com que o evento acorra de maneira ágil e precisa.

Maiores informações sobre o serviço você encontra na página do Facebook www.facebook.com/sistemarodeios ou pelos telefones (55)3281-1839 ou 99622-1839.

4º Colocado do Freio receberá troféu de alpaca

Depois de 869 interações e 21 dias de votação aberta ao público, chegamos ao final da votação que decide qual o nome leva o troféu do 4º colocado no Freio de Ouro 2017. Com 55,4% dos votos a Alpaca foi a escolhida e apenas 1,7% do público votou para que outro material, além dos dois dispostos, fosse escolhido. O prêmio escolhido já estreia no próximo Bocal de Ouro, onde teremos o Bocal de Alpaca para o 4º lugar. Para o Freio de Ouro, vamos aguardar para saber quem será o primeiro Freio de Alpaca.

Raça Crioula estará presente na nova novela das seis

O casting das novelas brasileiras conta novamente com um cavalo Crioulo atuando junto ao protagonista de uma trama. Depois de atuar na primeira fase de “Além do Tempo”, Cinchador Sombrero estará na nova novela das seis da Rede Globo, “Novo Mundo”, com estreia prevista para o dia 22 de março. Desta vez, o companheiro de cena será o ator Caio Castro.
Há três anos nos campos da Cabanha Don Diló, em Cachoeiras de Macacu (RJ), o exemplar do criador André Luís Vaz Machado irá integrar um cenário que remete ao século XIX, entre os anos de 1817 e 1822. Na novela passada, Cinchador Sombrero atuou ao lado de Rafael Cardoso, que vivia o personagem Conde Felipe, em “Além do Tempo”, trama que foi dividida em duas partes, passado e presente.
A oportunidade surgiu quando a produção pediu por um cavalo manso que se adaptasse ao dia a dia das gravações, cujas luzes e barulhos são fatores recorrentes. Além disso, a direção procurava por um animal com trote e encontrou em Cinchador Sombrero a oportunidade de obter esses pré-requisitos, visto que o animal já era conhecido por participar da novela anterior.
Assim, começou a jornada de treinamento. De acordo com seu proprietário, André, o ator Caio Castro teve uma semana de aula para criar sintonia com o animal e, enfim, entrar em cena. “O cavalo tem que ser dócil, se adaptar ao cenário e ser submisso. É essa diversidade da raça Crioula que encanta”, descreveu Machado ao salientar que, dentre todos os pontos fortes dos Crioulos, a morfologia é o que mais chama a atenção de quem os vê de fora. Além disso, o tratamento direcionado ao animal também gera apreço.
Além do desempenho nas telas, o cavalo da raça Crioula apresenta resultados nas pistas. Machado adquiriu Cinchador Sombrero para competir. No entanto, o cavalo mostrou que, além de atleta, é também multipotencial. Ao longo de três anos, ele soma mais de dez primeiros lugares no Team Penning, modalidade equestre que demonstra aptidão com o gado, conquistou o pódio no Ranch Sorting, prova recém chegada ao Brasil, e foi coringa duas vezes na credenciadora ao Freio de Ouro do Rio de Janeiro, principal competição do cavalo Crioulo.
Foto: Arquivo Pessoal
Texto: Redação ABCCC

Morre La Frontera Tormento, único cavalo chileno a vencer o Freio de Ouro

Morreu nesta quarta-feira, dia 15 de março, um dos mais importantes cavalos da raça Crioula. Importado do Chile, La Frontera Tormento foi o único exemplar daquele país a conquistar o Freio de Ouro – em 1993, montado pelo ginete Vilson Souza.
De propriedade das cabanhas Maufer e Monte Bello, Tormento viveu até os 34 anos. Como reprodutor, tornou-se um dos expoentes da raça, sendo um dos primeiros a integrar a seleta lista do Registro de Mérito da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Atualmente, tinha 100 filhos e 252 netos pontuados.
Na Cabanha Maufer, situada no município de Cruzeiro do Sul (RS), La Frontera Tormento deixa diversas filhas, que prometem dar continuidade a esse legado genético. Entre os filhos de destaque do garanhão está Salário 163 Maufer, que sagrou-se Bocal de Bronze em 2007.
TEXTO: Estela Facchin
FOTO: JG Martini

Leilão da São Rafael ultrapassa os R$ 3 milhões em vendas

Celebrando os 30 anos de trabalho voltado para o cavalo Crioulo, a Cabanha São Rafael comemora o bom resultado nas vendas de seu vigésimo-segundo leilão, realizado na noite deste sábado, 11 de março, na sede em Balsa Nova (PR). Com o recinto lotado, o leilão alcançou um faturamento de R$ 3,2 milhões na comercialização de 63 animais e alcançando uma média geral de R$ 50,76 mil por lote. De acordo com o leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, que foi o responsável pelas vendas na noite, uma das surpresas foi o grande número de novos compradores no leilão, mostrando que há espaço no mercado. Como o leilão é um balizador do ano de vendas da raça Crioula, projeta também um cenário positivo para quem tiver genética reconhecida. “Quando tivermos qualidade de oferta em pista como a que tínhamos neste remate da São Rafael, acreditamos que teremos resultados positivos como o deste final de semana”, observa. O destaque da noite nas vendas foi a égua Naia do Purunã, grande campeã da Expointer em 2004, comercializada ao valor de R$ 340 mil. Parte da renda do leilão será revertida para a criação do Instituto Purunã, entidade idealizada para desenvolver o fomento, no âmbito turístico, de novos empreendedores e capacitar pessoas através da educação com vocação plena à sustentabilidade e ao ecoturismo, onde todo o trabalho será ligado pela preservação do meio ambiente e da cultura dos tropeiros, em atividades relacionadas ao cavalo.

Foto: José Guilherme Martini/Divulgação Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Redomão Cerro Frio com R$ 30 mil em prêmios

A Cabanha Cerro Frio, de Pantano Grande, vai distribuir R$ 30 mil em prêmios na prova Redomão Cerro Frio, que acontecerá nos dias 22 e 23 de abril na sede da Cabanha. A tradicional prova já está com inscrições abertas e além da ótima premiação habilita os vencedores ao Doma de Ouro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Além do Redomão, a Cerro Frio também fará seu primeiro Remate, no dia 22, após a prova, nele estarão a venda em torno de 25 lotes, com animais da Cerro Frio e de cabanhas convidadas. Os animais comercializados no remate estarão habilitados para o Prova Don Arturo, que premiará os melhores com dois carros zero.

A expectativa dos organizadores é que a prova Redomão Cerro Frio reuna cerca de 80 conjuntos.

As inscrições podem ser feitas através dos telefones : (51) 998696976 – Geneci Soares – (51) 995129192 – Preto Irigoyen – (53) 9 99742891 – Rogério Rosa

 

Programação

19 a 23 de março – Revisão dos Potros

21 de abril – Admissão do redomão

8 h – Início

19h – encerramento da admissão

22 de abril

8h as 9h – Encerramento Admissão

9h – Inicio da prova Redomão Cerro Frio

12h – Almoço

14h – Reinicio da prova

18h – Encerramento parcial da prova

20h – Leilão Redomão Cerro Frio e Convidados

 

23 de abril

9h – Final do Redomão Cerro Frio

12h – Entrega de Prêmios