Archive for julho, 2017

Exposição de Castrados pode virar prova definitiva no calendário de eventos da ABCCC

Fotos: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

A primeira edição oficial da Exposição de Cavalos Castrados promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) realizada nesta sexta-feira, 21 de julho, em Esteio (RS), tem tudo para entrar definitivamente no calendário de eventos da raça. A nova modalidade promovida pela entidade deu nova oportunidade aos animais de serviço, além de priorizar a participação de criadores e proprietários na disputa. O primeiro lugar ficou com BT Rioja, de propriedade de Marcelo Tellechea Cairoli, que também foi o ginete do cavalo. 

Na pista do Parque de Exposições Assis Brasil, os animais foram divididos em dois grupos, um com até oito anos e outro com cavalos acima de oito anos. Os conjuntos foram avaliados nas questões de morfologia e funcional, com a apresentação das andaduras, além de uma escaramuça livre e duas esbarradas. 

A responsabilidade de julgar a inédita prova ficou a cargo do experiente jurado João Alberto Dutra da Silveira, um dos idealizadores do Freio de Ouro e primeiro campeão da Paleteada. “Os castrados são uma grande ferramenta de serviço e um excelente termômetro para testar a geneologia. Achei importante o formato das avaliações com um peso importante na morfologia, pois mesmo o castrado precisa carregar o selo da raça. E a andadura, que é fundamental, especialmente por estarmos avaliando animais que são efetivamente de montaria”, disse Silveira, que teve como secretário seu filho João Francisco Silveira da Silveira.   

Para o vice-presidente de Eventos da ABCCC, Eduardo Azevedo, o principal objetivo foi atingido que é dar visibilidade a estes animais que geralmente são utilizados em provas que usam exemplares da raça como a Paleteada, Campereada Team Penning, Crioulaço e Ranch Sorting. “É uma iniciativa nova e estamos nesta expectativa pela novidade, pois nosso pensamento justamente é com foco nas provas esportivas. Como é uma categoria utilizada nestas modalidades, cremos que é importante dar esta visibilidade para estes animais”, ressalta.

 

 

Conhecidos os melhores domadores da Raça Crioula de 2017

Foto: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

A Final Nacional do Doma de Ouro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), ocorreu neste domingo, dia 23 de julho, na pista do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). Foram conhecidos os melhores domadores da raça Crioula de 2017 após a prova de Redomão, que consiste em avaliar a Doma de 21 dias dos animais e a de 1 Ano de Freio, que testa os animais após um ano do Redomão realizado no ano passado. As avaliações iniciaram na sexta-feira, dia 21. Os jurados foram os ginetes vencedores do Freio de Ouro 2016, Antonieto Rosa e José Fonseca Macedo.
O domador César Lopes, montando Linda Moça do Macanudo, subiu ao pódio na Prova de 21 Dias. Já na disputa de Um Ano de Freio, o destaque foi Ricardo Peres, com Rica Flor da Morada Nova, que afirma ter sentido uma forte emoção.  Peres também se diz honrado pelo título de Melhor Domador do Ano. “Este é o resultado de um trabalho difícil que tivemos ao enfrentar problemas de lesão com a égua, mas que por ser muito boa nos ajudou a buscar esta conquista”, salienta.
Peres que traz no sangue a quarta geração de domador da família, destaca que essa prova que a ABCCC está fazendo é muito importante para o domador de estância, que começa um cavalo para depois mais adiante o animal ir para o Freio de Ouro. “A gente se sente muito orgulhoso disso e fica grato por essa iniciativa da Associação de nos valorizar nesse sentido”, ressalta.
O vice-presidente de Eventos da ABCCC, Eduardo Azevedo, avalia como positiva a prova deste domingo. “ Tivemos o Domador do Ano, uma prova nova que esperamos que aumente um pouco mais o número de participantes para o ano que vem, pois sempre a primeira prova tem um número menor. Então a nossa expectativa é do ano que vem ter uma prova melhor ainda do que de 2017 que já foi bem positiva dentro do esperado”, observa Azevedo.
Foram entregues aos domadores R$ 20 mil divididos entre os cinco colocados de cada categoria. Para a competição do próximo ano, a premiação será dobrada.
 
 
Confira o resultado (ainda não homologado pela ABCCC):
DOMA DE 21 DIAS
1º lugar
Cesar Lopes, com Linda Moça do Macanudo
 2º lugar
Aluízio Peres, com Xaiene Ico
 3º lugar
Guinter de Quadros, com Itapitocai Epopeia 460
 4º lugar
Jardel Vargas, com Lenda do Macanudo – TE
 5º lugar
Alex Gonçalves, com Geada do Madrugador
UM ANO DE FREIO

1º lugar e Domador do ano
Ricardo Perez, com Rica Flor da Morada Nova
 2º lugar
Alan Machado Rosa, com Talha de Santa Thereza
3º lugar
Felipe Müller, com RF Xerga
 4º lugar
Felipe Santos, com Sia Dona de Santa Thereza
 5º lugar
Marcio Pereira, com Energia do Canto do Mato Grande

Campo Verde encerra ciclo de exposições da raça Crioula

 

Fotos: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

Em mais um evento de sucesso, o quarto consecutivo, o município de Campo Verde (MT) reafirma que é sede consolidada de seleção morfológica da raça Crioula, desta vez fechando a rota de Exposições Passaporte com o preenchimento de mais oito vagas no julgamento da Expointer. Com um total de 42 animais inscritos, sendo 36 confirmados seis incentivo, a mostra realizada nos dias 14 e 15 de julho colocou mais uma vez o cavalo Crioulo na vitrine da programação da ExpoVerde – maior feira agropecuária, comercial e industrial do município em sua décima oitava edição – valorizando ainda mais a criação e o trabalho locais no desenvolvimento da raça na região Centro Oeste.
Confirmando que a produção local está no caminho certo, teve expositor estreando após quase cinco anos dedicados à criação. Dono da égua Baronesa do Rancho Bravo – Grande Campeã e Melhor Exemplar da Raça – Fábio Roberson Ferreira, proprietário da Estância Rancho Bravo, comemorou a conquista inédita para a sua marca. Uma caminhada feita passo a passo, rumo ao privilégio de chegar a Esteio. “É a realização de um sonho, né. Um sonho que foi gradativamente sendo alcançado. Primeiro nós apresentamos ela ao pé, depois ela veio no incentivo no ano passado e esse ano veio como potranca. Acho que foi o reconhecimento de um esforço”, diz o proprietário que é também um dos fundadores do Núcleo Matogrossense de Criadores de Cavalos Crioulos (NMCCC), entidade organizadora do evento.
Do lado dos garanhões, a escarapela de Grande Campeão foi entregue a Las Callanas Les Digo, animal que veio de longe garantir o prêmio e a estreia na Morfologia da Expointer. Mais de dois mil quilômetros separam a cidade de Campo Verde dos municípios gaúchos de origem dos proprietários Anibal Torres, Diego Torres e João Vargas Nunes, de Dom Pedrito e Santiago, ambos em território gaúcho. Uma distância que não impediu a busca de um lugar no grande julgamento de Esteio (RS).
Após quatro anos selecionando para a Expointer, o município já deixou claro que além do desenvolvimento alcançado – que faz a cidade ser a primeira no ranking de geração de empregos ligados ao agronegócio e segunda na área do comércio no Mato Grosso – o local é o centro que une os criadores da raça Crioula em prol da seleção e melhoramento na área de expansão e fomento. Prova disso é a participação massiva dos proprietários residentes na cidade e arredores, com 80% dos animais presentes na exposição sendo de propriedade de expositores locais, muitos destes exemplares também nascidos na própria região. Números capazes de mostrar que, mesmo ainda recebendo de braços abertos a participação de outros estados – como do Rio Grande do Sul, desta vez – a região já consegue ser auto suficiente no sentido de apresentar um plantel digno de caminhar rumo ao principal desafio morfológico da temporada.
E se quem vence sai feliz, os responsáveis por fazer essa mostra acontecer também levam a satisfação de ver mais um sucesso na pista do Mato Grosso. “Pra nós é um grande prazer poder realizar mais uma passaporte aqui no Estado. E ao longo desses quatro anos, o que a gente nota é uma busca pela melhoria da qualidade, independente dos números”, destaca o presidente do NMCCC, Luiz Fernando Guerreiro, lembrando também da importância de receber participantes de outros estados, como forma de garantir o comparativo e qualificar cada vez mais o trabalho local, além de promover a interação entre os criadores.
Quem vem de fora também se encanta e reconhece a dedicação encontrada em solo mato-grossense, como salienta o jurado da exposição, João Francisco Silveira. “Um Estado que nos apresenta belos animais nascidos e criados aqui. Então tivemos uma boa representatividade da região, que vem trabalhando forte pela expansão da raça. É uma satisfação enorme chegar aqui e se deparar com esse crescimento”, destaca o avaliador que é natural de Jaguarão (RS).
Supervisionada por Rafael Fagundes Sant’anna, a mostra de Campo Verde foi a décima oitava – e última – Exposição Passaporte deste ciclo a distribuir vagas para a Morfologia da Expointer. Agora, os últimos lugares disponíveis no principal julgamento da temporada serão preenchidos na Prévia Morfológica, em Esteio (RS). O circuito de Morfologia 2017 tem o patrocínio de Vetnil, Supra e Banrisul.
Confira o resultado
FÊMEAS
Melhor Exemplar da Raça e Grande Campeã
Baronesa do Rancho Bravo, filha de El Camiño Jb de Palermo e Sulina de Pai Passo; criador e expositor Fabio Roberson Ferreira, Fazenda Rancho Bravo, Pedra Preta/MT
Reservada Grande Campeã
Canela da Catallana, filha de RZ Sanguinário da Carapuça e Campana Triguera; criador Antonio de Moraes Valls e expositor Loraci Flores de Lima, Cabanha Corte de Limia e Caravaggio, Santa Maria/RS
3ª Melhor Fêmea
Gemada da Fertilitá, filha de Sedutor Tupambaé e Gema Tupambaé; criador e expositor Eduardo Salomoni, Cabanha Fertilitá, Candiota/RS
4ª Melhor Fêmea
LGA Escolta, filha de El Camiño JB de Palermo e Tj Rendeira; criador e expositor Luiz Fernando Silva Guerreiro, Estância Lagoa Funda, Campo Verde/MT
MACHOS
Grande Campeão
Las Callanas Les Digo, filho de Macanudo do Itapororó e Las Callanas Margarita; criador Criadero Las Callanas e expositores Anibal e Diego Torres/João Vargas Nunes, Dom Pedrito/RS e Santiago/RS
Reservado Grande Campeão
Capanegra Taifero, filho de Pora Centinela e Famosa 26 Onça; criador Fernando Dornelles Pons e expositor Noeslen Bonfim Junyor, Fazenda Sete Irmãos, Novo Horizonte do Norte/MT
3º Melhor Macho
Valente do Kavaju Porã, filho de Farrapo da Maior e Madagascar do Kavaju Porã; criador José Francisco Pereira de Moura e expositor Ulisses Carneiro, Haras Bagé do Sul, Bagé/RS
4º Melhor Macho
Campana Ceibo, filho de Faceiro do Recanto Crioulo e Campana Xiba; criador Mário Moglia Suñe e expositor Rogério eRosângela Zilio da Rosa, Cabanha Rincão Das Talas, Dom Pedrito/RS
Texto: Francine Neuschrank/ABCCC

Brasília define últimos classificados à final do Freio de Ouro

Fotos: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

O roteiro de semifinais do Freio de Ouro 2017 chegou à sua última etapa, com a prova realizada entre os dias 13 e 16 de julho no Parque de Exposições da Granja do Torto em Brasília (DF). A classificatória do Distrito Federal encerrou o circuito de seletivas e fechou a relação de finalistas que irão buscar o principal prêmio da temporada, na decisão que acontece em Esteio (RS), durante a Expointer.
A classificatória de Brasília tradicionalmente se caracteriza pela disputa acirrada e intensa, afinal, nessa pista estão em jogo as vagas derradeiras na grande decisão. Além disso, muitos candidatos a essas vagas percorrem longas distâncias, partindo do Paraná, de Santa Catarina e inclusive do Rio Grande do Sul, e precisam superar também o desgaste natural da viagem.
Entre aqueles que conseguiram apresentar boa performance e garantiram a vaga, destaque para os primeiros colocados, a fêmea El Barquero 04 Patagonia, de propriedade de Ricardo Galicchio Kroef, da Cabanha El Barquero de Porto Alegre (RS), e o macho Hino da Saff, exposto por Ademir e Fábio da Silva, da Cabanha Saff de Joinville (SC).
O resultado de El Barquero 04 Patagonia foi comemorado por Kroef, que lembrou a superação funcional do animal em seu segundo ano de participação no circuito. “É uma felicidade grande, essa égua é bi finalista do Freio e, para um animal que larga com 6,4 de morfologia, esse é um excelente resultado. Estamos na final do Freio novamente”, comemorou o criador da égua montada por Fabrício Barbosa.
Já Fábio da Silva, criador e expositor do estreante Hino da Saff, o resultado surpreendeu pela precocidade do trabalho. “Tínhamos boa expectativa mas, por ser o primeiro ano dele e ser muito novo, foi uma surpresa ele ter se mantido na liderança do início ao fim. Esse cavalo tem só seis meses de treinamento com o Everton Valim. Esperamos que tenha uma evolução daqui para a frente, e trabalhar para tentar passar para o domingo na final”, diz.
Também conquistaram a vaga as fêmeas La Pátria da Bela Aliança, Esmeralda do Rio das Pedras e Xinoca do Amanhecer e os machos Taberneiro de Santa Angélica, LAA Cianureto e Faceiro da Mangueira Velha. Os Ginetes Destaque foram Felipe Mello da Silva, na categoria fêmeas e Everton de Deus Valim nos machos. Ambas categorias foram julgadas por Cesar Augusto Rabassa Hax, Mateus Gularte Silveira e Roberto Martins Crespo.
O circuito 2017 do Freio de Ouro conta com o patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson, Ford e o apoio de Supra. A realização é da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).
Confira o resultado
FÊMEAS
1º Lugar
El Barquero 04 Patagonia, filha de Capanegra Jacarta e Capanegra Iguaria; criador e expositor Ricardo Galicchio Kroef, Cabanha El Barquero, Porto Alegre/RS
Ginete: Fabricio Barbosa
Nota: 18,840
2º Lugar
La Pátria da Bela Aliança, filha de Itaqui do Salero Velho e Los Entierros Escarcha; criador e expositor Francisco Carlos Habowsky, Cabanha Bela Aliança, São Bento do Sul/SC
Ginete: Thiago Augusto Habowsky
Nota: 18,320
3º Lugar
Esmeralda do Rio das Pedras, filha de Santa Elba Señuelo e BT Onça; criador Marcelo Oliveira Cunha e expositor Fazenda Rio das Pedras, Guarapuava/PR
Ginete: Deivy de Lima Flores
Nota: 18,280
4º Lugar
Xinoca do Amanhecer, filha de Nácar do Purunã e Obra Prima do Amanhecer; criador e expositor Fábio Bellotti Moura, Cabanha Nova Querência, Brasília/DF
Ginete: Felipe Mello da Silva
Nota: 18,202
MACHOS
1º Lugar
Hino da Saff, filho de Pora 404 e Flôr do Pago da Escondida; criador e expositor Ademir e Fábio da Silva, Cabanha Saff, Joinville/SC
Ginete: Everton de Deus Valim
Nota: 20,002
2º Lugar
Taberneiro de Santa Angélica, filho de Jalisco de Santa Angélica e Faroleira de Santa Angélica; criador Suc. de Paulino e Agenor Ávila Costa e expositor Ramiro Madruga Costa, Cabanha Santa Angélica, Pedras Altas/RS
Ginete: Cézar Augusto Schell Freire
Nota: 18,656
3º Lugar
LAA Cianureto, filho de AS Malke Sedutor-TE e RZ Que Fartura da Carapuça; criador e expositor Luiz de Alencar Araripe Junior, Fazenda Boqueirão, Areal/RJ
Ginete: José Eduardo Marques
Nota: 18,395
4º Lugar
Faceiro da Mangueira Velha, filho de Ganadero da Harmonia e Justine da Guajuvira; criador Leandro Luís Vieira e expositor Noli Souza de Oliveira, Cabanha Martinelli, Siderópolis/SC
Ginete: Fagner Crescencio Espindola
Nota: 18,267
Texto: Marina Bonati/ABCCC

Mato Grosso atinge crescimento de 8,8% no Cavalo Crioulo

Foto: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

Em expansão em todo o Brasil, o Cavalo Crioulo vem tendo grande destaque no Centro Oeste do país. No Mato Grosso, conforme dados da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), o crescimento de manada em 2016 foi de 8,8%, chegando a 742 exemplares registrados no Estado. Percentualmente, a alta é maior que a anunciada em todo o Brasil, que foi de 4,35%, e na própria região Centro Oeste, de 7,27%.
De acordo com o presidente do Núcleo Matogrossense de Criadores de Cavalos Crioulos, Luiz Fernando Guerreiro, a expansão do Cavalo Crioulo no Estado tem sido espetacular, superando as expectativas. Observa o aumento no número de criadores e também de usuários da raça na região. “O grande plantel está na mão do usuário do Cavalo, principalmente nas provas de Laço Comprido. O pessoal da pecuária tem buscado também a raça, para o uso na lida de campo, onde comentam sempre sobre a resistência do animal. Porém o que chamou a atenção no ultimo ano, foi o aumento do numero de pessoas querendo criar o cavalo, e não apenas usá-lo”, destaca.
De 13 a 15 de julho, no município de Campo Verde, a raça será destaque durante Exposição Passaporte para a Morfologia, que ocorrerá no final de agosto na Expointer, em Esteio (RS). O Parque de Exposição Marco Antônio da Rocha será palco da quarta edição do evento. Segundo Guerreiro, a expectativa é mais uma vez a qualidade dar o tom do evento. “Para esse ano, esperamos melhorar ainda mais a qualidade dos animais expostos e também uma participação maior de criadores de outros Estados. Temos vários criadores ligando para solicitar informações do evento, onde acreditamos que podemos chegar aos 60 animais tranquilamente”, afirma.
O julgamento ficará a cargo de Francisco Silveira. Organizado pela ABCCC, o circuito da Morfologia 2017 conta com os patrocínios de Supra, Vetnil e Banrisul, além do apoio da Laurentia.
Confira a programação
13 de julho (Quinta-feira)
8h – Admissão dos Animais
14 de julho (Sexta-feira)
8h – Morfologia Incentivo
9h – Morfologia Machos
14h – Morfologia Fêmeas
15 de julho de 2017 (Sábado)
9h – Final com Grandes Campeonatos
12h – Almoço e Entrega de Prêmios
14h – Palestra Técnica
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective